Versão para consoles ganha pontos no modo online

Sonic & SEGA All-Stars Racing talvez não possa mesmo ser chamado de uma proposta original. Talvez uma mistura original. Quer dizer, você realmente deve se lembrar de algum outro jogo de corrida baseado em combates e movimentos malabarísticos — Mario Kart, é claro. Da mesma forma, também deve se lembrar de um jogo que reunia personagens de uma mesma empresa para um festim de celebração — Super Smash Bros. Brawl, alguém?

Bem, digamos que é exatamente desse "mix" de conceitos pré-existentes que surge o título da Sumo Digital. Mais especificamente, pode-se dizer que muito do que constrói o estilo aqui foi direta e despudoradamente copiado de Mario Kart Wii — e isso não é necessariamente ruim, é claro.

Não, não é original. Mas e daí?

Mas, ei!, originalidade nunca foi condição suficiente para que um jogo fosse bom, certo? Afinal, se assim fosse, o que seria de Splinter Cell ou mesmo do apoteótico God of War — que, inegavelmente, bebeu da mesma fonte da qual Devil May Cry sorvia já há algum tempo. Além disso, amparar uma proposta de jogo naquele que é considerado o melhor título de um estilo não parece algo assim tão condenável.

Considerações preliminares feitas, saiba que você vai encontrar em Sonic & SEGA All-Stars Racing um desafio interessante, uma ótima sensação de velocidade e o clássico clima caótico que é marca registrada do estilo — com projéteis e raios voando para todos os lados.

E o melhor, a bordo dos carros (embora nem sempre sejam propriamente carros), alguns dos maiores ícones de todos os tempos da SEGA, cada qual com um estilo próprio e uma baseada no seu mundo de jogo. Enfim, não é realista, certamente também não é original. Mas pode sim ser muito divertido. Vamos aos detalhes.

Se o que você busca não é um conceito original, mas muita velocidade e diversão em uma releitura interessante da fórmula eternizada por Mario Kart, realmente vale. Mas, se além disso você também é aficionado pela SEGA e seus ícones, e considera interessante ver correndo em uma mesma pista Ryo Hazuki e Sonic (mesmo que a bordo de um carro), então com certeza vale a pena!

Faltou a nave de Zaxxon? É faltou

Toda a construção das pistas, dos movimentos dos personagens de do estilo, de forma geral, evoca com considerável preciosismo o que de melhor a SEGA produziu ao longo dos anos. Embora alguma omissões se façam sentir — como Golde Axe ou mesmo o saudoso Zaxxon —, é o tipo de comemoração que não deveria escapar a nenhum fã da empresa. Até por que, pode ser realmente muito divertido!

Uma ode nostálgica ao legado da SEGA

Você realmente não vai encontrar nenhum tipo de história aqui cuja pretensão seria explicar por que, afinal, os ícones da SEGA um belo dia resolveram se reunir para disputar corridas. Aliás, também não vai encontrar uma história que explique por que diabos Sonic agora precisa de um carro. Mas, espere. Essa de fato não é a ideia aqui.

Da mesma forma que fez a Nintendo com o seu Super Smash Bros. Brawl, Sonic & SEGA All-Stars Racing propõe apenas uma celebração aos quase 30 anos de SEGA. Tudo bem, essa ode não é (e nem poderia ser) algo assim tão completo, e muita coisa acabou ficando de fora — como o pré-histórico e memorável Zaxxon, e também Virtua Cop.

Entretanto, alguns dos ícones mais expressivos da empresa estão presentes. Entre eles, Sonic (é claro), que resolveu dar um descanso para os sapatos mágicos e agora aparece atrás do volante de um lustroso conversível. E a trupe do ouriço também se faz presente: Miles "Tails", a bordo do inesquecível Tornado; Shadow the Hedgehog, convenientemente montado em uma Harley Davidson genérica; e, é claro, Dr. Ivo "Eggman" Robotnik, que pilota uma das sua geringonças inomináveis.

De outras franquias igualente clássicas surgem Alex Kidd — ícone anterior à era Sonic —, Ryo Hazuki, do inesquecível Shenmue, AiAi, de Super Monkey Ball, Ulala, de Space Channel 5, entre diversos outros. Com carros temáticos, pistas baseadas em jogos clássicos e tiradas típicas, é realmente difícil que um fã genuino da SEGA não acabe se deixando levar. Mas a sua franquia favorita foi deixada de lado? Bem, existe ainda uma boa possibildiade de ela aparecer furtivamente — como no nome de uma das metas do jogo, "Golden Acts".

Velocidade e mais velocidade!

Uma das principais vantagens que fazem com que um jogador abandone alegremente o realismo de um Gran Turismo em prol dos movimentos francamente absurdos de jogos como os da família Mario Kart é sem dúvida a sensação de velocidade. Bem, isso se mantém em All-Stars Racing.

A sensasão de velocidade aqui é realmente impressionante. São saltos gigantescos, loops, "boosts" de velocidade e tudo o mais que constrói um bom desafio hardcore. E o melhor: para acompanhar toda essa intensidade, aparecem controles firmes e bastante fiéis, de forma que será mais fácil você esbravejar contra uma luva de boxe voadora do que contra qualquer possível falta de resposta dos controles.

