O macaco AiAi está procurando a banana dourada em sua aventura no Wii!

Depois de passar por diversos consoles durante seus seis anos de existência, a série Super Monkey Ball estréia no Nintendo Wii, trazendo o mesmo e singular modo de jogo principal, que se resume em guiar um macaquinho dentro de uma bolha através de uma pista suspensa, sem cair dela e antes de esgotar o tempo.

Além desse modo single player, que apresenta fases com dificuldades variadas — e algumas são realmente um grande desafio — Banana Blitz traz 50 minigames multiplayer, que exploram de diversas maneiras o sensor de movimento do Wii.

Lançado em 2001, Monkey Ball, o primeiro título da série, era um jogo de fliperama que tinha um joystick no formato de banana. Devido ao seu sucesso, no mesmo ano, foi lançado no GameCube, como Super Monkey Ball, e, nos anos seguintes, ganhou diferentes seqüências para esse mesmo console da Nintendo, além de aparecer nos portáteis DS e Game Boy. Depois de ter um dos títulos cancelado por razões desconhecidas, a série fez sua estréia tardia no PS2 e Xbox em 2005, sob o título Deluxe. A versão anterior ao Banana Blitz, o Adventure, foi lançado para o GameCube, PS2 e PSP.

Levando o macaco dentro de uma bolha

Quase todos os antecessores de Banana Blitz têm o mesmo objetivo de levar um macaco dentro de uma bolha através de pistas que apresentam obstáculos dos mais variados possíveis. Essa simples e bem sucedida fórmula não é seguida no Adventure, que apresenta missões a serem completadas em mundos com desenho completamente diferente dos anteriores. Os minigames são também uma marca registrada da série e o seu número aumenta a cada novo título: o que eram apenas três na versão arcade chegam a 50 no Banana Blitz — e todos estão desbloqueados, ao contrário de alguns títulos anteriores.

A estréia no Wii trouxe muitas novidades, principalmente quanto ao esquema de controle, que precisou ser totalmente reformulado. Pois, com o Wii, o jogador comanda seu personagem movendo o controle em diferentes posições, ao invés de apenas pressionar botões, como ocorre nos outros consoles. Por exemplo, em muitos jogos, se você quer que o seu personagem vire à direita, você deve movimentar o controle para a direita. Generalizações à parte, o esquema de comandos do Wii é único para cada jogo e cabe aos desenvolvedores dos novos títulos explorarem ao máximo essas possibilidades.

Em Banana Blitz há duas possibilidades de jogo: o modo principal, que é single player, e os minigames, que suportam até quatro jogadores. No modo principal, você deve cumprir o objetivo comum a quase toda a série, guiando o seu macaquinho por uma pista suspensa até um portal, cuidando para que os obstáculos não o derrubem da pista. No caminho, você poderá coletar algumas bananas, que lhe renderão pontos.

A grande rivalidade entre os macaquinhos e o Dr. Bad-Moon

O enredo do modo principal que se construiu a partir de Super Monkey Ball 2 conta sobre a rivalidade entre os personagens jogáveis e o Dr. Bad-Boon, que ameaça a sua tranqüilidade, roubando as bananas de seu mundo. Cabe, então, aos enclausurados macaquinhos AiAi, MeeMee, GonGon e Baby derrotarem o temível vilão.

Em Banana Blitz, há uma pequena introdução ao jogo, em que aparece um vilão — que foi confundido por muitos com Dr. Bad-Boon — roubando um cacho de banana, que era adorado por todos os outros personagens. Assim, sem maiores explicações, começa a aventura em busca das tão apreciadas frutas. E agora, além dos já conhecidos, novos personagens estão disponíveis, como o Doctor e a YanYan, cada um com diferentes habilidades, como maior aceleração (por conta do Doctor) ou melhor pulo (por conta de YanYan). Ao derrotar os chefes, presentes ao final de cada mundo, o seu macaco escolhido retoma uma das bananas do precioso cacho roubado.

