Análise de Winning Eleven: Pro Evolution Soccer 2007

Winning Eleven despede-se do PS2 em grande estilo.

Winning Eleven, para quem não sabe, é uma série anual de simuladores de futebol que vem conquistando fãs em todo o mundo desde 1995, quando o primeiro game foi lançado para Playstation. Desde então, ela vem concorrendo de forma acirrada com uma outra famosa e tradicional franquia do gênero, FIFA.

Na Europa, os títulos da franquia são lançados com o nome de Pro Evolution Soccer, diferente do nome original, pelo qual é conhecida no Japão e, até pouco tempo atrás, no resto do mundo. Para evitar confusão, Winning Eleven 10 e Pro Evolution Soccer 6, ambos lançados no ano passado, se tornaram um só nos Estados Unidos: Winning Eleven: Pro Evolution Soccer 2007.

Winning Eleven vem, ao longo dos anos, aprimorando cada vez mais os elementos de sua incrível fórmula, e incoporando novos aspectos a ela. A cada versão lançada, nota-se que os títulos são cada vez mais realistas e sua jogabilidade, cada vez melhor. As melhorias foram ainda mais notáveis com o lançamento de Winning Eleven 5, primeiro da série no PS2, em 2001.

A série há algum tempo, enfim, alcançou a fórmula ideal para um simulador de futebol, apresentando, desde então, apenas melhorias gráficas, correções dos pequenos tropeços e um aumento no acervo de passes e dribles, é claro. Em Winning Eleven: Pro Evolution Soccer 2007 não é diferente. As mudanças que o jogo apresenta são positivas e basicamente consistem em mudanças no controle e domínio de bola, não alterando em nada a fórmula já consolidada da franquia. É neste ponto que o jogo peca; a falta de novidades está deixando a série cada vez mais ultrapassada.

Armando jogadas incríveis

Como um bom simulador de futebol, Winning Eleven sempre teve um bom número de passes e dribles. Entre os comandos tradicionais da série estão o passe curto, passe adiantado, chute a gol, lançamento (ou cruzamento, cuja altura e alcance podem ser determinados pelo jogador), além das jogadas mais complexas, como tabelas, dribles especiais e chutes que encobrem o adversário, por exemplo. A fama da jogabilidade do game não é a toa; até os comandos mais complexos são fáceis de serem executados.

Desta vez, ainda há novos passes e comandos que facilitam a vida do jogador em campo, apesar das novidades em relação à jogabilidade no geral serem bastante sutis. Entre elas estão as cobranças rápidas de faltas, que são acionadas por um comando rápido ao sofrer a falta, fazendo com que o jogador cobre com um passe curto. É um recurso muito interessante e adiciona à dinâmica que um jogo de futebol tanto precisa, porém, não sendo raro, no começo, o acionar involuntário do comando, desperdiçando cobranças importantes.

A franquia sempre exigiu do jogador ações táticas em campo. No entanto, é perceptível que desta vez a ação propriamente dita foi um pouco mais favorecida que nas versões anteriores. O jogador agora tem maior controle da bola ao correr, sendo possível se livrar da marcação de maneira um pouco mais fácil.

O botão de chute a gol apresenta maior precisão. É possível acertar chutes a gol a uma boa distância ao se dominar seu comando. Isto, contudo, representa um desafio; o botão está muito mais sensível, o que torna difícil a tarefa de dominá-lo. O goleiro, por sua vez, parece muito mais eficiente, tomando ações mais eficientes para defender o gol.

A inteligência artificial também foi melhorada; agora está muito mais imprevisível. Nas versões anteriores, dificilmente o jogador sofria uma falta grave ao jogar contra o computador, sendo este um fato agora comum. Porém, assim como nas outras versões da série, ainda não há inteligência artificial que proporcione a diversão que um jogo contra seus amigos proporciona.

De jogador a dirigente

Em Winning Eleven Pro Evolution Soccer 2007, assim como em seus antecessores, há diversos modos de jogo que garantem a diversão de jogadores de todo tipo. É possível desde jogar uma partida descompromissada contra a CPU ou seus amigos, até entrar de cabeça em uma copa contra os melhores times ou seleções do mundo.

No entanto, os mais aficcionados pelo game provavelmente escolherão a opção master league, tendo em vista a dedicação e o tempo que ela requer. O modo, que sempre foi um dos principais atrativos do jogo, coloca o jogador na pele do dirigente de um time de sua escolha. O jogador, além de dar o máximo de si para vencer os jogos, deve admininstrar tarefas do time como pagar salários, renovar contratos e efetuar novas contratações com base no desempenho dos novatos.

Visualmente superior

Winning Eleven Pro Evolution Soccer 2007 não traz grandes melhorias na qualidade gráfica em relação aos seus antecessores mais próximos. Permaneceram grandes problemas neste aspecto, como a torcida, que continua muito mal desenhada, e alguns elementos mal feitos da modelagem dos personagens, por exemplo.

Entretanto, o game apresenta melhoras em um fator no qual seus antecessores deixaram muito a desejar: a apresentação dos menus. Eles agora estão mais fáceis e limpos, com recursos que facilitam a vida do jogador menos familiarizado com o game, sem diminuir o leque de opções que as versões anteriores da série apresentavam para os jogadores mais experientes.

Outro aspecto que recebeu maior atenção dos desenvolvedores foi a apresentação inicial do jogo. Desta vez ela recebeu um tratamento gráfico mais interessante, mesclando desenhos a imagens dos jogadores, o que causa um primeiro impacto muito mais positivo aos jogadores que não conhecem o game.

Ultrapassado?

Há muito tempo, a franquia Winning Eleven vem sendo a favorita da maioria dos fãs do esporte nos consoles, superando cada vez mais sua concorrente, FIFA, nos aspectos da jogabilidade. Com Winning Eleven Pro Evolution Soccer 2007 não é diferente; o título, apesar de contar com gráficos e animações inferiores, tem uma jogabilidade muito melhor que FIFA 07. Porém, o jogo peca em um aspecto básico: enquanto a série concorrente vêm buscando mais inovação a cada ano que passa, os títulos de Winning Eleven têm cada vez menos novidades.

Mas, apesar de alguns problemas que vêm assombrando os jogos da série há algum tempo, como a troca automática do jogador controlado que às vezes atrapalham as jogadas de defesa, as pequenas melhoras nos gráficos, som e jogabilidade resultaram em um impacto final bastante positivo. Winning Eleven, enfim, provavelmente se despede desta geração de consoles, e o faz sem decepcionar.
87 ps2
Ótimo