Armas e corridas: uma fórmula que sempre funciona

Tudo bem, o fato de dotar os carros de seus ícones com todo tipo de armamento improvável é certamente a parte menos original de All-Stars Racing. Mas que funciona, funciona.

Como já dizia o ditado: em time que está 
ganhando...Quer dizer, é inegávelmente divertido atravessar loops e atalhos enquanto se dispara luvas de boxe (cujo equivalente óbvio é o casco verde de Mario Kart) ou se dá um "boost" na velocidade com a bota do Sonic — sim, é o cogumelo vermelho. Até mesmo a forma de pegar novas armas e a seleção aleatória destas foi diretamente usurpado de Mario Kart.

Já os "powerslidings" foram diretamente retirados de Mario Kart Wii. Trata-se da técnica de atravessar toda uma curva em "drift" (derrapando) para conseguir então uma velocidade extra — proporcional ao tempo que durar o seu drift, naturalmente. Fazer o quê? Afinal, mexer em time que está ganhando nunca foi mesmo uma boa ideia.

Uma assinatura: os movimentos especiais

Esse sim é um ponto em que se pode dizer que All-Stars Racing ganha alguma originalidade. A não ser que você já tenha visto Mario Mario ou Luigi Mario virarem um imenso ovo, ou ainda seduzirem todos os demais competidores com uma melodia hipnótica! Não? Pois é. Trata-se dos movimentos especiais, que aqui são exclusivos para cada personagem, normalmente evocando a sua característica mais evidente.

Dessa forma, Sonic se transforma no seu esfuziante alter-ego, "Super Sonic", Amigo começa a agitar suas maracas para transformar toda a pista em uma gigantesca fila dançante, e Billy Hatcher rola através da pista um gigantesco ovo. Infelizmente nem todos são tão originais assim: Shadow the Hedgehog, por exemplo, transforma-se em... Super Shadow the Hedgehog. É, não se pode ter tudo.

Até quatro jogadores em tela dividida

Tudo bem. Jogar em tela dividida nunca foi algo extremamente confortável. Mas com certeza pode ser muito divertido! Em All-Stars Racing você pode dividir a sua tela em até quaro partes a fim de digladiar contra alguns companheiros. Enfim, uma boa lembrança da época de ouro do Nintendo 64.

Modo Online

Uma das maiores vantagens de se jogar Sonic & SEGA All-Stars Racing nos consoles é certamente o modo online. Inexplicavelmente ausente na versão para PC, aqui ele trás a possibilidade de se enfrentar quaisquer adversários ao redor do globo. E o melhor: a espera no lobby antes de conseguir uma corrida é bastante razoável.

Banjo & Kazooie

Trata-se de um atrativo exclusivo para quem possui a versão para Xbox 360. A hilária dupla Banjo & Kazooie aparece aqui a bordo de um calhambeque, com especiais próprios e um estilo gráfico absolutamente próprio. Enfim, para quem tem saudade do estilo nonsense e dos clássicos resmungos de Banjo, eis um bom motivo para adquirir a versão para o consoles da Microsoft.

Diversidade de missões e recompensas

Nem tudo em All-Stars Racing envolve corridas propriamente ditas — o que, a julgar pelo estilo adotado pelo jogo, acaba sendo bastante produtivo. Caso você opte no menu por “missões”, o jogo vai enviá-lo para uma série de, bem, missões, cada qual ligada a um personagem específico e um cenário específico.

Corra, colete argolas, empilhe caixas, etc.Dessa forma, Sonic terá que colher argolas, Dr. Eggman fará um tiro ao alvo e Billy Hatcher atravessará todo um circuito sobre um ovo gigantesco. Big the Cat, por outro lado, terá que dar toda uma volta desviando de potes espalhados pela pista, enquanto Ryo deve tentar atravessar todos os “checkpoints” com bônus em segundos a fim de terminar uma volta.

Ao final, dependendo da sua classificação — lembrando que qualquer coisa inferior a um “A” vai impedir que se abra uma nova missão —, você será recompensado com uma quantia em “SEGA Miles”. Trata-se da moeda corrente em All-Stars Racing, o que permite a aquisição de pistas, personagens e músicas inicialmente bloqueados.

Derrape ou acabe como retardatário

Drift or die!Não que a ideia do "boost" de velocidade baseada em drifts não seja interessante — além de copiada, é claro. O problema é que aqui você acaba ficando completamente dependente desse movimento, tornando-se simplesmente impossível ganhar qualquer corrida sem deixar ma boa quantidade de borracha de pneus na pista. E isso é realmente muito rápido: atravesse uma curva sem derrapar, e veja um ou dois competidores passando pelos lados.

Grand Prix só mesmo no modo Single

Outra limitação meio inexplicável de All-Stars Racing vem da impossibilidade de se jogar o modo Grand Prix acompanhado por outro jogador. Exatamente: para atravessar o “Grande Prêmio” — possivelmente o modo mais tradicional de todos aqui —, só mesmo no modo single-player. Por que isso mesmo? Vai saber.

79 pc
Bom

Outras Plataformas

81 ps3
81 xbox-360