Uma viagem ao redor do mundo em busca de bananas

Há oito mundos, todos com diferentes temas, entre selva tropical, Antigo Egito, navios pirata, vulcões, espaço, e muitos outros. Em todos os mundos, há a liberdade de se escolher a ordem dos estágios a serem jogados e a cada quatro estágios completados, é aberta uma fase de bônus cujo objetivo é coletar o máximo de bananas possíveis no tempo estabelecido.

Ao final de cada mundo há o enfrentamento de um chefe, o que constitui uma das maiores inovações desse título. Para derrotá-los, o jogador deve, num limite de tempo, atacar o ponto fraco do chefe repetidamente, resistindo às suas investidas de jogá-lo para fora da pista. O segredo desses enfrentamentos é esperar o momento certo para agir, pois os movimentos dos chefes segue um padrão, havendo sempre uma hora em que eles se cansam e ficam parados, prontos para receber o ataque — obviamente, esse momento de pausa é cada vez mais curto com a sua evolução no jogo. Como foi dito, ao derrotar cada chefe, uma banana do cacho roubado é recuperada e um novo mundo é aberto.

O modo multiplayer suporta até quatro jogadores e disponibiliza 50 minigames dos mais diferentes gêneros, como corridas, jogos espaciais, quebra-cabeças, tiros ao alvo, esportes (basquete, golfe, ski), boliche, pesca e muitos outros. Mesmo quando os temas se repetem em vários minigames, como o gênero de ação espacial ou de pesca, a sua jogabilidade é completamente diferente.

Muitos jogos são adaptações de antigos minigames da série e de conhecidos arcades. Entre os que são facilmente reconhecíveis estão o Space Monkey Attack, que consiste em limpar o seu caminho eliminando as naves espaciais inimigas, exatamente como no antigo Space Invader — inclusive com gráficos similares e mesmo ângulo de câmera; o famoso arcade de martelar bichos que emergem aleatoriamente de buracos no chão, sob o nome de Wack-a-Mole; e antigos minigames de Monkey Ball, como o golfe e o boliche.

Outros jogos são originais, principalmente em relação ao novo esquema de controle, mas também pelo próprio objetivo a ser alcançado, que algumas vezes não tem nada a ver com o tema do jogo (que envolve bananas e macacos). Sheperd é dos que se encaixam na última categoria, pois tem como objetivo a estranha tarefa de comandar um cachorro que deve latir para várias ovelhas, na tentativa de colocá-las dentro do celeiro.

Uma nova maneira de jogar videogame

O desafio em Banana Blitz é alto no modo principal do jogo. O primeiro mundo é fácil de ser completado, pois tem mais a função de introduzir o novo esquema de controles ao jogador. Durante o seu progresso através dos diferentes mundos, você enfrentará fases mais complexas, que podem exigir uma boa meia hora para finalizá-las. Mas, felizmente, num mesmo mundo, não há apenas fases difíceis, pois elas são alternadas com outras muito simples, o que possibilita o descanso do jogador depois de tantas tentativas frustadas.

Os desafios se devem, principalmente, aos obstáculos, que se constituem em criativos quebra-cabeças: esferas gigantescas rolando em direção ao seu personagem, pontes móveis, pistas muito estreitas, escadas (lembre-se que o seu macaco não anda, mas pula dentro de uma bolha), personagens que tentam carregá-lo para fora da pista, são alguns dos obstáculos que requerem um plano de ação bem pensado, além de, obviamente, algumas vidas perdidas. Os chefes também constituem um desafio à parte, pois como seria de se esperar, o seu enfrentamento exige persistência e a percepção do momento certo para agir.

Quanto ao modo multiplayer, a dificuldade é variável, dependendo do jogo escolhido, havendo minigames desde os mais simples até os mais complexos. Além disso, muitos deles apresentam níveis diferentes de desafio, como o Seesaw Ball, que pode ser jogado no modo fácil, médio ou difícil.

Mas a maioria dos jogos multiplayer têm como maior desafio a aprendizagem do novo esquema de controles, que é diferente para cada minigame em questão. Apesar das explicações antes de iniciar cada minigame, a maioria deles apresentam um esquema de comandos que requer pelo menos 10 minutos para ser memorizado.

