Você pode até torcer o nariz, mas seu priminho vai adorar

Você conhece aquela história de que “jogos baseados em filmes normalmente são ruins”? Provavelmente, deve saber muito bem disso — se não souber, o TecMundo Games veio salvá-lo. Na atual geração, o mundo foi “presenteado” com títulos de peso como G.I. Joe: The Rise of Cobra e Hellboy: The Science of Evil. O peso, neste caso, pode ser responsável por afundar sua vida em tristeza e amargura.

OK, menos, TecMundo Games. Felizmente, temos alguns títulos que conseguem  transmitir um pouco das telonas para os consoles. Estamos falando dos jogos baseados em filmes para um público mais jovem. Se você frequenta o nosso site, então provavelmente deve se lembrar de Disney-Pixar Up, game baseado em Up! Altas Aventuras que aterrissou em várias plataformas e foi bem recebido pela equipe do TecMundo Games.

Sim, estamos falando de jogos direcionados a crianças. Ou seja, nada de elementos extremamente profundos, como níveis ao estilo RPG ou qualquer outra coisa comumente encontrada em games para Xbox 360 e PlayStation 3. Mas, dentro de seus limites, Up! Se sai muito bem, assim como diversos outros títulos.

Img_original

Agora, a mesma galera responsável pela aventura traz de volta um dos filmes mais marcantes quando o assunto é animação em CG. Toy Story 3 já está nas telonas, sendo aclamado tanto pela crítica especializada quanto pelo público em geral. Quem ainda não pôde conferir a nova aventura de Woody e Buzz pode procurar pelo game baseado no filme. Mas, antes disso, dê uma olhada em nossa análise de Toy Story 3 (o jogo), é claro.

Quando vi que Toy Story 3 era o próximo título a ser analisado por mim, me lembrei de Disney-Pixar Up, conforme mencionado anteriormente, e do primeiro jogo baseado em Toy Story que joguei, ainda no Super Nintendo. Criou-se uma expectativa que, de certa forma, foi suprida pelo título. Mesmo que alguns elementos tenham surgido de maneira diferente da qual imaginei, a essência estava lá: um mundo colorido por gráficos legais, a perspectiva em terceira pessoa e o bom e velho estilo plataforma.

Mas, além disso, Toy Story 3 também mostrou algo a mais. Mesmo com alguns problemas relacionados aos controles e uma campanha curtíssima, o game ousa ao trazer os elementos do mundo aberto para um gênero tão conciso e estereotipado. Woody e sua turma não conseguem trazer um impacto equivalente ao causado nas telonas, mas, mesmo assim, não faz feio — principalmente para seu irmãozinho ou filho.

Toy Story 3 pode não ser o melhor jogo de todos os tempos, mas seu irmãozinho ou filho certamente vão se divertir com Woody, Buzz e sua turma. Um game simples que consegue inovar dentro de seus limites, mas que tem seu voo impedido por alguns problemas na jogabilidade e no sistema de missões. Contudo, nada melhor para quem quer passar um tempo a mais ao lado desta grande série.

Ao infinito e além!

Um dos elementos mais marcantes de Toy Story 3 é sua fidelidade ao filme. Não, não estamos falando do roteiro em si, mas das dublagens e do próprio estilo do game. Na versão para PC, temos um jogo completamente em português, com direito às atuações fantásticas de dubladores como Marco Ribeiro e o espetacular Guilherme Briggs, no papel de Woody e Buzz, respectivamente.

Fora isso, todos os personagens vistos nas telonas também aparecem nos consoles. O melhor de tudo é que quem cuida de suas vozes no cinema também repete o trabalho no PC, deixando o título muito mais amigável — principalmente para as crianças.

Além do mais, quem já assistiu ao terceiro filme perceberá vários momentos das telonas no game — tudo isso sem grandes spoilers (revelações do enredo). Até mesmo a direção das cut scenes é análoga à versão para os cinemas. Tudo isso sem contar o estilo dos menus e o dos cenários em geral. Em suma, Toy Story 3, o jogo, é inconfundível.

