Trocar soldados por tanques de guerra continua sendo uma boa pedida

World of Tanks é um daqueles jogos que não devem emplacar e se tornar um marco no mundo dos games, mas tem tudo para ser lembrado por muito tempo por todos os apreciadores de um jogo de guerra intenso e detalhista. Desenvolvido pela Wargaming.net, ele pode ser jogado gratuitamente tanto no PC quanto no Xbox 360.

Como todo freemium que se preze, há muitos recursos pagos dentro do jogo, mas eles não chegam a ser imprescindíveis. Isso significa que você consegue se divertir durante um período de tempo mais do que razoável sem gastar um único centavo. Entretanto, devido a essa característica, alguns recursos de jogo se tornam limitados, acessíveis apenas para quem paga.

As versões do PC (de 2011) e do Xbox 360 (2014) guardam algumas diferenças entre si, pois a mais recente apresenta menos recursos — em contrapartida, é bem mais simples preparar seu tanque para guerra, o que pode contribuir para a diversão descomprissada da jogatina.

No PC, o foco é nos detalhes

Quando você inicia World of Tanks em seu computador, pode reparar que este é um jogo vasto, seja pela quantidade de tanques à sua disposição, seja pela quantidade de detalhes presentes em cada canto do game. São dezenas de informações sobre as máquinas, envolvendo questões complexas como média de disparos por minutos, nível de perfuração e tudo mais.

Além disso, a árvore tecnológica que o game apresenta, que permite a você ir evoluindo os tanques que já possui, também é uma representação do nível de detalhamento apresentado por World of Tanks, sem dúvida uma de suas principais características. A imersão oferecida ao jogador no preparo de seus equipamentos, que inclui também o controle de munições gastas e a aquisição de novos recursos, é um dos destaques da versão para o PC.

Curtiu? Pois saiba que a versão para computadores do Word of Tanks pode ser encontrada no Baixaki. Clique aqui para acessá-la.

No Xbox, o foco é na pancadaria

Eis aí a principal diferença entre ambas as edições do jogo. Lançada em 12 de fevereiro de 2014, a “Xbox 360 Edition” apresenta uma interface de preparação de jogo muito menos complexa. De fato, todo o jogo se torna mais simples por aqui, desde a configuração e personalização dos veículos até a própria jogatina.

A questão da jogabilidade acaba ganhando um pouco do gosto pessoal: a mim pareceu mais fácil comandar o tanque, mirar de forma mais precisa e sentar bala os inimigos pelo controle do Xbox 360 — no PC, eu joguei apenas pelo teclado.

A impressão geral é a de que, ao transportar o título para o console, a Wargaming.net preferiu enxugar a quantidade de recursos (há menos países disponíveis e, consequentemente, bem menos tanques, assim como a personalização teve algumas opções reduzidas) em benefício da diversão mais imediata.

Em nenhum ponto isso desqualifica o World of Tanks do Xbox 360, pois a dinâmica e a intensidade de jogo e também a possibilidade de diversão com isso tudo permanece basicamente a mesma, independente da plataforma.

Bem aos olhos, mas...

Sem a menor sombra de dúvidas, o trabalho feito pelos desenvolvedores resultou em uma excelente experiência visual com World of Tanks. Em suma, este é um jogo bonito, com belas e variadas paisagens e com tanques representados com alta fidelidade tanto na questão de mecânica de jogo quanto na de qualidade gráfica mesmo.

Entretanto, olhar com mais atenção para os objetos que complementam o cenário, como casas e construções, árvores e cercas, mostra que World of Tanks sofre com algumas limitações. Além disso, ver seu tanque entrando na terra ou em cantos de objetos que não são destrutíveis pode causar alguma decepção nos mais exigentes.

Batalhas: imersivas e (às vezes) curtas

Ao chegar ao ponto central do jogo, as batalhas, você não deve se decepcionar, pois os tanques são geralmente fáceis de controlar (vale destacar que isso varia de acordo com o veículo, pois cada um deles apresenta características próprias). As batalhas devem ser analisadas sob dois aspectos diferentes: imersão e durabilidade.

A primeira característica é sempre positiva, pois, como as equipes contam com vários jogadores, ambas serão compostas por diferentes tipos de tanques. Uns mais aptos para fazer papel de batedor, outros mais propícios a se manter na retaguarda, enfim, sempre com papéis a serem cumpridos.

Nesse sentido, é necessário ter estratégia para se dar bem, compreendendo o papel que a sua máquina está mais apta a representar dentro do campo de batalha. Isso é valioso porque exige mais do jogador do que apenas gastar o dedo disparando nos inimigos, criando um ambiente competitivo e menos automático.

Porém, é aí que chegamos à questão da durabilidade: como não há respawn, as fases podem ser curtas. Se você morre logo de início — e é possível ser eliminado com apenas um disparo dependendo das configurações de blindagem e munição dos tanques —, vai ter que sair da fase, escolher outro tanque e entrar em uma nova batalha.

É lógico que há uma saída, pois são vários tanques para você escolher em sua oficina — e no Xbox 360 eles nem chegam a ser danificados, então basta que o duelo acabe para que a máquina volte a ficar à sua disposição. Entretanto, uma sequência de derrotas em pouco tempo pode prejudicar a experiência de jogo e reduzir a durabilidade deste título.

O som da guerra

Em se tratando das explosões e até mesmo dos efeitos sonoros dos disparos, não há do que reclamar em World of Tanks. Mas não é só disso que vive a parte de áudio por aqui, e outros detalhes deixam a desejar por serem repetitivos, como o som emitido sempre que você destrói um objeto.

Entretanto, o saldo disso é altamente positivo, pois os sons deste jogo são também um dos grandes destaques e podem ser muito melhor aproveitados se você tiver uma caixa de som ou fones de ouvido competentes.

Diversão gratuita e temporária

World of Tanks é gratuito, algo sem dúvida positivo. Entretanto, especialmente no PC, a quantidade de coisas que você pode fazer gratuitamente vai sendo reduzida ao longo da jogatina, isso porque há itens e veículos que só podem ser adquiridos com moedas de ouro.

Você pode converter o dinheiro que ganha dentro de World of Tanks nessas moedas, porém, vai levar algum tempo até acumular uma quantia considerável. A outra opção é comprar moedas douradas com dinheiro de verdade, o que agiliza esse processo e, consequentemente, pode desequilibrar as partidas para o lado de quem resolver investir no game.

Logicamente que a produtora tem todo o direito de fazer isso, mas quem resolver não gastar nenhum centavo vai enfrentar algumas dificuldades a mais, o que também pode tornar o jogo mais chato.

Nesse ponto também é possível classificar World of Tanks como um jogo repetitivo, algo que até pode ser caracterizado pela estrutura de um jogo apenas com multiplayer online. Esse também é um ponto que pode ser relativizado conforme a sua expectativa em relação ao game e também em relação ao quanto você consegue "entrar" na dele.

Compre com o menor preço:
75 pc
Bom
"Traz algumas limitações, mas boa experiência gráfica, batalhas imersivas e especialmente o fato de ser gratuito compensam tudo"

Pontos Positivos

  • Diversão por um bom tempo e sem gastar nada por isso
  • Gráficos competentes
  • Alto nível de detalhes de tanques e estatísticas
  • Variedade de cenários e de tanques de guerra

Pontos Negativos

  • Sem respawn, as partidas podem ser curtas demais
  • Alguns problemas nos efeitos sonoros
  • Freemium, pode desequilibrar a jogatina a favor de quem pagar
  • Repetitivo

Outras Plataformas

75 xbox-360