Seu Review foi enviado com sucesso.
Enquanto ele fica pendente de aprovação, dê sua nota para o jogo. Sua opinião é importante para a comunidade!
Avaliar este jogo
Voxel
Titanfall
COMUN.
95
VOXEL
Titanfall
Avaliar este jogo
Review
Avaliar este jogo

Prepare o fôlego para uma batalha insana de robôs!

Fabio Jordão

Videoanálise

No ano passado, durante a E3 2013, a Electronic Arts anunciou um game que prometia revolucionar o gênero FPS. Este jogo era Titanfall, que de lá pra cá ganhou notoriedade por sua proposta inusitada: uma guerra futurista com robôs gigantes.

Focando no multiplayer, o jogo coloca você em partidas dos mais variados tipos para batalhar pela milícia ou por uma corporação. A ideia, em uma época em que todos necessitam de um lugar para morar, é que somente uma das equipes vai sair vitoriosa e poderá dominar a região extraterrestre.

Como você pode imaginar, o game não é um FPS totalmente diferente que exigirá que você aprenda tudo do zero, ou seja, a fórmula não é completamente nova, mas não há dúvidas de que uma guerra entre robôs sinistros é muito atraente e pode sim dar muito certo.

Será que Titanfall é realmente revolucionário? Seria este o seu próximo jogo de FPS? Vamos descobrir se essa guerra de robôs é o grande game do Xbox One e se ele pode ser considerado um dos melhores títulos do gênero para os computadores!

Uma história rasa

É difícil começar uma análise sem falar primeiramente do enredo proposto. Assim, nosso primeiro parecer a respeito de Titanfall é um pouco negativo. Antes de qualquer coisa, é importante relatar que o jogo não foca no single player, sendo que não há modo offline para um único jogador.

O pior é saber que a desenvolvedora tomou essa decisão baseada no perfil da maioria dos jogadores. Em entrevista, o pessoal da Respawn comentou que eles verificaram que a galera está ali apenas pelo multiplayer, portanto o projeto foi focado em oferecer a melhor experiência para jogatina em grupo.

Bom, quanto à história, podemos dizer que ela é bem curta. É possível repetir a campanha para jogar com os dois times disponíveis, mas a história não ganha detalhes adicionais. O enredo de Titanfall foi definitivamente deixado de lado. Resultado: você não vai saber muito mais do que alguns detalhes sobre a história.

Basicamente, o plano de fundo é o combate entre dois grupos: a milícia e uma corporação mineradora. Os dois disputam espaço em um planeta distante rico em recursos. No desenrolar dos fatos, acontece um ou outro capítulo de invasão, captura de alguns soldados inimigos e outras missões bem básicas.

O vídeo de introdução de Titanfall é genial, digno de uma produção hollywoodiana, mas o restante da história é mostrado através de alguns diálogos que acontecem antes das missões. Há também um resumo de cada capítulo na tela de seleção das fases, porém a história não fica bem esclarecida e força o jogador a buscar mais detalhes na internet.

Hora de batalhar

Chegar com a promessa de revolucionar e ficar superior ao que já foi apresentado até agora (inclusive Battlefield 4, que também foi lançado na nova geração) não é tarefa fácil. Podemos dizer que Titanfall não é um FPS completamente diferente de tudo o que você já viu, mas a mecânica e alguns comandos são diferentes e podem sim conter o ânimo necessário para os jogadores que estão cansados dos títulos do gênero e também para os novatos.

Bom, vamos falar do jogo. Após ver a introdução, o game tem um tutorial bem rápido e direto que vai ensiná-lo a controlar seu piloto e a usar os titãs. Durante o treino, você começa a sentir a liberdade que o jogo oferece. Os personagens do game são rápidos, podem correr pelas paredes e dar pulos duplos. Todos esses movimentos são possíveis graças aos jetpacks.

Piloto e titã se completam. O robô é uma extensão do soldado, por isso o jogador não sente dificuldade ao controlar esta máquina de guerra. Os titãs não podem pular, mas há como se movimentar rapidamente com o uso dos jetpacks, que dão impulsos e permitem combates ágeis contra humanos e outros robôs. Os combates de robôs são os mais divertidos.

