Seu Review foi enviado com sucesso.
Enquanto ele fica pendente de aprovação, dê sua nota para o jogo. Sua opinião é importante para a comunidade!
Avaliar este jogo
Voxel
The Legend of Zelda: The Wind Waker HD
Avaliar este jogo
Review
Avaliar este jogo
Compre com o menor preço:

Sim, é possível aperfeiçoar uma obra-prima [vídeo]

Paulo Guilherme
Videoanálise


Quando foi revelado ao público mais de uma década atrás, The Legend of Zelda: The Wind Waker foi motivo de muitas reclamações devido aos seus gráficos cell-shading (de fato, ele foi um dos primeiros a trazer esse estilo de arte para os games). Mas e não é que o jogo se mostrou um dos melhores capítulos da série Zelda?

Trazendo uma história consideravelmente mais profunda em comparação aos seus antecessores, personagens carismáticos e alguns dos designs de dungeons mais incríveis da franquia, o game foi aclamado pela crítica. Infelizmente, o título também foi um dos que menos venderam devido ao fracasso de vendas que foi o GameCube – a plataforma em que o Wind Waker original foi lançado.

Mas um game como esses não merece permanecer esquecido. E pouco mais de 10 anos depois de seu lançamento, temos finalmente um remake HD do jogo, trazendo gráficos e jogabilidade melhorados.

Img_normal

The Legend of Zelda: The Wind Waker HD reconta a história de Link, um garotinho que, após ter sua irmã sequestrada por um misterioso pássaro negro, parte em uma aventura cruzando os sete mares para resgatá-la. Durante sua jornada, ele descobre um perigo ainda maior: tudo é, na verdade, um plano do terrível Ganondorf, que pretende mais uma vez unir as partes do Triforce para dominar o mundo.

Além da história e jogabilidade que todos já conhecemos muito bem, Wind Waker HD traz um cenário bem diferente do que já vimos na série. Isso porque a Hyrule como conhecemos não existe mais – o reino foi completamente inundado, isolando diversos povos em pequenas ilhas.

Isso, por sua vez, trouxe uma mecânica de exploração completamente nova: no lugar de Epona, Link possui o barco falante King of the Red Lions, com o qual veleja pelo mar. Assim, nosso herói não só pode adentrar algumas das melhores dungeons já imaginadas na série como também de enfrentar navios piratas e coletar tesouros, com sua ajuda.

Img_normal

Agora, será que todas as mudanças feitas pela Nintendo realmente vão conseguir fazer de Wind Waker HD um jogo superior ao original? Para saber essa resposta, o BJ testou o game e trouxe tudo o que há de novo no título, seja bom ou ruim. Confira o que descobrimos logo abaixo.

The Legend of Zelda: The Wind Waker já era uma obra-prima quando saiu. Mesmo errando ao apresentar algumas de suas mecânicas, o game foi quase perfeito em todos os aspectos, conseguindo sobreviver ao teste do tempo como poucos, sem mostrar o menor sinal de idade.

Mas Wind Waker HD consegue ir além: ele pegou aquilo que era bom e tornou-o ainda melhor, ao mesmo tempo em que tira vários dos pontos ruins do game original. Tudo isso faz dele o melhor remake HD já lançado até o momento.

Img_normal

Por isso, se você jogou The Wind Waker no Gamecube, está aí uma chance de reviver a aventura com uma qualidade incomparável. Já para aqueles que nunca tiveram a chance de conhecer o título, essa é sua oportunidade de conhecer um dos melhores capítulos da saga de Link.

Este jogo foi adquirido pelo Baixaki Jogos para a realização desta análise.

Um game antigo com cara de novo

A primeira diferença que qualquer um vai notar em The Legend of Zelda: The Wind Waker HD são os gráficos do game. Enquanto a maioria dos remakes HD apenas se resume a adaptar a aparência do jogo para 1080p, o título trouxe melhorias enormes em sua nova versão.

É como se Wind Waker HD conseguisse trazer gráficos realistas, ao mesmo tempo em que mantém seu aspecto cell shaded. Além das texturas muito mais detalhadas, a iluminação melhorada deu ao game cores muito mais vivas, e agora finalmente temos sombras para todos os objetos de cenário. Mas a arte caricata e as expressões engraçadas continuam ali.

Outro ponto que melhorou bastante, mas que provavelmente apenas quem jogou o TWW original vai notar, está na parte sonora. Várias das trilhas, dos efeitos sonoros e até mesmo das vozes (ou grunhidos, se preferir) foram remasterizados – as músicas continuam as mesmas, mas agora é possível perceber cada um dos instrumentos da melodia em um nível de detalhe incrível.

