Os fãs do Nintendo DS vão implorar para que Superman nunca mais retorne!

Jogos de filmes nunca dão certo. Jogos de super-heróis nunca dão certo. Fica então a dúvida: qual é o motivo pelo qual as desenvolvedoras insistem em criar estes games até os dias de hoje, se desde a década de 90 a crítica contra eles é sempre a mesma?

Outra questão que não pode ser respondida por meros mortais como nós é o porquê de, já que as desenvolvedoras insistem em continuar desenvolvendo tais jogos, elas não decidem melhorá-los de uma vez por todas!

Mas enfim, o mundo das mega-corporações segue incompreendido pelos pobres fãs de videogame como nós. Talvez exista uma conspiração por trás de tais jogos ou, simplesmente, existam loucos o suficiente para comprá-los e dar lucro, mesmo sendo ruins.

O que importa é que elas continuam fazendo tais jogos, inclusive criaram um grande pesadelo para qualquer fã do Nintendo DS ou do Superman: Superman Returns, título lançado para diversas plataformas, inclusive NDS, baseado no filme homônimo.

Super-herói nos quadrinhos, super-vilão nos videogames!

Não, não vá pensando que, em Superman Returns, Clark Kent decide sem mais nem menos aliar-se a Lex Luthor e destruir o planeta Terra em uma busca incessante por poder, dinheiro ou o amor de um mulher.

Clark continua bonzinho, ajudando pessoas que sofreram ataques terroristas por parte de seus inimigos. Entretanto, o jogo é tão ruim, mas tão ruim, que chega a ser um verdadeiro atentado contra os fãs do Nintendo DS.

É por isso que Clark pode ser considerado, sem pena ou remorso, um super-vilão do mundo dos games. A jogabilidade parca, a produção de baixa qualidade e os minigames que apesar de condizentes com as histórias em quadrinhos ficam devendo muito aos jogadores, marcam negativamente o retorno do Superhomem.

Um vôo nada livre

Ah, a liberdade de ser Superman: voar por aí, usando sua visão de raio X para o bem, nem que seja o seu próprio, abrir latas de leite condensado com seus raios laser, resfriar coca-cola com seu sopro congelante, tantas vantagens num só personagem não é mesmo?

Nem tanto. Superman Returns não concede aos jogadores a possibilidade de usar seus poderes sempre que quiser. Um exemplo: no minigame em que você deve apagar o fogo de carros incendiados, nada de raios X ou laser para você. Nem mesmo sua superforça pode ser utilizada.

Em outro jogo, o ridículo dos ridículos: Superman deve, simplesmente, brincar de esconde-esconde com um vilão. Este minigame permite apenas que o homem de aço voe por aí feito um bobo até encontrar seu inimigo e... não fazer nada.

Como se não bastasse, controlar o super-homem é terrível, o jogador precisa utilizar o D-Pad (teclado direcional) do Nintendo DS, porém este não foi criado para ser utilizado com tanta constância, portanto a movimentação torna-se dura e chega a machucar o dedão do jogador.

Gráficos atacados por kryptonita

Sim, os gráficos do jogo parecem Clark Kent perto de Kryptonita: fraquíssimos. Texturas extremamente pobres e pixelizadas, a modelagem é terrível e as animações de determinados trechos do jogo, como as lutas com os chefões, são sempre as mesma.

Um ótimo exemplo da péssima produção do jogo é a roupa do personagem: No início do jogo, você pode escolher entre diversos uniformes que o homem de aço utilizou em várias suas fases nos quadrinhos e desenhos animados.

No entanto, nas cenas introdutórias do jogo, o protagonista sempre aparecerá com a mesma roupa, a padrão do jogo, que Superman utiliza no filme Superman Returns. Então, se os desenvolvedores não estavam dispostos a criar a mesma cena diversas vezes com diversos uniformes, porquê deram a opção de escolher várias roupas?

Um jogo fraco como Clark Kent


Em todos os seus filmes, seriados e histórias em quadrinhos, quando Superman apresenta-se como Clark Kent, mostra-se com baixa auto-estima, nervoso, amedrontado e todo o resto que ele não é como Superman.

Superman Returns é exatamente assim: tudo que Superman não é. O título serve como exemplo perfeito do motivo pelo qual videogames sobre super-heróis nunca dão certo: uma produção pobre, que vive das vendas trazidas pelo nome de seu protagonista, bem como pelo título do filme que representa.

Um jogo lançado apenas com fins comerciais, sem o menor respeito aos fãs do personagem, do filme ou mesmo de videogames em geral não merece a menor atenção do público. Se você comprar Superman Returns, estará contribuindo para a decadência do mercado de games.
47 ds
Ruim