Junte-se a banda! Encare os agitos da beatlemania em The Beatles: Rock Band.

A franquia Guitar Hero, criada pela Harmonix, foi um verdadeiro marco tanto na indústria fonográfica como na dos videogames, tornando-se rapidamente uma referência em jogos rítmicos.

Com o advento de Rock Band novos elementos se juntaram à equação. Duas edições, vários pacotes de atualização e dois discos extras depois a Harmonix, e a franquia Rock Band, serviram para estabelecer a linha de títulos rítmicos com uma das maiores do gênero.

No entanto, uma conferência de impressa organizada pela Apple Corps — detentora dos direitos das músicas dos Beatles — e a MTV Games (dona da Harmonix, criadora do jogo Rock Band), anunciou para o mundo uma parceria que rendeu o primeiro jogo musical com faixas do icônico quarteto de Liverpool, os Beatles.

O jogo estrelado por Paul, John, George e Ringo trouxe para os consoles um dos mais importantes e influentes grupos do mundo da música. Apresentando o quarteto a uma nova leva de fãs e fazendo a alegria dos beatlemaníacos mais saudosistas.



 

Aprovado!
 
O que nós gostamos

Twist and Shout

Sem sombra de dúvida um dos maiores destaques do jogo é justamente a sua seleção musical. Ao todo o título conta com 45 músicas, sendo que todas estão desbloqueadas desde o início no modo Quick Play, embora o título conte com um modo carreira, que além de desbloquear as faixas gradativamente (por ordem cronológica), também habilita todo o material extra disponível no jogo.

Lucy in the Sky With Diamonds

Os gráficos são os melhores da franquia e apresentam um estilo peculiar que se adapta a progressão temporal e conceitual da banda. OS modelos são bem trabalhados e os cenários são excepcionais (destaque para os visuais de que rodam ao fundo das músicas).


 Um bom exemplo é quando o jogador chega aos capítulos ambientados nos lendários estúdios de Abbey Road (momento mais “experimental” da banda). A produção musical de estúdio que criou álbuns que foram muito além da experiência auditiva, colocou a equipe de design artístico para trabalhar em cima de cenários fantásticos e psicodélicos (algo que permeia as obras do grupo britânico).

Inspirando-se nos conceitos artísticos apresentados nas capas dos discos e nas letras das músicas, a equipe de criação gráfica da Harmonix produziu sequências de animação que parecem saídas de um “Submarino Amarelo”, realmente um deleite para os sentidos.

Ticket to Ride

Junte-se a banda!Por falar nos gráficos e nos cenários, vale destacar também a progressão do modo carreira. Dividido em capítulos (sete ao todo), a modalidade de jogo segue a banda dos seus primórdios — quando apresentava-se no Cavern Club de Liverpool até o icônico telhado da Savile Row, nº 3 — sede da Apple Corps e local do último “show” dos Beatles, em 30 de janeiro de 1969.

Isso vale não apenas para os cenários, já que as faixas disponíveis em cada capítulo também correspondem ao período temporal da banda. Assim, as trilhas foram distribuídas de acordo com a época — algo que vai apelar diretamente aos beatlemaníacos de plantão.

Revolution

A jogabilidade em linhas gerais, não traz nenhuma alteração, exceto por uma única e significativa adição, a presença de harmonias de três partes. As harmonias aparecem com três linhas, no entanto nenhuma delas é destacada como a principal (lead).

Assim qualquer pessoa pode cantar qualquer segmento vocal.  A única coisa realmente importante é que alguém deve estar cantado o trecho principal, mesmo que sejam os três vocais, sendo essa a única linha que efetivamente lhe tira pontos. Enquanto isso, os vocais de fundo garantem bônus especiais, necessários para elevar a pontuação máxima de cada música.

Get Back

Não há dúvida alguma de que esse é um produto que irá agradar em cheio aos fãs dos Beatles. Se você gosta de video games e é um fã de jogos rítmicos (especialmente da franquia Rock Band), The Beatles: Rock Band é a união perfeita.

Jogabilidade atraente, belos gráficos, músicas de qualidade e uma tonelada de conteúdo extra. São vídeos, fotos, fatos históricos e muito mais. O jogo foi construído desde a sua concepção como mais um objeto de desejo de qualquer beatlemaníaco que se preza. Sem necessariamente se tornar menos atraente para os jogadores alheios ao quarteto de Liverpool.
 


 
Reprovado...

O que espantou o BJ... No mau sentido

The Beatles

Parece brincadeira, mas é preciso lembrar os desavisados, se você não gosto dos Beatles dificilmente irá apreciar esse jogo. Além disso, o título só conta com faixas dos Beatles — é claro, afinal é The Beatles: Rock Band. É verdade que o jogo é voltado para o grupo, porém não seria nada ruim encontrar algumas faixas dos projetos solos de Paul, John, George e Ringo.
 
Não mexa no meu queijo

O cuidado com as propriedades intelectuais dos Beatles, por parte da Apple Corps. Acabou limitando muito as possibilidades do jogo no que tange a personalização de conteúdo e até mesmo na “liberdade da jogabilidade”.
No fundo do mar...

Para evitar quaisquer desvirtuamentos por parte dos jogadores, o título não oferece nenhuma possibilidade de edição de personagens (sendo que os únicos disponíveis são justamente os quatro Beatles). Outro ponto negativo é que você sequer pode utilizar alavanca (salvo nos trechos já presentes nas músicas do grupo) e os diferentes efeitos possíveis em Rock Band 2.

Faturando com os fãs

O conteúdo extra é um dos pontos altos do jogo, porém a quantidade de faixas disponível mostra que o foco dos produtores é faturar algo com os downloads de faixas adicionais.



Avaliação Final

Vale a pena?

Se os jogos rítmicos já são um nicho bem restrito (não abrangendo grande parte dos jogadores hardcore), e The Beatles: Rock band restringe o público ainda mais. É verdade que, na sua essência, o título mantém-se atraente a todos os fãs da franquia Rock Band, no entanto os jogadores que realmente não gostam das músicas dos Beatles não verão grandes atributos nessa empreitada.

No final das contas The Beatles: Rock Band é um ótimo jogo, mas somente se você tiver algum interesse nos seus elementos, seja na franquia Rock Band ou nos Beatles. Mas será que isso é realmente algo negativo?

Halo, Street Fighter e God of War também são restritos a faixas de público bem delimitadas (maiores ou menores) e The Beatles: Rock Band segue o mesmo conceito. Assim, se você é fãs dos Beatles, não há como não gostar do jogo; se você for fãs de Rock Band, também irá gostar de alguns elementos (como as harmonias de três tons).

Compre com o menor preço:
90 ps3
Excelente

Outras Plataformas

90 xbox-360