Análise de The Wolf Among Us — Episode 3: A Crooked Mile

O caminho tortuoso em direção ao fim

Terceiro episódio da série The Wolf Among Us, A Crooked Mile se inicia a partir do momento em que se encerra “Smoke & Mirrors” (cuja análise você pode conferir clicando aqui). Após descobrir quem é o responsável pelos assassinatos que estão perturbando os moradores de Fabletown, Bigby Wolf começa a seguir a trilha que o leva a localizar e prender o suspeito — no entanto, fica cada vez mais claro que o xerife se meteu em algo que envolve muito mais do que a morte de algumas prostitutas.

O game representa um ponto de transição para a história criada pela Telltale, amarrando as pontas soltas mostradas nos dois primeiros capítulos ao mesmo tempo em que cria a base para o que será mostrado nos episódios derradeiros. Apesar de possuir um começo eletrizante, o título assume um ritmo mais lento de maneira a dar mais espaço para alguns personagens, o que permite aos roteiristas explorar aqueles que não têm muito destaque em Fábulas, quadrinho que serve como base para a adaptação.

Um mundo ainda mais violento

Embora os dois primeiros capítulos de The Wolf Among Us já mostrassem doses generosas de violência, em “A Crooked Mile” esse elemento se mostra especialmente aguçado. Marcado por um grande confronto em seu final (e uma cena mais curta logo em seu começo), o jogo não tem qualquer receio de exibir ossos quebrados e corpos ensanguentados para mostrar que o que acontece deve ser levado a sério.

Esse caráter mais violento também se revela na maneira como os personagens interagem entre si, muito disso se devendo ao fato de que o capítulo explora melhor a relação entre Bigby e as fábulas “excluídas”, cujas personalidades ganham um maior ar de complexidade. Especialmente interessante é a conversa sobre preconceito que o protagonista trava com outra personagem, durante a qual ele reconhece que também se sente excluído e que, apesar de seu cargo atual, ele também “andou sem calças por aí” durante muito tempo.

Talvez “tensão” seja a palavra que melhor descreve o clima transmitido por esse terceiro capítulo. Praticamente todos os diálogos do capítulo carregam certo tom de urgência e parecem que, a qualquer momento, podem desandar para a violência física — algo que não raras vezes acaba se concretizando.

Para reforçar essa sensação, o game conta com um contador de tempo que, embora não afete realmente o ritmo dos acontecimentos, é eficiente em criar a ilusão de que Bigby não pode perder muito tempo caso deseje encontrar o assassino de Fabletown antes que ele escape. Quando isso finalmente acontece, o jogo nos brinda com um dos melhores momentos da série, que serve bem para marcar a reviravolta que deve dar o tom de seus capítulos finais.

Escolhas relevantes

Embora A Crooked Mile abandone alguns dos elementos de quebra-cabeça vistos em “Smoke & Mirrors”, o título retoma o sistema de escolhas visto no primeiro episódio, “Faith”. Em determinado momento da trama, é preciso decidir um entre três locais possíveis que você deve visitar antes — ficando alerta ao fato de que o personagem Bluebeard obrigatoriamente vai se dirigir a outra localização e possivelmente acabar com as evidências presentes nela.

Mesmo que na prática isso não influencie o final da trama, essa decisão implica não somente em mudanças na forma como o protagonista descobre o que deve ser feito, como determina se haverá a aparição de um dos personagens mais importantes e carismáticos da série Fábulas. Assim, quem é fã dos quadrinhos ou simplesmente quer saber tudo sobre A Wolf Among Us tem praticamente a obrigação de jogar o capítulo ao menos duas vezes de forma a conferir tudo o que ele tem a oferecer.

Vale notar que, embora escolhas feitas no passado não aparentem ter tanta relevância no momento atual, elas continuam ditando a maneira como os demais personagens encaram Bigby. Um detalhe interessante nesse sentido é o fato de que a Telltale parece notar que já há certo desgaste nas mecânicas que o estúdio costuma empregar, o que resulta em algumas brincadeiras, como a exibição da frase “ele não vai se lembrar disso” após uma pessoa pegar no sono graças à embriaguês.

Fórmula ligeiramente desgastada

Apesar de o ritmo mais lento de A Crooked Mile não incomodar, o fato de que o capítulo repete quase à risca a estrutura dos anteriores serve como prova de que seguir fórmulas pré-determinadas nem sempre contribui para a criação de uma experiência imersiva. Quem já acompanhou The Wolf Among Us até aqui vai saber exatamente o que esperar: uma trama interessante que segue um determinado preceito até determinado ponto, somente para que uma reviravolta mude as cartas em jogo nos momentos finais do episódio.

O maior problema nesse sentido é o fato de que, desde o momento em que o capítulo se inicia, fica claro que a investigação feita por Bigby se baseia em preceitos ligeiramente errados e que faltam dados para ele montar a trama como um todo — algo que o personagem não percebe, mas que fica claro ao jogador, especialmente para aqueles que já sabem o destino de determinados personagens em suas encarnações no quadrinho Fábulas.

Base para a conclusão

Realizando de forma competente a transição entre a primeira e a segunda parte de The Wolf Among Us, “A Crooked Mile” encerra muitas das pontas soltas da trama ao mesmo tempo em que dá o direcionamento necessário para que ela chegue a sua conclusão. No entanto, isso não se mostra suficiente para esconder o fato de que esse é o capítulo mais fraco da série até o momento, principalmente por ele não adicionar nenhuma novidade em matérias de mecânicas ou de narrativas.

Exigindo aproximadamente uma hora e meia para ser finalizado, o episódio dá a impressão de que deve funcionar de maneira mais competente para quem tiver a oportunidade de conferir a série da Telltale em sua integridade do que para aqueles que estão seguindo os capítulos conforme eles são disponibilizados pelo estúdio. Talvez o grande problema seja o fato de que, embora interessante, a trama apresentada obrigatoriamente tenha que ser comparada àquilo que foi apresentado anteriormente pela empresa — processo que resulta em uma derrota para o lançamento.

No entanto, isso não significa que “A Crooked Mile” seja ruim, muito longe disso: o título simplesmente não consegue ter o mesmo impacto de seus antecessores. Agora, resta esperar que os desenvolvedores consigam entregar as promessas feitas pela série até o momento e que os últimos capítulos de The Wolf Among Us fechem de maneira competente a trama apresentada até o momento.

80 pc
Ótimo
"Fechando pontas soltas de capítulos anteriores, A Crooked Mile dá início à etapa final da série da Telltale"

Pontos Positivos

  • Desenvolve bem o relacionamento entre personagens
  • Aparição de figuras conhecidas do universo Fábulas
  • Amarra pontas soltas de capítulos anteriores

Pontos Negativos

  • Após três capítulos, fórmula narrativa da série apresenta desgastes
  • Ritmo lento pode desagradar

Outras Plataformas

80 ps3
80 xbox-360