Minigames que agradam a toda a família

Como cada minigame exige uma movimentação diferente e constante do controle do Wii, você pode ficar com o braço cansado depois de algumas horas. Principalmente, se você jogar por muito tempo o Yatch Sailing ou o Raving Birds: o primeiro exige que o jogador movimente repetidamente o controle para cima e para baixo para soprar o vento que guia um barco a velas até a linha de chegada; e o segundo requer a mesma movimentação rápida, mas agora para imitar o bater das asas de uma ave, que precisa passar por diversos obstáculos até chegar ao macaquinho Baby.

O próprio Raving Birds é exemplo de um esquema de controle intuitivo e interessante, o que se repete também em outros minigames, como o Monkey Race, que é muito parecido com o modo de jogo principal, só que com comandos completamente diferentes e igualmente interessantes. O modo singleplayer tem um esquema intuitivo altamente responsivo: o controle deve ficar paralelo ao chão e, para se movimentar o personagem para a direita ou esquerda, deve-se ao girar o pulso nessas direções, e para acelerar ou diminuir a sua velocidade, deve-se, respectivamente, baixar ou levantar a frente do controle. Em Monkey Race, o controle remoto deve ser segurado horizontalmente, com a mão direita controlando os botões direcionais e a esquerda, o botão que faz o personagem pular.

Mas há também alguns minigames cujos esquemas não funcionam muito bem, como Banana Thief, Wack-a-Mole, Trombone e Banana Catch. Nesses jogos, há uma demora de resposta do personagem para executar os comandos, o que torna esses minigames pouco atraentes.

Como há uma grande variedade de minigames disponíveis, sempre haverá alguns que chamarão mais a sua atenção, seja pelos objetivos incomuns (como abduzir outros personagens para sua nave espacial, como ocorre em UFO Capture) ou por ter uma fórmula simples e antiga, mas divertida, como Asteroid Crash, no qual é preciso atirar em asteróides que caem em direção à sua nave espacial.

No modo de jogo principal, a diversão é garantida pelos diversos obstáculos a serem enfrentados, apesar de que, em algumas fases, é preciso ter paciência de tentar e errar repetidamente até completá-las.

Um dos aspectos que mais chamam a atenção, principalmente no modo de jogo principal, são os gráficos 3D, que apesar de não serem de alta qualidade, são bem coloridos e criativos na representação dos temas presentes nos diferentes mundos. Além disso, os próprios personagens têm uma animação bem humorada, como, quando estão à alta velocidade e ficam girando desnorteados dentro de sua bolha. O cenário de fundo dos mundos não é muito detalhado, mas são suficientemente bons para oferecer uma sensação de que não se está numa pista suspensa no meio do nada.

Mas alguns defeitos gráficos podem ocorrer enquanto você está em alta velocidade e seu campo de visão atravessa a parede de uma pista, algo, que apesar de estranho, não atrapalha em nada a jogabilidade. Banana Blitz também não apresenta defeitos de lag, pois sua fluidez não é afetada, mesmo nos momentos de espera entre uma fase e outra.

A qualidade sonora em geral não tem muito destaque, a não ser pela música de fundo que é diferente para cada mundo e para cada pista, mas que pode ficar cansativa e repetitiva, quando você já está há algum tempo tentando passar da mesma fase.

Enfim, Banana Blitz apresenta a qualidade técnica que se espera de um jogo para o Wii, apesar dessas configurações ficarem um pouco aquém dos outros consoles da mesma geração.

Um jogo diferente e descontraído

Banana Blitz chega ao Wii com algumas novidades, ainda mantendo a mesma jogabilidade do modo principal e adicionando uma gama de novos minigames multiplayer. Um dos maiores destaques do título é o novo esquema de controle, que é intuitivo e extremamente responsivo no modo principal. A dificuldade de ambos os modos é variada, sendo que há minigames de diferentes níveis de complexidade, e, no jogo principal, as fases mais difíceis são intercaladas com algumas mais fáceis.

Enfim, Super Monkey Ball Banana Blitz pode conquistar jogadores que estejam procurando um algo diferente e descontraído, que não exija dedicação intensa, proporcionando algumas horas de diversão.

Compre com o menor preço:
79 wii
Bom