Tinta para todo lado em um conto repleto de imaginação [vídeo]

Gameplay BJ


Desde as primeiras notícias, The Unfinished Swan despertou nossa curiosidade, afinal, o game foi anunciado como mais um exclusivo da PlayStation Network que abusaria da arte para criar uma experiência inovadora.

Esta semana, finalmente pudemos conferir o trabalho da desenvolvedora estreante Giant Sparrow e, para ser sincero, gostamos muito deste novo título para PS3. A ideia principal do game é fazer o jogador explorar um universo desconhecido, ao mesmo tempo em que descobre detalhes sobre uma história muito bonita.

A experiência que tivemos com The Unfinished Swan foi muito boa. A história muito bem contada, os personagens imaginários e a inovação na descoberta do cenário são detalhes que fazem deste game um título muito divertido. Se você gosta de ideias novas, com certeza a aventura de Monroe vai ser um prato cheio.

Entretanto, se você é do tipo que prefere jogos mais extensos e com diversidade de missões, então, o game pode não agradar tanto. De qualquer forma, caso surja uma oportunidade, vale conferir um pedacinho do título para entender como simples detalhes podem fazer toda a diferença.

O cisne invade o reino

Monroe é o personagem principal desta aventura que explora o imaginário. Na história, este garotinho de dez anos perdeu sua mãe e, com isso, acabou indo morar em um orfanato. Como herança, o jovem rapaz pôde ficar com um dos quadros inacabados de sua mãe. O quadro escolhido era justamente o de um cisne.

Na tentativa de finalizar a obra, Monroe acaba entrando de cabeça em um mundo imaginário. Como se estivesse vivendo em um sonho, o menino encontra pegadas do cisne por todas as partes. Aos poucos, você vai descobrindo que o misterioso local é, na verdade, um reino.

Claro, um rei é responsável por este ambiente inusitado, e para explicar um pouco sobre esse personagem e a viagem imaginária, The Unfinished Swan abusará de explicações malucas. A história do game é contada aos poucos, sendo que você descobre mais detalhes conforme encontra quadros espalhados pelo ambiente.

Pintando o desconhecido

Ao iniciar o primeiro capítulo do jogo, alguns detalhes básicos da história de Monroe são apresentados. No entanto, depois de uma curta apresentação, a tela fica totalmente branca. Aqui, a jornada pelo imaginário já começou, mas somente ao pressionar um dos gatilhos do controle é que você vai conseguir enxergar algo na tela.

Para quem não tem ideia alguma sobre a proposta do jogo, a descoberta do cenário através do arremesso de tinta é uma grata surpresa. De início, esta experiência é um pouco confusa, pois tudo é tão oculto que existe certo receio de avançar na fase e deixar algo importante para trás.

Pois bem, após alguns movimentos, o ambiente revelado com tinta preta é fascinante. Existe um reino muito grande por trás desta imensidão de tela branca. De início, o local é muito limitado ao preto e branco, mas, depois, o jogo deixa o monocromático e introduz novas cores e elementos para dar mais vida ao cenário.

Um universo recheado de criatividade

Ao progredir pelo sonho, The Unfinished Swan apresenta novidades para que o jogador possa explorar mais e se divertir usando recursos diferentes. Em alguns capítulos, você poderá usar água para regar plantas; em outros, é necessário explorar ambientes noturnos e escapar das garras de terríveis criaturas que se escondem na escuridão.

Para embalar esta incrível jornada, o game oferece uma trilha sonora condizente com as situações inesperadas. As músicas são relaxantes e incentivam o jogador a continuar explorando. Felizmente, a sonoridade do game é balanceada, sendo que em alguns momentos, você pode desfrutar do silêncio.

A viagem é muito curta e pode ser cansativa

The Unfinished Swan é um jogo que diverte e mantém o jogador atento aos mínimos detalhes, contudo, o game não traz uma história muito longa. É perfeitamente possível chegar ao fim da jornada em apenas duas horas. Evidentemente, se você for buscar todos os balões secretos, o tempo de jogo pode ser um pouco maior.

Não bastasse a duração da história, o jogo não inova muito na jogabilidade. Ainda que traga alguns elementos para colaborar e deixar a exploração diversificada, você não tem que fazer nada além de andar, jogar tinta, pular e, em algumas ocasiões, adicionar elementos ao cenário.

Img_normal
Para finalizar, devemos ressaltar que The Unfinished Swan parece ser um jogo voltado ao público infantil. Não nos referimos aqui à história ou aos personagens, mas precisamos enfatizar que não há qualquer dificuldade no game. Além de poucos, os puzzles são muito fáceis.

Talvez, a real dificuldade esteja apenas em encontrar os balões escondidos, isso se você não usar um item extra que avisa quando um balão está próximo.

75 ps3
Bom