Audaciosamente indo aonde ninguém jamais esteve!

Anunciado originalmente como um projeto da Perpetual Entertainment, o jogo Star Trek Online encarou uma aventura particular antes mesmo de chegar aos computadores. O título estava em desenvolvimento desde 2004, até que em 2008 a empresa declarou falência, entregando a licença de desenvolvimento do jogo e todo o material já produzido para a Cryptic Studios; que manteve o código de programação do jogo e a engine gráfica da Perpetual.

É fogo na roupaEm julho de 2008, a Cryptic Studios anunciou oficialmente que estava assumindo o desenvolvimento de Star Trek Online e por conta da reputação da empresa (responsável pelos MMOs, City of Heroes e Champions Online) milhões de trekkers respiraram aliviados.

Passado esse período de instabilidade o jogo seguiu um percurso sem grandes acidentes, culminando na fase Beta e consequentemente no lançamento da versão final do jogo que apresentou a todos a versão MMO de uma das maiores e mais rentáveis franquias do mundo do entretenimento, a série Jornada Nas Estrelas (Star Trek).

Desde a sua estreia na televisão em meados dos anos sessenta, as missões da nave estrelar Enterprise e sua busca por novas vidas, novas civilizações audaciosamente levou seus fãs onde ninguém jamais esteve criando uma cultura paralela (os Trekkers) que se difundiu ao redor do mundo.

O âmbito épico do universo criado por Gene Roddenberry e os temas universais abordados pelas diferentes versões da série (a série original, a Nova Geração, Deep Space Nine, Voyager e Enterprise, sem se esquecer da versão animada), ajudaram a arrebanhar uma legião de fãs que agora podem assumir o papel de um membro da Federação dos Planetas Unidos.

Star Trek Online é uma boa pedida para quem esta procurando por um MMO robusto (com muito conteúdo), mas descomplicado. Apesar de voltado para os fãs da série o jogo também consegue ser atraente para quem nunca ouviu falar de Jornada nas Estrelas.

Por tratar-se de um MMO, muitos dos problemas evidenciados nesta análise (primeiras semanas de "vida") poderão ser resolvidos ao longo dos próximos meses — através dos vários patches de correção lançados quase que diariamente. No final, o que fica é a boa impressão de um jogo que pode até não rivalizar com o séquito de World of Warcraft, mas que contará com uma legião de jogadores fiéis que explorarão cada centímetro da galáxia.

Trekker

Não há dúvida alguma de que Star Trek Online é um bom MMO, porém para um fã da série o título ganha nova importância. Conferir naves, planetas, civilizações e alguns personagens clássicos que compõem a mitologia da franquia Jornada nas Estrelas são alguns dos maiores atributos do jogo, mesmo que atraentes apenas para os fãs do seriado.

Kirk, Piccard, Janeway ou Cisco

Seguindo a linha dos outros MMOs da Cryptic (City of Heroes e Champions Online), o jogo conta com um robusto editor de personagem que permitirá uma série de personalizações. Você poderá alterar características físicas, escolher uma das tradicionais raças presentes na série (incluindo vulcanos, bajorianos e betazóide entre outros). Pode estacionar em 
qualquer lugar?

Além disso, o jogador também pode optar por criar a sua própria raça, atribuindo características físicas e conferindo algumas aptidões básicas inerentes a sua origem (habilidades especiais, skills, como a empatia betazóide ou a fusão mental vulcana).

No espaço todos podem te ouvir

A trilha e os efeitos de som são outro ponto alto do jogo. O característico disparo de phasers e torpedos photon são reproduzidos com maestria. Além disso, as dublagens também estão de alto nível, contado inclusive coma a participação de Leonard Nimoy (o Spock da série Jornada nas Estrelas original) e Zachary Quinto — o Sylar de Heroes e a “encarnação” rejuvenescida do Spock no último filme da franquia Star Trek, lançado em 2009.

Nave estelar Enterprise

Comandar a sua nave é excepcionalmente recompensador. Singrar o espaço em busca de aventuras, combater piratas ou participar de batalhas contra os inimigos da Federação (ou do Império Klingon) é extremamente divertido, mesmo que não seja exatamente desafiador.

Amigos para toda hora

Outro grande destaque de Star Trek Online é a sua forma descomplicada de constituição de “alianças”. Você não precisa criar grandes associações, juntar-se a guildas de renome, ou convocar um elenco de jogadores para poder embarcar em uma missão em equipe (apesar de estas opções estarem disponíveis).

Para juntar-se a uma equipe para realizar uma determinada missão basta que outros jogadores estejam realizando a mesma missão que você ao mesmo tempo. Assim aquela armada Klingon torna-se menos ameaçadora quando uma frota de dez jogadores, que estão realizando a mesma missão que você, aliam-se espontaneamente para derrotar o inimigo.

Holodeck quebrado

Apesar de relativamente estável, o jogo ainda apresenta vários problemas. Os gráficos não são exatamente um primor, mas não decepcionam se comparados a outros títulos do gênero. A exploração espacial não apresentou grandes problemas, no entanto a jogabilidade no solo mostrou-se mais “instável” (ocasionando uma queda). Outro problema evidenciado foi o carregamento arrasado de várias texturas, o popular pop-in (em um determinado caso somente os personagens carregam e mais tarde vieram os cenários e as superfícies).

PvP Capitão, detecto a 
presença de bolachas recheadas!As partidas “Player vs. Player” não estão muito desenvolvidas e resumem-se a campos de batalha no qual os jogadores podem digladiar-se a vontade.

Preconceito interplanetário

Apesar de contar com apenas duas facções parece que os desenvolvedores da Cryptic não conseguiram dar a mesma atenção para as duas forças presentes no jogo.

Sem sombra de dúvida o cerne da jogabilidade está na Federação — mesmo porque você só pode criar um personagem da facção Klingom após o nível cinco. Além de mais raças e missões, vários elementos (como o próprio editor de personagem não contam com o mesmo aprofundamento).

78 pc
Bom