Ficamos impressionados com os poderes dos titãs, que não se restringem apenas ao armamento pesado. É possível, por exemplo, parar balas com o escudo vórtice (o efeito é muito parecido com o do personagem Neo segurando os projéteis no ar no filme “Matrix”), usar mísseis automáticos e despistar adversários com fumaça elétrica.

Quer mais? Você pode pisar nos pilotos inimigos, derrotar múltiplos soldados com um único disparo e cair na porrada com outros titãs. As armas dos titãs são brutais e fazem verdadeiros estragos. Ao evoluir, você desbloqueia novos chassis, armas e truques, o que deixa o jogo bem divertido. Não é de se duvidar que a desenvolvedora adicione mais recursos em um DLC.

Os pilotos também não são indefesos. Antes de iniciar as partidas, você pode escolher três armas: uma principal, outra reserva e uma antititã. Para ter alguma chance contra os titãs, você pode usar uma camuflagem que impede que os robôs o vejam — é um sistema digital que impede que a visão do titã veja seu personagem.

As armas para derrubar titãs são violentas, mas é preciso disparar muitos tiros para acabar com uma máquina desse tamanho, portanto é preciso usar a inteligência e bolar uma tática antes de querer mostrar para um titã quem manda no pedaço.

Quem for ágil pode até subir em um titã inimigo e entrar no modo rodeio. Dá para pra cavalgar no robô (tem até medalha pra isso) e derrubá-lo ao arrancar uma parte da carcaça e explodi-lo. É o que o jogo chama de cirurgia cerebral. Você também pode pegar carona em titãs do seu time, usando a mobilidade do gigantão a seu favor.

No combate contra outros pilotos, a camuflagem acaba não sendo muito eficiente, pois ela não o deixa invisível aos olhos humanos. Nessas situações de combate contra humanos, você pode usar metralhadoras, rifles e pistolas.

É curioso que Titanfall também foi cuidadosamente pensado para atrair um novo público que atualmente tem medo de entrar nas partidas por conta dos viciados de plantão que impedem o sucesso. Para esses jogadores, o título tem armas automáticas que ajudam a matar múltiplos inimigos sem que seja preciso mirar. As balas fazem curvas!

Ao mesmo tempo em que esse recurso ajuda alguns jogadores, ele deixa outros com muita raiva, pois você acaba sendo pego de surpresa por um tiro que normalmente não teria como ser disparado, visto que normalmente os projéteis seguem um curso reto.

Modos clássicos

Apesar de todos os rounds serem mais animados por conta dos robôs, Titanfall não é muito inovador nos tipos de missões. Você pode jogar nos modos: exaustão (no qual todo mundo pontua ao matar qualquer tipo de inimigo), sobrevivência de titãs (o último time a ter titãs em pé ganha a partida), caçador de pilotos (só vale matar outros pilotos), captura da bandeira, ponto de controle e pacote variado (que tem missões aleatórias).

O que mais deixa o jogo divertido é o ritmo das partidas. Titanfall parece que é um jogo que trabalha com muita adrenalina. As partidas duram cerca de 10 ou 15 minutos, mas é tempo suficiente para guerrear varias vezes com seu titã e correr muito pelos cenários.

No campo de batalha, ninguém fica sem fazer nada. Mesmo quem está iniciando no gênero pode se dar bem, pois há soldados controlados pela inteligência artificial que concedem pontos e deixam a guerra mais desafiadora.

Após evoluir um bocado, você desbloqueia desafios e cartas. Os desafios são missões que garantem mais pontos de experiência (que desbloqueiam novas habilidades e armas) e prêmios diversos.

As cartas são recursos adicionais que ajudam você nos momentos de apuros. Há cartas para trocar a arma primária, deixar o personagem mais rápido, equipar o titã com um arsenal mais poderoso e assim por diante. Elas devem ser equipadas antes do início das partidas e cada jogador pode usar no máximo três cartas por round.

Titanfall funciona com um sistema de evolução que motiva o jogador a continuar batalhando. A cada 50 níveis, seu piloto passa pelo processo de regeneração, o que garante novas insígnias e o leva a jogar ainda mais para continuar evoluindo. Ao todo, você pode passar por 10 regenerações, o que significa uma evolução de 500 níveis.

