Algo se perdeu durante a colisão dos universos...

Combate acrobático. Vilões estereotipados e divertidos. Humor entre o cáustico e o nonsense. Sim, Shattered Dimensions é, sem sombra de dúvida, um jogo do Homem-Aranha. Mas não o Aranha tragicômico e superlotado de dramas adolescentes, levado para as telas por Tobey Maguire. Trata-se do herói original: volúvel, sarcástico, irresponsável e despreocupado, tal e qual a sua concepção original da década de 1960.

E a ideia central de Spider-Man: Shattered Dimensions é igualmente genuína: levar para dentro de um mesmo jogo quatro versões alternativas do herói, fornecendo o elo perdido entre as várias dimensões criadas pela Marvel.

Img_normal

Dessa forma, enquanto Amazing Spider-Man vai conduzi-lo até o universo mais característico do personagem, em Ultimate o traje alienígena ainda é uma realidade. Da mesma forma, os carros voadores e a profusão de propagandas animadas do universo de 2099 dá lugar à sua antítese: o arco de histórias Noir, com suas vielas escuras e silenciosas, locomotivas a vapor e mafiosos urdindo planos macabros na surdina.

Entretanto, embora a ação e o carisma do herói estejam presentes sem fissuras, a releitura da Activision não escapa de alguns deslizes; muitos deles já quase lugares-comuns em jogos de super-heróis.

Img_normalDessa forma, se por um lado a ação fluida do jogo pode convencê-lo sem problemas de que, durante aproximadamente 10 horas, você dispõe dos poderes do Aranha, a ligação pobre entre as dimensões — consequência de uma trama principal um tanto truncada —, a repetição de algumas fases e minúcias técnicas em geral acabam, por assim dizer, embolando um pouco a teia do aracnídeo.

Basicamente, há muito pouca diferença entre pelo menos três universos, e o cenário Noir se parece com os borrões que deram origem à ação furtiva em Batman Arkham Asylum. A ação comprometedora da câmera também tem seu papel aqui. Mas, é claro, sempre há mais teia na manga. Vamos aos detalhes.

Não que o clima original dos quadrinhos, os vilões clássicos — com algumas gratas surpresas, como Kraven — e a movimentação do personagem não garantam, em si, um bom atrativo. Só que, desconsiderando-se as virtudes que pertencem mais ao herói do que ao jogo, o que resta é um título de ação apenas mediano.

É claro que a ideia de fundir várias versões distintas do Aranha em um único título tem seu mérito. Entretanto, acabaram faltando motivos para justificar as quatro dimensões, já que as diferenças mais notáveis — excluindo-se a versão Noir — ficam mais na forma do que no conteúdo.

Entretanto, o combate em malabarismos e as tiradas engraçadas da versão pré-Tobey Maguire do Homem-Aranha ainda fazem de Spider-Man: Shattered Dimensions um bom título para os fãs dos quadrinhos — o tipo de admirador que seria capaz de ignorar deslizes e clichês para assumir mais uma vez o controle do Aracnídeo em um game.

Quatro heróis, quatro universos distintos

Embora a trama que reúne os quatro universos discrepantes do Aranha no jogo seja um tanto forçada, os universos, isoladamente, tem seu atrativo. Em Shattered Dimensions, você será convidado a revisitar quatro releituras distintas do Aranha: Amazing, Ultimate, Noir e 2099.

Img_normal

O motivo? Uma luta entre o Aranha e o vilão Mysterio acabou por despedaçar um artefato conhecido como “Tábua da Ordem e do Caos”. Em consequência disso, os vários universos paralelos da Marvel passaram a se cruzar, gerando um enorme potencial para problemas. Para ajudá-lo a colocar as coisas novamente nos trilhos, aparece a misteriosa Madame Web. O resto, como dizem, é história.

  • Amazing Spider-Man

Img_normalAmazing é o Homem-Aranha clássico, em sua concepção original, trajando o emblemático traje vermelho e azul. O forte das fases do universo Amazing está justamente nos malabarismos típicos do heróis, que aqui é dotado de uma grande variedade de combos utilizando os lançadores de teia. É ação pura, do início ao fim.

  • Ultimate Spider-Man

Img_normalEm Ultimate, Peter Parker se vê novamente encoberto pelo famigerado simbionte, o traje alienígena que, embora confira poderes extras, não deixa de cobrar o seu preço. Embora a arquitetura das fases de Ultimate seja bastante semelhante a do universo clássico, os poderes típicos do traje — tentáculos negros que partem do herói — garantem um estilo de combate distinto.

  • Spider-Man 2099

Img_normalA versão 2099 do Aranha vai levá-lo até a releitura criada por Peter David para o universo Marvel 2099 — espécie de comemoração pelos 30 anos da primeira aparição do herói. A carta na manga do Aranha futurista é uma espécie de variação do tradicional bullet-time: durante algum tempo, você poderá se mover mais rapidamente, encadeando uma quantidade quase absurda de golpes.