Mesmo com uma trama não tão impactante quanto a dos cinemas, o título também consegue prender o jogador, principalmente pela grande variedade de extras e pelo estilo inusitado das missões e modos de jogo.

Brinquedos para todos

Em relação à jogabilidade, Toy Story 3 se comporta como muitos outros jogos baseados em filmes “tranquilos” que encontramos por aí. Não há segredo, basta pegar no controle, saltar, escalar e atacar com bolas de borracha. Contudo, o jogo traz algumas habilidades específicas para cada personagem. Buzz, por exemplo, pode lançar seus amigos para longe, permitindo o acesso a locais de difícil alcance. Já Woody usa seu chicote para agarrar em objetos, enquanto Jessie é a mais habilidosa nos momentos de plataforma.

Há também alguns outros brinquedos que acabam fazendo parte da jogabilidade. Bala no Alvo, por exemplo, é a fiel montaria de Woody que cabe muito bem em diversas missões do game. Já Buzz apela para seu raio laser, enquanto os Soldados são lançados para que o jogador possa cumprir determinados mini games.

Além das fases tradicionais, na qual o jogador segue, de modo linear, a trama proposta pelo título, controlando Woody, Jessie e Buzz, também temos o modo Toy Box. Aqui você tem a chance de literalmente brincar com o jogo. É possível explorar livremente o local para encontrar novas missões, conversar com outros brinquedos, participar de mini games e muito mais. Não é à toa que o modo se chama Toy Box (caixa de brinquedos, em português).

Img_original

Fora esse modo, que garante boas horas de diversas, graças à variedade de missões e ao sistema de personalização, Toy Story 3 conta com oito níveis que levam apenas algumas horas para serem completados. Mas, é realmente o Toy Box que prenderá sua atenção, já que é possível customizar praticamente tudo, alterando o tema para outros filmes famosos da Pixar, e ainda encontrar vários itens desbloqueáveis. O título apresenta também um modo multiplayer, permitindo que outro jogador entre no game quando bem entender.

A alma de Toy Story

Sem dúvidas, grande parte do impacto de Toy Story é ocasionada pelo visual atraente, assim como pela trilha sonora. Mais uma vez, Randy Newman empresta sua voz e seus dotes musicais para os fãs se deliciarem com diversas versões distintas de You Got a Friend in Me, faixa principal de Toy Story.

Durante o jogo, a reprodução dos brinquedos e do estilo colorido e alegre de Toy Story também é explícita. Muitos dos ambientes também aparecem no filme, enquanto outros poderiam se encaixar perfeitamente numa próxima aventura das telonas. 

Brinquedos quebrados

Talvez o maior ponto negativo de Toy Story 3 seja o esquema de controles — principalmente quando o jogador deve mirar para atirar. A mira do game é completamente imprecisa e se move de maneira irregular, sem a suavidade de qualquer outro título que possua um retículo controlável. Além disso, nos momentos em que a câmera é fixa o jogador pode se atrapalhar. Os veículos também são relativamente difíceis de serem domados.

Img_original

Só isso?

É claro que Toy Story 3 é um jogo dedicado ao público infantil. Mas, mesmo assim, depois de algumas horas fica fácil enjoar do título. Procurar pelas missões no modo Toy Box pode ser algo entediante, já que, às vezes, não há orientação. Fora isso, há apenas oito missões na campanha principal.

Muitas das missões propostas por esse modo envolvem a famosa fórmula “procurar, coletar e receber a recompensa”. Ou seja, a única mudança estará no objeto em si, mas o sistema é sempre o mesmo, obrigando o jogador a procurar por determinados itens e trazê-los de volta ao requisitante. É claro que um pouco mais de profundidade seria muito bem-vindo.

Compre com o menor preço:
70 pc
Bom