O ataque dos vermes malditos!

Worms é mais ou menos como Sonic: o tipo de jogo criado para representar, antes de mais nada, uma mecânica de jogo. São títulos cuja fórmula se encontra em perfeita sintonia com a jogabilidade, o que acaba gerando um efeito residual meio complicado: quando essas franquias tentam absorver as ideias de uma nova “escola” de games — o 3D, por exemplo —, acabam invariavelmente sofrendo uma queda nas vendas, já que se afastam demais da concepção original.

Img_normal

Em outras palavras, enquanto Sonic é associado imediatamente a fases rápidas e sem muito para se pensar, Worms, por sua vez, evoca imediatamente um clima nonsense de guerra, humor negro e destruição gratuita... Em um ambiente necessariamente 2D. A “volta para casa” de Worms Reloaded é a prova disso: em oposição direta ao estilo inaugurado em Worms 3D, a franquia revisita agora o estilo simples e viciante que deu notoriedade aos vermes beligerantes 15 anos atrás.

Mas não, não se trata apenas de um novo-velho jogo, do tipo que pega algo datado e apresenta com novos gráficos. Worms Reloaded apresenta uma evolução de acordo com o estilo original da série. Dessa forma, existem novas armas, novas modalidades de batalha, novas tiradas de humor negro. Tudo isso sem descuidar do mandamento principal de qualquer game atual com proposta simples: vários modos para batalhas online.

Img_normal

Além disso, você também poderá forjar o seu próprio exército de vermes, acrescentando indumentária, estilos em combate e, por fim, um nome tão despretensioso quanto aqueles das equipes incluídas de antemão no jogo — coisas como cadetes espaciais. Isso sem falar nas melhorias gerais no tratamento gráfico — com planos de fundo dinâmicos e animações inéditas —, dezenas de linhas de voz novas, etc. Vamos aos detalhes.

Depois de algum experimentalismo, Reloaded representa o retorno de Worms para as suas origens: humor nonsense, armas absurdas e terrivelmente poderosas, minhocas que seguem digladiando sem absolutamente nenhum motivo aparente. Isso sem se esquecer dos acréscimos que, no fim das contas, justificam um novo título: novas armas, nova indumentária, novas tiradas cômicas.

Enfim, trata-se de uma evolução que não altera a fórmula original, tão intimamente ligada com a franquia. O resultado é um game que tanto é capaz de arrancar elogios dos fãs de longa data quanto de arregimentar audiências mais novas para a eterna guerra entre minhocas.

Vida longa ao 2D!

Img_normalWorms Reloaded surge para reforçar uma opinião bastante comum entre os fãs de longa data da série: não tem jeito, Worms combina mesmo com ambientes 2D; nem adianta tentar inventar muita coisa. Isso fica óbvio assim que se pousa a vista no primeiro cenário chapado e caricato do jogo. É exatamente esse o clima que mais combina com Worms.

Mas, conforme mencionado anteriormente, Reloaded não repousa simplesmente no espaço conquistado pelos seus antepassados. Há aqui uma fusão interessante entre o velho estilo de guerra do vermezinhos — batalhas em turno, movimentação estratégica e armamento nada sutil — com novas possibilidades que atestam a maturidade da Team17 em relação à série.

A inclinação mais moderna de Reloaded fica óbvia ao conferir os modos de jogo disponíveis. Há, é claro, a clássica batalha rápida que não precisa de nenhum motivo extra para ocorrer — pelo menos, nenhum motivo além do fato de o monitor estar atulhado de vermes insanos e pesadamente armados. Mas há também um novo modo campanha, novos estilos de fases, cenários dinâmicos e, o que não poderia faltar, diversas possibilidades para quem gosta de digladiar em ambiente online.

Novos mapas

Embora o design dos mapas de Reloaded beba da mesma fonte dos títulos antigos, as arenas aqui trazem detalhes que acrescentam um frescor interessante às batalhas. É só olhar para o plano de fundo de qualquer arena para perceber o primeiro deles: são, invariavelmente, imagens dinâmicas. Dessa forma, enquanto o frenesi da batalha se dá em primeiro plano, ao fundo pode haver um caminhão basculante chacoalhando ou os holofotes de um estádio de futebol americano.