  • Spider-Man Noir

Img_normalPor fim, Noir é uma espécie de “ovelha negra” dentro de Shattered Dimensions — com o perdão do trocadilho. Trata-se de um flerte óbvio com jogos eminentemente furtivos, como Splinter Cell: Conviction e Batman Arkham Asylum. Em vez de se lançar indiscriminadamente sobre bandidos genéricos, aqui a ideia é se manter sempre nas sombras, realizando ataques rápidos e silenciosos.

Seja o Homem-Aranha!

Durante aproximadamente 10 horas de jogo, Shattered Dimensions pode facilmente convencê-lo de que, mesmo através dos controles, você detém o potencial do Homem-Aranha. Isso porque as cenas de ação recriam perfeitamente o estilo singular dos combates do Aranha nos quadrinhos, com uma vasta possibilidade de manobras aéreas, combos e golpes encadeados.

Img_normal

Chefões carismáticos e encarniçados

Ok, então os combates contra os chefes de Shattered Dimensions não são o que de mais original já se viu em um jogo de video game. Entretanto, uma mescla entre carisma e batalhas ferrenhas faz dos combates contra os chefões do jogo algo no mínimo memorável.

Afinal, juntamente com os cenários apoteóticos dos combates, aparecem vilões consagrados, tais como Duende Macabro, Electro, Hammerhead e mesmo o atualmente proscrito Kraven, espécie de versão malvada do Tarzan, dotado de sotaque e roupa de oncinha — lembre-se, os tempos eram outros.

Img_normal

Diálogos e o humor aracnídeo

Embora às vezes acabem abraçando clichês descarados dos quadrinhos, os diálogos de Spider-Man: Shattered Dimensions realmente fazem um ótimo trabalho — mesmo que a trama geral do game seja um tanto manca. Tanto as falas do Aranha quanto as dos seus vilões consagrados, a interpretação dos dubladores serve perfeitamente ao clima de aventura do jogo.

O humor clássico do Aracnídeo também está presente, mais afiado do que nunca. Para quem não leu muitos quadrinhos do Homem-Aranhas, trata-se basicamente de um senso de humor nonsense, às vezes cáustico, às vezes inocente, mas sempre ligeiro e de acordo com o contexto. Basta conferir a batalha final contra o poderoso Electro: “Eu me tornei um ser de energia pura!”, exclama o vilão, que é então complementado pelo Aranha: “... E sem calças!”.

Arte: direto dos quadrinhos

Img_normalMas não é só o senso de humor do Homem-Aranha que evoca o clima dos quadrinhos em Shattered Dimensions. Toda a arte do game flerta abertamente com o traçado e as texturas das HQs — o que ainda ajuda a criar uma distância segura dos filmes, diga-se de passagem. São contornos exagerados, filstros cel-shading, entre diversos outros detalhes que fazem de Shattered Dimensions uma espécie de HQ jogável.

Pouca variação entre os universos

Embora a ideia de trazer quatro universos distintos do Homem-Aranha para um único jogo tenha, indiscutivelmente, seu mérito, Shattered Dimensions não consegue realmente justificar a existência de todas essas dimensões dentro do jogo. Em outras palavras, não há realmente uma grande diferença de jogabilidade e/ou objetivo nos universos paralelos do jogo.

Img_normal

Trata-se do mesmo padrão, repetido à exaustão através das fases. Você fará o primeiro contato com o vilão principal da fase que, naturalmente, guarda um dos fragmentos da “Tábua da Ordem e do Caos”. A partir disso, trata-se simplesmente de uma brincadeira de gato e rato: você vai perseguir o vilão através dos cenários lineares do jogo, encarando algumas batalhas prévias para, por fim, derrotá-lo, reavendo mais um fragmento.

Noir: “eu já vi isso em algum lugar...”

Talvez o único universo que tenha se ocupado de trazer uma jogabilidade distinta seja o Noir. Em vez de distribuir pancadas a granel, as fases lúgubres de Spider-Man Noir vão convidá-lo a uma ação mais furtiva, nas sombras.

Img_normalO problema é que o estilo aqui parece comer pelas beiradas do prato de Batman Arkham Asylum, com mecânicas stealth perigosamente simplificadas. Ademais, a versão Noir do Aracnídeo é obviamente mais frágil que as demais, o que vai torná-lo completamente dependente das mecânicas furtivas — limitando assim as possibilidades durante as fases do universo.

Kraven, Hammerhead... E a câmera

Como em tantos outros jogos de ação, a câmera aqui aparece como um dos seus vilões durante as cenas de ação. Isso ficará bastante óbvio sobretudo nos momentos em que, ao escalar um edifício, você mude bruscamente de posição (para atravessar o telhado, por exemplo). A câmera vai acabar dividida entre duas perspectivas diferentes, e o efeito resultante acaba mesmo atrapalhando a jogabilidade.

70 ps3
Bom

Outras Plataformas

70 xbox-360