Em galera: 15 jogos imperdíveis para quem gosta de multiplayer competitivo

Em galera: 15 jogos imperdíveis para quem gosta de multiplayer competitivo

Último Vídeo

Com a grande variedade de jogos lançados nos últimos anos, foram poucos os títulos que não contaram com ao menos um elemento multiplayer. Mas não tem jeito: a modalidade online, principalmente aquela que estimula a competitividade entre os jogadores, ainda é a mais popular. É por isso que ter um bom modo multiplayer, tanto em questão de conexão quanto visuais e gameplay, é fundamental para um jogo se estabelecer como referência para o gênero.

Para players mais veteranos que preferem esse tipo de experiência, os títulos a seguir já devem estar entre seus favoritos. Para os novatos, os que não estão acostumados a se aventurar em partidas online, quem sabe agora seja uma oportunidade para testar suas habilidades contra outros jogadores? Portanto, conheça abaixo alguns dos games com melhor multiplayer.

Nota: escolhemos apenas aqueles que possuem PvP (player versus player), não incluindo modo cooperativo ou outras variações.

1. Rocket League (PC, PS4, Xbox One)

Futebol e carros de corrida. Seria uma combinação incomum, não fosse pelo sucesso de Rocket League, um jogo independente lançado de forma tímida há dois anos, mas que em pouco tempo se consolidou como um dos principais títulos multiplayer.

O gameplay não poderia ser mais simples: dois times, geralmente de quatro jogadores cada, precisam usar seus veículos para marcar gols com uma bola gigante. Por todo o campo, foram espalhados modificadores para dar mais agilidade ou destruir os oponentes ao ativar esses boots; os carros também possuem alguns truques, como se esquivar e dar saltos ou girar 360º, de acordo com a situação.

Apesar de contar com um ranking para o modo competitivo online, Rocket League é um jogo casual que, acima de tudo, prioriza a diversão. Então, se quiser colocar em prática suas habilidades como "piloto de futebol", aqui você tem uma boa oportunidade.

2. Overwatch (PC, PS4, Xbox One)

Dona de algumas das séries mais populares entre jogadores de PvP, a Blizzard Entertainment resolveu apostar em uma nova franquia, também do mesmo gênero. O resultado é Overwatch, que, apesar de pegar emprestada a fórmula de outros shooters similares, possui uma identidade única que fez dele um dos títulos mais populares do último ano.

As partidas consistem em duas equipes de seis personagens que devem capturar pontos de interesse ou defender uma carga enquanto atravessam o mapa. Os jogadores podem escolher um dentre vários heróis e vilões, divididos nas classes Ofensivo, Defesa, Tanque e Suporte. Inclusive, é graças a essa galeria de personagens que Overwatch abraçou tanto players iniciantes, que não estão acostumados a games multiplayer, quanto os que buscam mais competitividade. Se você faz parte do primeiro grupo, o jogo da Blizzard é uma boa indicação para começar nesse tipo de modalidade.

3. League of Legends (PC)

Você pode ou não gostar de esportes eletrônicos, mas certamente já deve ter ouvido falar sobre League of Legends, um dos títulos mais populares nos canais de streaming e também um dos que mais têm gerado lucro no eSports, com milhões de jogadores ativos mensalmente.

Em LoL, você e mais quatro players lutam através do Campo da Justiça com o objetivo de retrair as forças inimigas e destruir o Nexus. Existem mais de 130 campeões, divididos entre seis classes disponíveis, cada uma com suas respectivas subclasses. É por isso que não basta escolher um herói e sair usando suas armas ou seus poderes nos adversários. LoL é um jogo que exige muita estratégia e comunicação entre os companheiros de equipe para que o objetivo principal seja concluído. Tamanha é a complexidade do game que ele recebe atualizações constantes, boa parte graças ao feedback da comunidade.

4. Counter-Strike: Global Offensive (PC, PS3, Xbox 360)

Série que se popularizou nas lan-houses brasileiras no início dos anos 2000, Counter-Strike ganhou seu melhor jogo em 2012, quando a Valve lançou Global Offensive (ou CS: GO). O mais curioso é que muito pouco mudou do primeiro para a edição mais atual, que ainda traz terroristas e contraterroristas lutando pela dominação. As partidas até possuem um objetivo ou outro, como plantar bombas (terroristas) ou resgatar reféns (contraterroristas), mas o mais divertido é sair atirando no que você vê pela frente. CS: GO é um clássico multiplayer e um dos maiores no atual cenário de eSports.

5. Team Fortress 2 (PC, PS3, Xbox 360)

Também desenvolvido pela Valve, Team Fortress 2 trouxe um grupo de personagens que mais parecem comediantes do que soldados prontos para a guerra. E essa é uma das características que fizeram do jogo um marco no ano de 2007: não é um multiplayer pesado como Counter-Strike e Call of Duty, mas sim um competitivo escrachado que não se leva a sério em nenhum momento. Os próprios mercenários, divididos em dois times que tentam completar um determinado objetivo, tiram sarro de si mesmos. Soma-se a isso um equilíbrio entre as classes do game, que fazem de Team Fortress 2 um marco para sua época.

