Os bugs não ofuscam a nostalgia com este FPS frenético e prático

Antigamente, os jogos no estilo FPS (tiroteios em perspectiva de primeira pessoa) eram bastante simples e apostavam principalmente na praticidade dos comandos. O Serious Sam original é um jogo que ainda conquista fãs ao redor do globo devido à apresentação de uma proposta mais que envolvente: tiroteios frenéticos, sanguinolência e jogabilidade satisfatória.

Com isso, o pessoal da Croteam resolveu desenvolver uma versão em alta definição — HD — de Serious Sam: The First Encounter. Para os usuários dos computadores, o remake do jogo foi muito bem-vindo. Nostalgia é um sentimento expressivo durante a experiência revigorada com um título que causou impacto no passado.

Afinal de contas, qual é a trama central do game? A história, visto que é um tanto clichê, não é o ponto forte do título. A humanidade foi atacada de maneira brutal por seres de outras dimensões e não consegue sobreviver à invasão. Por mais que os exércitos da Terra combatam com vigor e perseverança, o fim é iminente.

Só que ninguém contava com o surgimento de um símbolo de esperança em meio aos ataques. O combatente Sam "Serious" Stone acabou se transformando em uma referência para a resistência humana. Impetuoso, Stone dizimou centenas de inimigos, mas não é capaz de salvar a humanidade sozinho.

E então, vem a possível salvação. O artefato conhecido como Time-Lock é encontrado e tem um poder muito peculiar: fazer com que uma pessoa possa voltar no tempo. É claro que a primeira pessoa indicada pelos comandantes da resistência é Sam. Assim, o jogador tem a oportunidade de combater contra monstros diversos em belos cenários do antigo Egito, como uma das pirâmides e o Templo de Hapshepsut.

Nenhuma complicação

Mais uma vez, é de fundamental importância reforçar que Serious Sam (mesmo a versão HD) é um game muito prático. Apresentando uma interface extremamente acessível e rápida, o jogo conta com os modos Campanha e Cooperativo, além de exibir extras como Achievements (conquistas, apenas 12 no total) e Leaderboards (rankings online que exibem as diferentes pontuações dos jogadores nos dois modos de jogo principais).

Para facilitar ainda mais a experiência, há o computador conhecido como NETRICSA (NEuroTRonically Implanted Combat Simulation Analyzer), implantado diretamente no crânio de Sam. Esse sistema, além de analisar itens e objetos diversos assim que o gamer os encontra pelo cenário, exibe uma quantidade significativa de informações e características sobre vários aspectos do jogo. Muitas vezes, são fornecidas dicas cruciais para o sucesso em uma fase particularmente difícil.

Quanto à jogabilidade, nada mais simples. A movimentação é um dos quesitos mais influentes no desempenho do combatente durante os tiroteios, principalmente nos níveis de dificuldade mais elevados. Os níveis são Tourist, Easy, Normal, Hard, Serious e Mental, sendo que o último é inicialmente bloqueado. Cada nível possui um multiplicador de pontos de acordo com o patamar de desafio oferecido.

O multiplayer cooperativo também é simples... E bem divertido. Até 16 pessoas podem participar dos combates frenéticos dentro de uma mesma fase. O criador do jogo pode escolher um capítulo da trama e o modo de dificuldade ao iniciar o cenário, mas esses quesitos podem ser alterados por voto no meio da pancadaria.

Vale. Só que é possível dizer que muitos fãs do título original podem não se impressionar com a versão HD do game. As adições são poucas e, por mais que os visuais revigorados enalteçam a excelente ambientação criada no desenvolvimento original, não há grandes motivos para que os jogadores mais "antigos" gastem dinheiro com um remake de uma fórmula já aclamada no mundo dos video games. Os bugs, obviamente, também influenciam de forma negativa nesse aspecto.

Entretanto, a experiência é ótima para quem nunca ouviu falar em Sam Stone. Tudo bem, o título da Croteam não foi feito para ser emparelhado com outros jogos do gênero FPS lançados na mesma época que Serious Sam: The First Encounter HD, mas isso não impede que os gamers dessa geração tenham a possibilidade de conhecer uma versão muito atraente de um clássico. Praticidade e diversão, quer mais que isso?