Img_normalOs terrenos trazem também um novo efeito 3D — ou seria pseudo-3D? Em Reloaded, cada vez que você destruir uma parte do cenário, haverá no local uma marca indicando o local onde ficava a estrutura — em vez de simplesmente revelar o plano de fundo. Um pouco estranho no início, é verdade. Mas você se acostuma.

Porém as diferenças nos mapas vão além dos motivos estéticos. O mapas verticais, por exemplo, acrescentam uma renovada dimensão tática aos combates, fazendo com que uma equipe tenha que realmente escalar (ou a outra descer) para que o confronto ocorra — desnecessário dizer: trata-se de um verdadeiro festival de worms despencando pela tela diretamente para fora do cenário.

Bons motivos para se jogar o modo campanha

Ok, é verdade. Modos campanha de jogos como Worms suscitam um tipo bastante recorrente de reação: “Ah, legal. Mas prefiro jogar multiplayer”. Bem, em Reloaded existem vários bons motivos para você encarar o modo campanha, boa parte deles ligada à natureza dos desafios propostos em cada cenário.

Há, é claro, o desafio padrão: limpe o cenário dos Worms inimigos ou morra tentando. Entretanto, a disposição dos inimigos muda bastante, o que traz sempre uma surpresa. Mas também existem desafios bem singulares. Puzzles, por exemplo: atravesse o cenário explodindo o seu worm na direção certa — você só terá uma chance —, acabe com outro verme utilizando sabiamente as estruturas do cenário, etc.

Img_normal

E há também propostas mais simples. Uma delas é até bastante recorrente: atravessar determinado cenário em linha antes que o tempo se esgote. Essas partes acrescentam ainda um novo elemento de cenário: lasers com sensores de movimento. Além disso, a troca constante de temas dá uma boa noção de continuidade — você vai progredir através de fases em ambiente urbano, espacial, esportivo, etc.

Além do modo campanha...

Caso as 35 missões do modo single player de Reloaded não sejam suficientes para a sua experiência solo, há também outras possibilidades. O modo Warzone, por exemplo, traz 30 missões com dificuldade crescente; uma boa pedida para jogadores mais calejados. Já Body Count vai lança-lo em uma arena contra levas infindáveis de Worms — um típico modo sobrevivência.

“Armas!”

O arsenal em Reloaded mantém a tradição da franquia: armas tão devastadoras quanto absurdas. Alguns retornos notáveis: a Ovelha Explosiva; a Superovelha explosiva (espécie de míssil teleguiado... No formato de uma ovelha com capa de super-herói); a Granada Santa (antes de devastar o cenário, ouve-se um sonoro “Aleluia!”); a Doninha Fedorenta (autoexplicativa).

Mas há também adições igualmente funcionais e incoerentes. Senão, confira: o burro de concreto (literalmente, um burro feito de concreto que despenca sobre Worms azarados); o Buffalo of Lies (um búfalo que parte em disparada e se explode várias vezes consecutivas).

E há também uma adição tática bem interessante. Trata-se dos imãs, que podem ser tanto atraentes quanto repelentes. A utilização é bastante óbvia: um imã repelente servirá de proteção para os seus Worms, enquanto que um atraente pode ser um... Presentinho para o exército inimigo — quem diria que aquela granada iria cair precisamente sobre a cabeça do pobre Worm adversário?

Img_normal

Mas, caso você seja um fã de carteirinha de Worms, provavelmente dará por falta de alguns “clássicos”. Entre eles, a inesquecível “Old Lady”, e também a “vaca louca”. Mas, nada que um enorme e incoerente burrico de concreto não possa resolver.

Ainda o mesmo humor nonsense

Além de explodir o cenário, afogar inimigos e soltar ovelhas explosivas pelo cenário, um dos pontos que sempre atraiu jogadores para a fórmula despretensiosa de Worms foi o inconfundível humor nonsense da franquia. Quer dizer, quem jogou as versões dubladas dos primeiros títulos deve se lembrar de tiradas como “’fulano de tal’ vai comer capim pela raiz”, ou “o primeiro de muitos”.

Esse estilo não apenas se mantém em Reloaded, como ainda ganha algumas pérolas adicionais. São coisas como “exatamente o que o doutor recomendou” (antes de um ataque potencialmente letal) ou “aprenda ou morra tentando” (antes da manobra suicida “kamikaze”). O total inclui mais de 70 falas, sendo 70 remasterizadas e mais de 20 inéditas.

