The Sims 2, ligações familiares e gráficos melhorados.


É desnecessário falar do sucesso da série The Sims 2 e da quantidade de expansões disponíveis. Com um mercado saturado de títulos dedicados apenas a um nicho da população, é natural que games com apelo mais amplo de idade e gênero tenham êxito. The Sims, para os que não sabem, é um simulador da vida, mais especificamente dos eventos corriqueiros que se passam em uma residência, que envolvem desde a procura de um grande amor, a criação de uma família além da escolha pormenorizada da casa e seus itens.

Casa nova, vida nova, gráficos novos

O primeiro ponto que chama a atenção é o caráter despojado e ingênuo do game. A instalação permite aproveitar alguns pequenos mini-games que ambientam o jogador em seu estilo, o que é bastante desejável. Apesar de parecer bobagem, é valido dizer isso para reforçar o descontentamento posterior causado pelo fato do jogo ter impedido sua abertura a não ser que eu desinstalasse meus drives de cd virtuais. Ainda que as empresas possam usar ferramentas para combater a pirataria, elas não deveriam interferir em outros aplicativos que não são objetivamente destinado às práticas ilegais.

O jogo mudou bastante em relação ao seu antecessor. Além dos aspectos gráficos, elementos narrativos foram adicionados, gerando muito mais motivação que o primeiro pois, mesmo com as diversas expansões, não contava com muita coisa além de novas pessoas para interagir e novas bugigangas para serem adquiridas. O caráter, entretanto, mantem-se o mesmo: apelo ingênuo e descontraído, com Sims sempre insatisfeitos com as escolhas do jogador e quase sempre displicentes com suas vidas.

O jogo possui 3 cenários de fábrica, cada um com uma pequena história específica, personagens caricatos, peculiares e não raro com atitudes misteriosas e ocultas. Apesar de possibilitar muitas horas de jogo, pelo fato de não ter um final propriamente dito, a Maxis deveria ter adicionado mais deles, justo pela facilidade técnica em sua fabricação. Ainda assim, novos cenários podem serem construídos através de um editor incluso.

Após isso, é possível escolher uma dentre as famílias prontas ou criar a sua. Neste ponto, é possível personalizar a fundo cada um dos integrantes, indo desde a opção pelas face até a maquiagem, passando por tatuagens e acessórios, alternativas que consumirão bastante tempo (do jogador). Quanto à face, é possível modificar minuciosamente todos os contorno e formatos, além da cor da pele, tipo de penteado e cor de cabelo. Infelizmente não existe a possibilidade de usar todo o espectro de cores, seja com a pele, com o cor dos olhos, roupas e cabelo. É fácil também cometer deslizes, fazendo com que o rosto se torne disforme; um sistema de histórico, com cada modificação seria muito mais que bem-vindo.

Muitas bugigangas, úteis ou não, para todos os gostos

Existem várias comunidades na internet que se aproveitam da plataforma de criação de itens para disponibilizar acessórios, papéis de parede, objetos e novas roupas. A presença desta ferramenta de criação ameniza bastante a falta de opções do game original, além de realmente permitir personalizar o personagem ao gosto de cada um. No site oficial é possível divulgar e compartilhar a história da família, fotos e vídeos (estes dois últimos feitos a partir do próprio jogo). Conclui-se assim que muito do que pode ser aproveitado só é possível através da internet.

Ainda na criação de personagens, é possível escolher o signo e o desejo principal, que vai desde a ambição por dinheiro até o romance, conhecimento e popularidade. Cada um destes elementos vai definir todo o comportamento da criatura: se ela é preguiçosa, organizada, simpática, desanimada, amorosa ou dedicada. Consistindo em um dos principais focos do jogo, define muito do que o jogador vai comprar e com quem vai se relacionar. É legal montar uma grande família com características distintas, apesar do trabalho de mantê-los unidos e sem brigas. Infelizmente não existem níveis de dificuldade sendo que o dinheiro disponível para a aquisição da casa deveria variar conforme o número de integrantes.

Após tudo isso, a primeira missão do jogador será comprar os itens básicos de qualquer casa e encontrar um emprego, seja pela internet ou pelo jornal. Mesmo que as primeiras ofertas não sejam tão tentadoras, o personagem tem a possibilidade de evoluir na carreira, melhorando as condições de trabalho e os horários. Passará a ter, portanto, mais tempo para comprar móveis e eletrodomésticos. Estes, todavia, não assumem meramente um papel decorativo, exigindo muitas vezes um bom planejamento estratégico antes. Crianças podem se tornar preguiçosas e indispostas a estudarem após a compra de uma tv de plasma, por exemplo. Consome algum tempo para que o jogador aprenda a lógica que rege o posicionamento dos elementos da casa. Uma porta mal colocada pode inutilizar o banheiro inteiro e o posicionamento incorreto de uma escrivaninha impede o uso do computador, por exemplo.

Amigos, anseio na vida real, no jogo também

Outra possibilidade é a presença de namoros, fazer “Oba Oba” e gerar filhos! A mulher grávida dá uma nova dinâmica ao jogo, provocando típicos eventos das mulheres grávidas, desejos alimentares e algumas discussões. Os personagens crescem, e com isso suas vontades mudam substancialmente. No caso dos adolescentes, passam das brincadeiras de criança com os pais para romances com pessoas da vizinhança. A morte não é o fim do jogo, pois os casais podem ter filhos que herdam as características dos pais, principalmente as comportamentais. Existe bastante interação com vizinhos e amigos, festas podem ser dadas, pode-se chamar o diretor da escola para pedir uma bolsa para o filho, além de mudar para outra casa. Infelizmente não é possível o passeio pela cidade inteira, e sim somente chamar um táxi e ir a um local público como shopping ou parque, detalhes que adicionam bastante ritmo e aumentam as possibilidades de aumentar o círculo social e suprir os desejos de cada um dos sims.

Um dos principais pontos negativos do jogo são os controles lentos. Além da rotação de objetos ruim, nem sempre é possível saber para qual lado ele deve ser direcionado. A câmera possui uma resposta lenta e a performance não é das melhores, mesmo nos micros mais rápidos. Esses travamentos não ocorrem somente nos momentos em que existem muitas pessoas na tela ou quando a casa está cheia de coisas, mas também nas vezes que o modo mais rápido de passagem de tempo é escolhido.

Os gráficos são bons, os movimentos dos personagens estão variados e a modelagem dos corpos é bastante satisfatória. Os sims estão muito mais expressivos e com movimentos diversos, sendo que cada abraço, conversa e atitude tem uma certa conotação específica. O apelo estético é o mesmo, muitas cores e um visual pueril e alegre.

A trilha sonora da apresentação e dos menus principais lembra bastante os desenhos animados dos mais alegres, induzindo somente boas vibrações ao jogador. No jogo, entretanto, além dos efeitos sonoros, o que se ouve é o que está ligado do rádio ou no aparelho de som, cabendo ao jogador escolher o ritmo que vai do mambo ao heavy metal. O idioma característico dos Sims, o Simlish, adquiriu novas variâncias, com tonalidades e intenções das mais diversas.

Ao final de algumas horas, o jogo começa a cansar, sendo apenas uma distração para aqueles que não desejam se embrenhar em histórias mais complicadas e desgastantes. Além disso, The Sims 2 possui inúmeros pacotes de expansões que provocam uma dose razoável de sobrevida ao game. Em suma, o jogo é despretensioso e consegue de fato divertir a mais variada gama de pessoas.


85 pc
Ótimo