Ação rápida e gráficos bons são os pontos fortes de UT 2004, um dentre os melhores jogos de tiro já criado.

Dando prosseguimento à tradição de jogos super rápidos, mortes e mais mortes quase instantâneas, armas de toda espécie, além de um cenário dark estimulado por sons pesados, Unreal Tournament 2004 vem agregar ainda mais diversão ao gênero tiro em primeira pessoa.

Futuro cheio de sadismo, como não poderia deixar de ser

Quantos jogos você conhece em que o futuro é perfeito, com uma sociedade em harmonia e sem guerras, medos ou paranóias? Nenhum, provavelmente; e não vai ser dessa vez que tal previsão otimista será utilizada como base para o enredo. No caso de UT2004, o futuro contém criaturas humanóides com roupas bizarras usando armas potentes para se digladiarem em campeonatos com arenas que possuem as mais diversas arquiteturas, muita vezes contra as leis da física.

O fato é que, apesar de conter um modo single player até divertido, não é possível conceber este jogo sem boas horas de duelos contra os amigos, ou qualquer desafiante da internet. Com suporte para até 32 jogadores, a experiência para olhos estranhos ao estilo é a de que este jogo não passa de tiros aleatórios, morte e ressuscitamento instantâneo e ação que chega a dar dor de cabeça. Até é possível acolher a crítica de que o jogo é cansativo, mas não por ser monótono, afinal ação e perspicácia serão recorrentes.

Tiros a rodo

Unreal Tournament 2004 possui 10 modos de combate, cada um com características singulares, que contém desde o famoso deathmatch até um novo tipo de jogo chamado onslaught, que se passa em cenários amplos onde é possível pilotar tanques, naves e mechs. Entre os destaques, se encontra o modo assault, onde objetivo é avançar sobre certos pontos e ativar ou destruir dispositivos para permitir o execução do objetivo, liberar uma arma de destruição em massa, por exemplo. Após esta primeira etapa, os times se alternam; quem ataca passa a defender e quem defende ataca. A introdução contextualiza o jogador na história, estimula e enriquece a partida junto à contagem regressiva, que obriga o time a se arranjar taticamente.

Já no modo double domination, 2 pontos opostos, A e B, devem ser conquistados por 10 segundos. Parece simples, porém os mapas bem desenhados, cada um deles com seu diferencial, acabam por deixá-lo bastante interessante. No modo Bombing Run, a situação lembra vagamente o futebol americano, já que uma bola é posicionada no centro do mapa e cada time deve levá-la até a base inimiga (é claro que bola é um termo ilustrativo, já que no jogo quem está com sua posse somente fica com alguns feixes em sua órbita). Por fim, além dos corriqueiros modos Capture the Flag e Team Deathmatch, existe um modo Mutant, em que os jogadores devem unir-se para derrotar levas de monstros. Ou seja, um certo esforço foi feito para deixar este jogo diferente das matança indiscriminada e sem rumo existente nos jogos do gênero, afinal, ainda que este não seja um bom exemplo de FPS tático, estes exemplos citados são acréscimos consideráveis para a franquia.

Unreal Tournament 2004 perpetua todas as características do seu predecessor, mantendo a mesma engine. Apesar de ter causado uma certa decepção entre os fiéis a esta franquia pelo fato de ser mais uma super expansão do que um game novo propriamente dito, o fato é que o número de novidades e arenas deixaram o jogo em sua versão mais madura.

Muitas cores sem perder o caráter dark

Os gráficos, como é costume da série, são sempre permeados por texturas metálicas, algumas cores chamativas e ambientes dark. É uma pena que, no calor dos combates, é muito difícil distinguir qualquer coisa a não ser inimigos se movendo, entretanto, basta um pouco de atenção para se notar os cenários bem detalhados, o esmero na iluminação e variedade de superfícies. Vale dizer que a engine posteriormente se tornou referência para criação de inúmeros jogos, o que demonstra o poderio e qualidade da mesma.

Música pesada, tiros sem parar

A qualidade dos efeitos sonoros é boa, desde os efeitos dos tiros até as provocações e diálogos pré-gravados dos personagens. Tal como ocorre com os gráficos, a atenção aqui é limitada basicamente aos disparos das armas. Não há muitos efeitos do ambiente, já que a trilha sonora, quando ativada, ocultam-nas totalmente. Se o importante é lutar, disparar e destruir, nada melhor do que um heavy metal industrial, pesado e com ritmos frenéticos; assim é a trilha sonora de UT2004, crua e direta, condizente com sua proposta.

Apesar de ser um jogo ainda limitado em termos de single player por não possuir uma história envolvente ou uma mecânica intrincada, UT2004 é um jogo excelente, no melhor estilo arcade, onde a prioridade é a diversão rápida e descompromissada.
89 pc
Ótimo