Atire diretamente em cérebros reanimados

No ano passado, a 505 Games e a Rebellion Games lançaram Sniper Elite V2, jogo que colocava o jogador na pele de um atirador de elite em meio à Segunda Guerra Mundial. Agora, chega a hora de verificarmos como seria o desenrolar da guerra em uma realidade alternativa.

Em Sniper Elite: Nazi Zombie Army, você luta contra uma horda de soldados zumbis em meio ao território alemão. Será que a 505 Games e a Rebellion Games conseguiram passar a tensão da guerra, amplificada pelo perigo de mortos-vivos atrás do seu cérebro?

Sniper Elite: Nazi Zombie Army é um jogo que tem seus momentos, mas não consegue ser realmente atraente. A impressão que fica é que a 505 Games e a Rebellion Games tinham uma boa ideia, mas resolveram apenas resumir tudo em “tiros, Segunda Guerra Mundial, nazistas e zumbis” e partiram para o abraço.

Se você não se importa com fases com missões que se repetem e quer apenas sair dando headshots em zumbis como se não houvesse amanhã, Sniper Elite: Nazi Zombie Army é uma boa pedida.

A glória de um headshot

Como acontecia com Sniper Elite V2, Sniper Elite: Nazi Zombie Army traz animações para cada vez que você consegue dar um headshot em um inimigo com o seu rifle. Essa é uma das grandes graças do jogo, já que você se sente como o melhor atirador do mundo ao conseguir meter uma bala na testa de um zumbi.

Img_normal

Essa é uma das coisas que acabou se tornando extremamente fácil de fazer durante o ataque dos zumbis. Por não terem a mesma agilidade e destreza de seres vivos, é bem mais normal você sair distribuindo tiros entre os olhos dos inimigos. Eles se movem de maneira mais lenta e geralmente caem com apenas um disparo bem dado. Isso ajuda bastante quando você se vê frente a frente com uma horda de zumbis e quer dar uma de herói de guerra.

Boa apresentação

Por se tratar de um spinoff de Sniper Elite V2, não seria incomum que Sniper Elite: Nazi Zombie Army tivesse gráficos e sons inferiores ao jogo original, mas parece que a 505 Games e a Rebellion Games resolveram dar uma atenção especial ao título.

Img_normal

Os cenários do game não são particularmente inspirados, mas conseguem passar a atmosfera de uma cidade em meio à Segunda Guerra Mundial e infestada de zumbis. Os soldados são o grande atrativo, já que é possível ver suas cabeças explodirem a cada headshot, mostrando detalhes como a entrada e saída da bala, além de exibir os danos internos feitos pelo projétil.

A trilha sonora de Sniper Elite: Nazi Zombie Army é boa, apesar de ser um tanto genérica. Mesmo não mostrando grande identidade, as músicas que acompanham a ação conseguem criar um clima de tensão, além de os gritos dos zumbis ajudarem bastante na construção do ambiente.

Diferentes tipos de inimigos para destruir

Sniper Elite: Nazi Zombie Army não poderia apresentar soldados de diferentes patentes em meio ao campo de batalha, mas traz tipos diferentes de zumbis para você enfrentar. Inicialmente, você se acostumará a dizimar com uma horda de zumbis “comuns”, do tipo que se curva perante a sua soberania com uma bala bem aplicada na cabeça.

Img_normal

Em seguida, você encontrará esqueletos (isso mesmo) com corações explosivos. Não pergunte por que, apenas aceite que são esqueletos com corações explosivos correndo na sua direção. Depois disso, é hora de enfrentar zumbis kamikazes, envoltos em explosivos que são detonados assim que você chega perto deles. Para finalizar, um soldado especial, mais forte e com uma metralhadora, para deixar o seu caminho ainda mais perigoso.

Essa variedade de inimigos pode não parecer grande coisa, mas ajuda bastante a deixar o jogo um pouco diferente.

Bons tempos em que jogos tinham uma história

A ideia por trás de Sniper Elite: Nazi Zombie Army é legal, principalmente se você se aprofundar na história da Segunda Guerra Mundial e nos relatos de que o exército nazista realmente fazia pesquisas relacionadas ao oculto. Só que isso não está bem representado no jogo.

Img_normal

O game se inicia com Hitler no seu bunker, vendo o avanço das forças aliadas. A derrota está próxima, então ele grita e temos zumbis. É basicamente essa a preparação de toda a história. Por algum motivo que não é bem explicado, Hitler transformou todos em mortos-vivos e você tem que sobreviver.

Se você prefere títulos que tenham pelo menos uma linha decente de história, Sniper Elite: Nazi Zombie Army vai fazer você arrancar seus cabelos, já que tudo parece ser uma desculpa para sair matando zumbis.

Zumbis: até quando?

O mundo já entendeu: zumbis são legais. A ideia de um apocalipse em que os mortos se levantariam e você deveria se transformar em um herói apenas para sobreviver é muito atraente. Só que a indústria do entretenimento parece não conseguir fazer outra coisa. O jogo precisa de um modo especial? “Coloquem zumbis”.

Img_normal

Isso fica claro em Sniper Elite: Nazi Zombie Army. Não existe um motivo realmente para o jogo existir. Ele simplesmente entra na dança dos mortos-vivos e tenta capitalizar um pouco em cima da mania. Isso não significa que ele é horrível, apenas que existem diversos games com a mesma temática e que se aproveitam melhor do tema.

Variação de missões não são o forte do jogo

As missões de Sniper Elite: Nazi Zombie Army se resumem a: sair de ponto A, ir para ponto B, defender o local, seguir adiante, repetir. Apesar de você encontrar um ou outro tipo diferente de inimigo no caminho, o jogo segue uma fórmula que o deixa incrivelmente enfadonho após poucos minutos.

Img_normal

Vejam bem, nos primeiros momentos, é tudo muito divertido. O problema é que o título não consegue manter essa diversão devido ao fato de fazer com que você repita as mesmas ações sem parar. Isso poderia ser aplicado a grande parte dos FPS e shooters do mercado, mas aqui as coisas ficam ainda mais explícitas.

65 pc
Regular