Também as animações contribuem para o clima despojado do jogo. Antes de levar um disparo de bazuca à queima-roupa, por exemplo, as minhocas esboçam uma reação à altura, escancarando a boca e arregalando os olhos diante do desastre iminente.

Personalizando minhocas e cenários

Jogar com as figuras cômicas incluídas de antemão pelo jogo é, sem dúvida, bastante divertido. Mas por que não criar o seu próprio exército anelídeo? É claro, isso é possível. O modo de personalização de Reloaded permite que você forje sua própria equipe, modificando mesmo os atributos e estilos menos óbvios.

Entre campos do modo custom, aparece, por exemplo, o sotaque dos seus Worms. Que tal construir uma equipe só de Worms desportistas? Eles vão utilizar capacetes de futebol americano, e também vão pontuar todas as frases com um “Bob”: “ele está perdido, Bob!”, ou “a coisa está feia, Bob” — talvez em uma referência honrosa ao comentarista Bob Costas.

Img_normal

Mas há também os Worms da Idade Média. Além de elmos reluzentes, as minhocas comentam em inglês arcaico e demonstram um comportamento tipicamente cavalheiresco — basta se lembrar de qualquer filme B que trate do Rei Arthur e os Cavaleiros da Távola redonda.

Por fim, caso você crie uma equipe que deverá servir como inimigo em campo, Reloaded também permite que se escolha as orientações gerais para a I.A. (inteligência artificial) que controlará o exército. Entre as opções vão de “fácil” a “muito difícil”, passando ainda pelos estilos “vingativo”, “arrogante” ou “darksider”.

Diversão multiplayer

Sim, jogar Worms contra o computador, atravessar toda a extensão do modo campanha e calibrar o seu próprio time adversário (confira o tópico anterior) é bastante divertido. Mas, como todo o bom fã sabe, o ponto alto de Worms sempre foram as partidas multiplayer, o que não apenas se mantém aqui, como ainda ganha algumas possibilidades novas.

Além da possibilidade de estipular o tipo de batalha que você procura em ambiente online —Ranqueada, Pro, “Crazy Crates”, Bazuca & Granadas, etc. —, Reloaded oferece ainda listas de amigos, leaderboards, conquistas, chats... E por aí vai. Para os mais conservadores, há sempre o bom e velho multiplayer local. Em ambos os casos, o game oferece suporte para até quatro jogadores.

Que tal ouvir a mesma piada de novo... E de novo... E de novo?

Worms são sempre engraçados. As tiradas são também sempre bem colocadas, adicionando um tempero extra para cada movimento, explosão ou manobra estúpida. O problema é que Reloaded repete à exaustão algumas falas. Quer dizer, ouvir “Eu ganhei! Eu ganhei! Porque sou doce como açúcar!” ao terminar um cenário tem realmente a sua graça. Mas... Por que não ouvir algo diferente vez ou outra? O mesmo vale para diversas falas dentro do jogo.

Inteligência artificial — Sun Tzu de um lado, Debi & Lóide do outro

Img_normalEmbora os níveis de dificuldade sejam, até certo ponto, personalizáveis, é impossível não notar o que se poderia chamar de ausência de um meio-termo. Em outras palavras, os seus inimigos controlados pela I.A. (inteligência artificial) serão principalmente de dois tipos: mestres em tática de guerrilha ou idiotas completos.

Um bom exemplo é a utilização de granadas. Simplesmente não há meio-termo: ou o lançamento atravessa todo o cenário para cair exatamente sobre a cabeça do seu Worm infeliz, ou o tiro sai pela culatra, explodindo o próprio lançador e todos que estiverem próximos. Dificilmente um Worm controlado pela inteligência artificial vai assumir um comportamento de um, digamos, ser humano mediano. É oito ou 80.

Faltaram opções de compartilhamento

Criar um novo cenário em Reloaded é bastante simples. Compartilhar a sua criação com amigos também. A falta, entretanto, foi um sistema de compartilhamento mais amplo; um banco onde qualquer um pudesse deixar a sua mais nova versão do castelo do Dr. Frankenstein, ou algo do gênero. Enfim, uma falta um tanto incoerente para um jogo com um sistema de criação tão parrudo.

85 pc
Ótimo