The Dark Spire
Seu Review foi enviado com sucesso.
Enquanto ele fica pendente de aprovação, dê sua nota para o jogo. Sua opinião é importante para a comunidade!

The Dark Spire

Avaliar este jogo
Voxel
The Dark Spire

The Dark Spire

Fazer review
Nota
da comunidade
Avaliar este jogo
Últimas atividades
Nenhum resultado

Review enviada por

Dica enviada por
Carregar Mais
Ficha Técnica
Data de lançamento 10/03/2009
Classificação
Desenvolvedora Success
Distribuidora Atlus
Número de jogadores 0-0
Sobre
The Dark Spire é mais um desses jogos desconhecidos da companhia, porém desta vez, a Atlus está desenvolvendo um RPG em estilo mais ocidental, algo que foge bastante do estilo clássico do Nintendo DS, que geralmente possui uma ênfase maior nos gostos do público oriental.

O título não tem nada a ver com outros títulos de RPG lançados para o NDS, como Dragon Quest V ou Blue Dragon Plus. Na verdade, o jogo segue o estilo clássico de RPG. Este novo jogo permitirá aos jogadores que já estavam com saudade dos antigos RPGs de gráficos simples e história bem aprofundada, relembrar o gênero com uma boa dose de nostalgia.

The Dark Spire possui um orçamento baixo, mas ainda assim tem seu foco nos jogadores de RPG hardcore. O jogo assemelha-se muito ao título Etrian Odyssey, se passando completamente em primeira pessoa.

O sistema de Dungeon (masmorras, ou labirintos) do jogo é tridimensional, e cada vez que o jogador pressiona o botão “A” ou a seta para cima do teclado direcional, o personagem dá um passo no labirinto.

Isso faz com que o jogador torne-se vulnerável às clássicas batalhas randômicas, nas quais um monstro “brota do chão” quando o jogador passa por um local aleatório do mapa. Este tipo de batalha era o mais utilizado há cerca de quinze ou vinte anos atrás, quando surgiram os primeiros títulos de RPG.

É muito comum em RPGs que uma determinada classe não possa portar certos itens. Um ótimo exemplo disso é que um mago geralmente não pode usar espadas durante as batalhas.

Entretanto, The Dark Spire permite que todos os personagens usem os itens que bem entenderem. Isso pode soar estranho e até libertário demais, mas na verdade a tática dos desenvolvedores é simplesmente genial.

No caso do exemplo acima, o mago perde sua habilidade de fazer magia enquanto estiver portando a arma. Não parece muito sensato, mas na última das opções, quando seu personagem estiver, por algum motivo, inabilitado a praticar feitiços, poderá sacar uma espada e partir para a batalha.
Ver mais