Navegação suave

Um dos pontos que ficou na memória de praticamente todos que jogaram o Wind Waker original foi a navegação pelos mares. Infelizmente, essa não foi uma marca positiva: lembro bem do tédio que era passar vários minutos viajando lentamente por um mar vazio, sem nada para fazer, apenas para chegar a uma ilha próxima.

Img_normal

Mas a Nintendo cumpriu o que prometeu em Wind Waker HD, fazendo uma série de ajustes para tornar sua jornada menos tortuosa. Para tal, foi adicionada a Swift Sail que, se adquirida pelo jogador na Auction House, dobra sua velocidade de deslocamento e tira a necessidade de alterar o curso do vento com o Wind Waker, já que ventos favoráveis sempre sopram nessa vela mágica.

Mesmo quem não coletou a Swift Sail não deve se incomodar tanto com a lentidão da viagem: a frequência com que os minigames de coletar rupees aparecem é muito maior, servindo como uma boa distração.

Img_normal

A quest final em Wind Waker HD foi outro ponto que foi alterado. No lugar de precisar gastar uma dezena de horas viajando de um lado ao outro do mar, coletando os mapas do Triforce e gastando quantias exorbitantes de rupees para decifrar os mapas com Tingle, esse processo foi limitado a apenas três dos mapas. O resto pode ser adquirido com muito mais facilidade – acredite, você deve reduzir toda a sua jornada consideravelmente com isso.

Pequenos ajustes

Felizmente, a Nintendo não se preocupou apenas em melhorar o ritmo do game como também alterou diversos elementos da jogabilidade. A diferença está nos pequenos detalhes: agora que as empresas finalmente sabem usar os dois analógicos do controle corretamente, é possível mirar ao mesmo tempo em que se move (ou usar o giroscópio do gamepad para tal), por exemplo.

Além de itens como o citado acima, existem várias pequenas melhorias que não foram alardeadas pela Nintendo. Animações de itens foram encurtadas, alterar seu ângulo ao se balançar em uma corda agora pode ser feito em movimento, um indicador da trajetória de seus disparos foi adicionado ao usar o canhão do barco... Enfim, são várias novidades bem-vindas.

Por fim, os veteranos em Zelda ganharam aquilo que tanto sonharam com o Hero Mode. O modo, que está disponível desde o início, traz muito mais dificuldade, uma vez que não há como conseguir mais vida normalmente; apenas poções podem dar conta do recado. Uma ótima notícia para quem sempre quis mais desafio na série.

Quando o controle faz toda a diferença

The Legend of Zelda: The Wind Waker HD pode suportar o Pro Controller do Wii U, mas acredite: embora usar esse controle seja bem mais confortável, devido ao design mais ergonômico, há motivos de sobra aqui para usar o gamepad.

Assim como em vários dos ports para Wii U, Wind Waker HD utiliza a segunda tela adicionada pelo gamepad como um acesso rápido aos menus do jogo (que, aliás, ganharam uma bela repaginada). E quem já jogou algum título da série sabe como é necessário pausar frequentemente para trocar de itens ou checar sua posição em uma dungeon com o mapa.

Img_normal

Usar essa ferramenta se torna algo bastante satisfatório, já que, no lugar de precisar parar toda a jogatina, é só arrastar um item até o botão desejado ou clicar na aba do mapa. Por mais que possa ser necessário pausar o game para trocar seu equipamento em meio a uma batalha feroz, ter a possibilidade de fazer isso sem interromper o ritmo da aventura ajuda a manter o foco do jogador nos desafios do cenário.

Pediu demais do Wii U

Os gráficos impressionantes de The Legend of Zelda: The Wind Waker HD são o ponto mais forte trazido pelo game, mas tanta beleza tem seu preço: quedas na taxa de frames não são incomuns durante animações que possuem efeitos mais espalhafatosos com partículas.

Img_normal

Vale notar, porém, que esse é um problema que não vai assolá-lo o tempo todo. O game roda com suavidade durante a jogatina comum, seja explorando dungeons ou navegando pelo vasto mar de Hyrule; além disso, são poucas as cenas de corte em que efeitos tão exagerados ocorrem. Mas esteja certo de que você vai encontrar alguns slowdowns aqui e ali ao jogar.

Compre com o menor preço:
100 wiiu
Supremo