Um universo magnífico de grandes proporções

Titanfall compensa a falta de história com um universo surpreendente. Os ambientes são enormes e muito criativos. Há cenários com dinossauros, dragões, construções abandonadas e outros elementos que deixam os ambientes bem diversificados. O céu sempre apresenta alguma característica inusitada, como destroços de corpos celestes e naves trafegando.

Quem está acostumado com jogos de segunda guerra pode estranhar a proporção dos níveis de Titanfall. Por se tratar de outro planeta, tudo é gigante. As fases são de proporções exageradas e oferecem espaço suficiente para você correr, se esconder e travar batalhas insanas entre grandes grupos de soldados.

Esses ambientes enormes foram projetados principalmente para dar espaço para os titãs participarem das batalhas. Você pode entrar em becos ou guerrear em cenários abertos, mas o tiroteio nunca para.

Ao explorar os ambientes, pudemos observar de perto a qualidade gráfica do game. Os visuais são magníficos e ficamos impressionados que a engine Source ainda tem tanto a oferecer. A luminosidade, as sombras, os efeitos de fumaça e quase todos os detalhes receberam atenção especial.

Apesar de ser muito bonito, o game não é um primor visual e você pode acabar vendo uma ou outra textura de baixa qualidade. Achamos importante citar esse tipo de problema, pois este é um jogo de câmera em primeira pessoa, portanto você vai acabar vendo muitas texturas de perto, o que não esperávamos ver em um jogo da nova geração. Além disso, não há destruição de cenário.

Xbox One vs PC

Boa parte de nossa análise foi feita no computador, mas, ao verificar muitas instabilidades nos servidores, resolvemos experimentar o jogo no Xbox One. Foram quase dez horas de jogatina alternando entre as duas plataformas, o que nos permitiu ter uma boa ideia da experiência no console e no computador.

Para falar a verdade, o game roda muito bem no Xbox One e as diferenças visuais não são significativas. A resolução não é tão avançada, há alguns efeitos e filtros com qualidade inferior, mas os gráficos ainda estão impressionantes.

A jogabilidade no console foi muito bem trabalhada. O controle atende a todos os comandos de forma fácil e prática. É bem fácil se adaptar com a mira e os tantos botões. Claro, a rapidez no gatilho do controle não é tão eficiente quanto no mouse, mas não tivemos dificuldades em batalhar em algumas partidas no console da Microsoft.

Um jogo imperdível

No fim das contas, Titanfall acabou nos surpreendendo muito! Este é certamente um dos jogos mais promissores da nova geração. O game não é totalmente inovador, mas a ideia de uma guerra com robôs é genial e funciona muito bem.

A Respawn conseguiu equilibrar todos os recursos, permitindo que novatos sejam bem-vindos no campo de batalha. Os cenários gigantes oferecem campos de batalha diversificados. Com certeza, Titanfall é um dos games mais divertidos da atualidade.

Podemos arriscar que este é o melhor jogo para Xbox One até o presente momento. Para quem joga no computador, Titanfall é um título imperdível, sendo um dos melhores FPS dos últimos anos. Tirando alguns deslizes nos gráficos e a história, que foi deixada de lado, acreditamos que o game tem tudo para agradar aos jogadores fascinados por um bom tiroteio.

Com a promessa de pacotes de expansão e conteúdos adicionais, o jogo promete ter muitas batalhas pela frente. Se você tem um Xbox One, um PC robusto ou um Xbox 360, pode ter certeza de que Titanfall é um dos melhores produtos que você pode adquirir.

95 pc
Excelente
"Novatos e veteranos em um mesmo campo de batalha com titãs prontos para um combate sem fim! Seja bem-vindo ao melhor FPS da nova geração!"

Pontos Positivos

  • Gráficos de nova geração
  • Ritmo de jogo acelerado
  • Robôs gigantes!
  • Sobrevivência de titãs é muito divertido

Pontos Negativos

  • Faltou contar a história

Outras Plataformas

95 xbox-one