Uma proposta simples, um resultado impressionante.

Desenvolver jogos para as redes online dos video games — como PlayStation Network, WiiWare e Xbox Live Arcade — não é nada fácil. Um dos maiores desafios na hora de criar jogos desse porte é conciliar propostas impactantes com recursos técnicos satisfatórios. Além disso, aplicar uma jogabilidade dinâmica e prática em cima da ideia central não é mole não.

Felizmente, a Chair Entertainment acertou em cheio ao desenvolver o game Shadow Complex, exclusivo para a Xbox Live Arcade (a rede online do Xbox 360). O jogo apresenta um mix entre perspectiva 2D e gráficos 3D de forma fantástica, considerando que o game não é grande e custa — no momento em que esta análise foi escrita — 1.200 Microsoft Points (US$ 15).


Além dos visuais que conquistam os jogadores logo em um primeiro contato, Shadow Complex conta com uma jogabilidade atraente, perfeita para aqueles que preferem títulos do gênero ação/plataforma. O esquema único de combate é desafiador e chama a atenção, principalmente nas pequenas animações de pancadaria, nas quais o personagem central do game espanca um oponente.

E, quando o jogador começa a ficar repetitivo, novos desafios são apresentados. A variedade de armas, oponentes, itens a serem coletados e possibilidades de destruição fazem com que a experiência com Shadow Complex fique muito interessante. O game realmente capricha na ação e não pode deixar de ser conferido pelos fãs do gênero.

Descobrindo a ação

A trama do jogo é baseada em Empire, a história criada por Orson Scott Card. Bem, você provavelmente não deve conhecer essa trama, mas saiba que o enredo do game tem como foco a conspiração e a derrubada do governo dos Estados Unidos. Logo no início da campanha principal é possível perceber que uma "segunda Guerra Civil" está prestes a começar.

O jogador, então, passa a acompanhar a saga de Jason Fleming e sua namorada, Claire. O casal está passeando pelas montanhas quando acidentalmente encontra uma base secreta, pertencente à organização conhecida como Progressive Restoration. Claire é capturada e Jason deve salvá-la, entrando na base subterrânea e superando todos os obstáculos encontrados pelo caminho.

Um chefe... Aracnídeo

Essa parte da história não é tão cativante, mas é apenas secundária perante a ação que a acompanha. O jogador, controlando Jason, começa apenas com uma lanterna e com a coragem do protagonista. O jogo, felizmente, recompensa com itens, armas e diversão constante cada esforço realizado pelo gamer em vencer as dificuldades proporcionadas pelo cenário.

Pouco a pouco, descobre-se que a proposta simples do game conta com uma série de ramificações interessantes. O gênero ação/plataforma foi explorado intensamente pelos desenvolvedores da Chair Entertainment, visto que explorar os ambientes, eliminar os inimigos e superar os demais obstáculos não são ações tão triviais assim.

Objetos destrutíveis formam um dos destaques dos cenários. Não apenas por contarem com animações muito belas, mas principalmente por causarem um forte impacto no desenrolar da ação. Afinal de contas, é muito mais fácil explodir um barril perto de vários inimigos do que eliminá-los um a um, não é mesmo? Além disso, portas e outros objetos devem ser quebrados para que Jason possa percorrer o caminho rumo à sua amada.

Cativante? Com certeza

Muitos apontam Shadow Complex como uma mistura entre Super Metroid, Castlevania e outros games que empregam a perspectiva de visão lateral. O resultado é um sistema de combate mais ou menos parecido com isto: correr, atirar em inimigos localizados em todo os lugares (não apenas à frente ou atrás do personagem) e tentar tomar a menor quantidade de dano possível.

É importante ressaltar que os combates com chefes ou oponentes mais fortes formam um dos itens necessários para que a jogabilidade não fique repetitiva. É preciso ter muita paciência para percorrer as grandes instalações da Progressive Restoration, ainda mais se o gamer quiser coletar absolutamente todos os itens extras (como pacotes de granadas, cartões eletrônicos e kits que aumentam permanentemente a energia do protagonista).

Owned! No mais, Shadow Complex é muito cativante. É assustadora a qualidade das animações quando Jason derruba um inimigo com suas próprias mãos. Os desenvolvedores, porém, poderiam ter criado formas um pouco mais amplas de brigar através do combate corpo-a-corpo. Ainda bem que as armas e as granadas resolvem praticamente todos os problemas de Jason.

Falando em armas, o sistema de mira é um dos poucos pontos fracos do game. Não que mirar e atirar sejam ações difíceis, mas, visto que há inimigos localizados em diferentes planos do cenário, demora um pouco para que os jogadores se acostumem a eliminar alvos com precisão. Muitos gamers acreditam que o pessoal da Chair Entertainment poderia ter colocado maneiras de explorar outros planos dos ambientes, embora isso destoe um pouco da fórmula básica do jogo.

Não há muito o que reclamar da proposta central do game. Há quatro níveis de dificuldade na campanha principal, que pode ser finalizada em cerca de uma hora por quem realmente tem facilidade com o gênero. Claro que, para quem quer realmente curtir o jogo, são necessárias algumas horas com o modo principal para que todas as nuanças de Shadow Complex sejam devidamente saboreadas.

Diversificando a experiência

Além das famosas Conquistas (também chamadas de Achievements), o jogo faz com que vários gamers disputem entre si através dos melhores resultados obtidos durante a campanha. Como? Através de quadros de pontuação, nos quais são exibidos dados como número de inimigos eliminados através de ataques corpo-a-corpo e quantidade de "headshots" realizados.

Uma espuma nada amigável Essa competição fica ainda mais acirrada quanto o assunto é a seção de Desafios. Após descobrir praticamente todos os comandos do jogo com as diversas etapas do tutorial, o jogador pode embarcar diretamente em missões específicas. Geralmente rápidos, os Desafios exigem bastante concentração e reflexos dos jogadores que querem obter os melhores resultados e superar os amigos em número de pontos.

Disparar mísseis, arremessar granadas, utilizar munições "pegajosas" (que também explodem), empregar sabiamente a lanterna, descobrir e usar partes da armadura especial do game, correr que nem um lunático... Enfim, são várias as ações que prendem o jogador à tela.

Tecnicamente falando, o jogo é fantástico. O conjunto de efeitos e animações visuais geradas pela Unreal Engine 3 são muito bons, considerando que o assunto é um game da Xbox Live Arcade. Poderia ser feito um maior polimento em determinadas animações e texturas, mas nada que prejudique a beleza que emana dos ambientes de Shadow Complex. Os sons entram em harmonia com os gráficos, oferecendo uma ambientação muito convincente.

Os desenvolvedores da Chair Entertainment estão de parabéns pela criação de um jogo relativamente simples, muito envolvente e que atinge o objetivo que no qual muitos títulos da XBLA fracassam: divertir uma ampla quantidade de jogadores.


86 xbox-360
Ótimo