Fluidez na jogabilidade

O principal pilar de diversão de Serious Sam: The First Encounter HD é a simplicidade da aplicação dos comandos durante os embates. Atirar e correr pelo cenário são duas ações combinadas a todo o momento. Pular também é uma opção muito válida de esquiva e é um movimento fundamental na superação de determinados obstáculos. Combatendo sozinho, o jogador pode correr para "alinhar" os inimigos e derrubá-los de uma vez só com uma bola de canhão, por exemplo.

Online, basta ter uma boa conexão para compartilhar essa fluidez com outros jogadores. E, principalmente nos níveis Serious e Mental, o gamer tem que estar bastante familiarizado com os comandos (inclusive com o conhecido "rocket-jump", pular com o auxílio de uma explosão) para não encontrar a morte frequentemente.

Atmosfera descontraída

Sam Stone é um personagem amigável. Não com os inimigos, é claro. O estilo "machão" de Sam lembra muito o que ocorre com Duke (Duke Nukem) e Matt Hazard (Eat Lead: The Return of Matt Hazard). Certas falas do combatente de The First Encounter HD são hilárias, mesmo para quem já teve a oportunidade de conferir o título original.

Os monstros, as armas, as explosões, a sanguinolência... Enfim, tudo contribui para uma experiência dinâmica e descontraída. Por exemplo: o que você acha de ser quase atropelado por uma bola de pedra ao som de uma faixa que lembra muito a trilha sonora de Indiana Jones?

Estilo visual

A versão HD não é tão impressionante em recursos gráficos, mas realça o trabalho de arte de Serious Sam de uma forma muito agradável. A Serious Engine 3 faz um bom serviço ao reproduzir os cenários da Antiguidade egípcia, com partes destrutíveis e tudo. Além disso, as criaturas variadas — de Werebulls a esqueletos Kleer — são exibidas repentinamente para que os jogadores possam ser facilmente impactados com a exuberância das deformidades.

Considerando que é possível modificar várias configurações avançadas de desempenho gráfico e processamento dos objetos, pode-se afirmar que a reprodução visual é satisfatória. Com isso, é difícil criticar o desempenho geral dos tiroteios, visto que há a chance de alterar dezenas de opções técnicas para uma maior estabilidade da taxa de quadros por segundo.

Jogando sem parar

Quem não conhece o jogo tem muito a conhecer nos dois modos de jogo. E quem já é íntimo das fases do game original pode se divertir por muitas horas apenas com o modo cooperativo. De qualquer maneira, a quantidade de locais secretos (passagens com armas, itens e portais) é um atrativo muito convincente.

Até mesmo as estátuas guardam segredos. Destrua duas estátuas em um local específico e um portal secreto será aberto em outro lugar do cenário. Na realidade, somente o caos já é um bom motivo para que os fãs de tiroteios explosivos passem horas na frente do monitor, explodindo tudo e todos.

Bugs irritantes

Considerando que o assunto, aqui, é um remake de um clássico, não era de se esperar que uma grande quantidade de bugs aparecesse durante a experiência. Infelizmente, bugs não faltam. Os famosos "glitches" técnicos estão presentes em abundância (muitos na área sonora) e podem enervar aqueles que procuram um jogo impecavelmente prático.

Há momentos nos quais o combatente simplesmente atravessa o cenário no sentido vertical devido a um erro de programação. Sim, é possível "cair no limbo". É triste constatar que problemas na movimentação — tanto do jogador quanto dos oponentes — são encontrados de maneira frequente.

Limitações

O remake conta com um multiplayer caótico, no qual muitas munições são compartilhadas e os monstros devem ser derrotados rapidamente... Mas é apenas cooperativo. Seria muito interessante conferir a possibilidade de brigar furiosamente contra outros jogadores em um modo Deathmatch, por exemplo.

Além disso, é lamentável a restrição de certos comandos. Mencionado acima, o "rocket-jump" ainda pode ser realizado, mas a impulsão é muito menor se comparada com a altura alcançada pela mesma combinação de movimentos realizada no game original. Dessa forma, algumas partes dos cenários não são acessadas com praticidade.

Adições de peso?

Além do óbvio processo de revisão dos visuais e o ótimo modo cooperativo presente no game, a única adição concreta desta versão é a seção Achievements. Leves modificações no nível de dificuldade são enxergadas por muitos críticos como negativas, pois podem prejudicar a experiência de quem não possui muita intimidade com jogos do gênero FPS.

Pode-se afirmar que foram feitos mais "cortes de peso" do que adições. Onde está o modo Deathmatch e a criação de servidores dedicados de jogos online? E por que os desenvolvedores resolveram eliminar o editor de fases?

78 pc
Bom