Leve seu DS para as estrelas ao lado da equipe de pilotos do clássico Star Fox.

Em 1992, um jogo marcava sua presença no SNES, o famoso Super Nintendo: Star Fox chamou atenção por ser um dos primeiros títulos oferecendo gráficos tridimensionais em consoles. Além disso, a jogabilidade de qualidade e o enredo envolvente fizeram da do título um sucesso entre os donos do console.

Os quatro pilotos do esquadrão Star Fox.Com a chegada do Nintendo 64, o título também aportou no console, oferecendo gráficos de qualidade ainda maior e uma experiência muito mais completa. Foi aí que o sucesso da série se expandiu, e desde então, todos os consoles da Nintendo possuem ao menos uma versão própria de Star Fox.

No Nintendo DS, o título que levantou a bandeira da franquia é Star Fox Command, que coloca o jogador em batalhas muito similares às da maioria dos jogos da série, porém usando um sistema de turnos para movimentar as naves pelo campo de batalha.

A integração aliou estratégia em turnos a batalhas em tempo real de maneira muito inteligente, lembrando a técnica utilizada em Metal Gear Solid: Portable Ops, para o PlayStation Portable.

Naves espaciais portáteis

Star Fox Command é o primeiro título da franquia para um console portátil. Pela primeira vez, os fãs da série podem levar Fox McLoud, Slippy Toad, Falco Lombardi e os outros integrantes do esquadrão para qualquer lugar.

No enredo, a equipe de Fox McLoud é enviada para salvar mais uma vez o sistema Lylat das garras dos terríveis Anglar. Porém, para isso, o jogador deve unir novamente o time, já que todos se dispersaram.

Slippy está namorando uma sapa chamada Amanda, e por isso passa menos tempo com o grupo. Falco está cumprindo missões solitárias, e Krystal terminou com Fox após ele expulsá-la da equipe.

A produção gráfica de Star Fox Command foi muito bem desenvolvida, apresentando texturas e modelagem muito bem trabalhadas. Não há muito o que comentar quanto à esse aspecto do jogo, a não ser que os donos de DS não irão se arrepender de adquirir o título.

Já a trilha sonora não é ruim, mas deixa a desejar em alguns sentidos. O principal deles é durante os diálogos. Os personagens parecem falar uma língua cibernética. Apesar de já ser clássica na série, este sempre foi um ponto negativo, que já deveria ter sido corrigido.

Estratégia em turnos nas estrelas

O jogo possui nove finais diferentes, que são definidos pelos caminhos que o jogador toma durante a aventura. Após escolher qual dos caminhos disponíveis irá tomar a cada missão, o jogador é enviado para o planeta escolhido e lá deve iniciar sua missão.

As explosões espaciais já costumeiras para os fãs da série.Ao iniciar a primeira missão, o jogador se vê num mapa com diversos adversários e apenas a nave de Fox Mcloud. Seu objetivo é destruir todos os adversários determinados no menor número de turnos possível.

Além disso, as naves adversárias não podem chegar à sua nave mãe, ou sua missão falhará instantaneamente. É preciso medir a distância entre cada um dos aglomerados de naves adversárias no mapa e a velocidade de cada um deles para definir a melhor tática e aplicá-la.

Este trecho da batalha, como fica evidente, trata-se da estratégia em turnos. Conforme o jogador avança no título mais opções e desafios são adicionados a ele, tais como coletar mísseis para a nave mãe e utilizá-los para destruir os aglomerados de naves de maneira mais eficiente.

Além disso, alguns níveis possuem neblina sobre o mapa, o que obriga o jogador a rabiscar a tela em cada turno, com o objetivo de descobrir adversários e bases inimigas, bem como itens para ajudar no combate.

Um manche confuso

Pilotar em Star Fox Command não é tão fácil quanto poderia ser. Na tela de cima do NDS, o jogador vê a nave e tudo ao seu redor, enquanto a tela sensível ao toque apresenta o radar, mostrando todos os adversários, anéis e itens da área, bem como sua nave.

Cenários variam tanto quanto a experiência.Na tela sensível ao toque, o jogador utiliza a Stylus para controlar a nave, porém não é tão simples como parece. É muito comum se perder, tentando controlar o veículo com base na nave presente no radar, enquanto, na verdade, o embasamento se dá pela tela de cima.

Isso confunde muito o jogador no início, porém conforme o jogador avança, o usuário pega o jeito e aprende a usar ambas as telas de forma bastante equilibrada. Mesmo assim, de vez em quando irá se confundir e correrá o risco de bater a nave no chão numa manobra mais desatenta.

Manobras especiais também são realizadas através da tela sensível ao toque: a nave acelera temporariamente com um toque duplo na área superior da tela e desacelera, também temporariamente, com o mesmo toque na área inferior.

Para lançar bombas, o jogador deve clicar no B à direita do radar e arrastar o círculo que define o raio de ação da bomba até o ponto desejado do radar. Loopings são ativados por um dispositivo à direita do radar e curvas em U por outro à esquerda. Todos os botões do console servem ao mesmo propósito: atirar.

Dispare para as estrelas, mas vá com calma!

Star Fox Command é, sem dúvida alguma, um jogo destinado para os fãs de Star Fox. Os erros cometidos nas versões para Game Cube foram corrigidos e o novo esquema de estratégia em turnos foi bem integrado ao jogo, vindo apenas a contribuir para a experiência.

O jogo vale muito a pena, tanto para fãs da série quanto para os iniciantes nela que possuam um DS, porém se você está iniciando no uso da stylus, aguarde um pouco antes de se aventurar com Star Fox Command.

O jogo deixa iniciantes no console um pouco confusos e você logo sairá maldizendo um título de boa qualidade, devido apenas a sua dificuldade inicial. Portanto vale a pena treinar com outros títulos e, quando se sentir confiante com seu portátil, partir para Star Fox, que sem dúvida alguma é um jogo que merece ser jogado por todos os donos de Nintendo DS.
74 ds
Bom