6. GTA Online (PC, PS4, PS3, Xbox One, Xbox 360)

O que é melhor do que levar para o multiplayer a já elogiada experiência da campanha solo de Grand Theft Auto V? GTA Online expande as mecânicas do single player, permitindo a criação de um personagem e personalizá-lo da forma que quiser, comprando roupas, apartamentos, veículos e toda a luxúria disponível no sandbox online da Rockstar. Depois, basta promover o caos por toda a Los Santos nas mais variadas modalidades competitivas desse que é um dos títulos mais divertidos da última (e da atual) geração.

7. Dead By Daylight (PC, PS4, Xbox One)

Dead By Daylight se beneficia do conceito apresentado originalmente em Evolve, em que todos os personagens (heróis e vilões) podem ser controlados por jogadores humanos. Só que, em vez de ficção científica, o título usa elementos do survival horror como principal cenário.

Quatro players precisam sobreviver a outro jogador, que por sua vez é o serial killer da partida — ao todo, são sete maníacos disponíveis. Não é possível lutar contra o assassino; na verdade, confrontá-lo diretamente é morte instantânea. Por isso, o único objetivo é escapar da área, que pode acontecer de duas formas: abrindo grandes portas de metal após ativar uma série de geradores espalhados pelo local ou fugir por um alçapão, que só abre quando restar apenas um sobrevivente e no mínimo dois geradores forem reparados. Assustador, não?

8. Dota 2 (PC)

Além de LoL, outro MOBA popular entre os principais multiplayers do mercado é Dota 2. Você escolhe um herói, que vai se juntar a um grupo de outros quatro jogadores, e seu único objetivo é destruir uma construção que fica no centro da base adversária. Cada mapa possui várias ramificações para facilitar a invasão do terreno inimigo; o que dificulta é a presença dos campeões, que possuem habilidades únicas que garantem mais diversidade nos combates. Dota 2 também é uma das produções mais proeminentes no eSports, com direito a formação profissonal e campeonatos mundiais.

9. TowerFall: Ascension (PC, PS4, PS Vita, Xbox One)

Lembra do Ouya, o console open-source que, após uma campanha arrasadora no Kickstarter, fracassou em vendas e teve de ser descontinuado? Pois bem, acontece que um dos títulos que marcaram o lançamento do aparelho foi TowerFall, que posteriormente ganhou o subtítulo "Ascension" e versões para outras plataformas. Felizmente, já que estamos falando de uma das melhores experiências multiplayer no mundo dos games.

TowerFall: Ascension coloca quatro jogadores para se enfrentarem em uma arena até que reste apenas um sobrevivente  ou nenhum, já que "acidentes" são normais nas partidas. É possível eliminar os adversários apenas atirando flechas ou usar essas flechas em objetos espalhados pelo cenário para causar suas mortes. Por conta de o gameplay ser bastante ágil, as rodadas duram poucos segundos, incentivando o replay nesta produção 2D que merece sua atenção.

10. Battlefield 1 (PC, PS4, Xbox One)

Na contramão dos principais shooters modernos, a DICE optou por seguir o caminho inverso em Battlefield 1: ambientar o jogo no passado, durante a Primeira Guerra Mundial, em uma realidade alternativa que mistura as armas da época com itens já ultrapassados para aquele período, como sabres, marretas e machados. E não apenas a história ganhou novidades, mas também o multiplayer, principal atrativo do game, que passou por inúmeras reformulações, incluindo suporte a 64 jogadores, adição de novos veículos terrestres e melhorias nas subclasses do título. O que não muda é o trabalho em equipe, indispensável para sair vitorioso das partidas.

11. World of Warcraft (PC)

Percursor dos jogos de mundo aberto enquanto MMORPG, WoW, mesmo tendo como base o modo cooperativo, também abriu caminho para muitos elementos de PvP que hoje estão presentes em vários outros títulos. Jogadores podem desafiar facções rivais a qualquer momento, sendo que praticamente todas as áreas podem ter esse tipo de combate; alguns locais vão além e permitem batalhas solo, onde é cada um por si. A última expansão, "Legion", trouxe ainda um sistema de honras que desbloqueia talentos que só podem ser usados em lutas player vs. player. Vale lembrar que World of Warcraft possui servidores dedicados ao PvP.

12. Titanfall 2 (PC, PS4, Xbox One)

Apesar de não ter tido o mesmo impacto de seu antecessor, Titanfall 2 é um título singular para o gênero do FPS. Trata-se de uma produção que amplia para melhor todas as características do jogo original, principalmente no multiplayer, que teve muitas de suas características copiadas por Call of Duty e outras franquias de tiro em primeira pessoa.

Jogadores ainda podem alternar entre suas armaduras futuristas e os robôs Titãs que, embora sejam bem mais lentos que os soldados humanos, possuem um arsenal mais poderoso e resistente contra os inimigos. Para o segundo game da série, o número de customizações e habilidades está maior, além dos Titãs  sete no total, e todos inéditos. Titanfall 2 ainda possui vários modos multiplayer que alteram alguns elementos do gameplay, dando mais variedade às partidas.

13. Tom Clancy's Rainbow Six Siege (PC, PS4, Xbox One)

Ao contrário de títulos como Call of Duty e Counter-Strike, Rainbow Six: Siege não possui um gameplay simétrico e baseado, em sua maior parte do tempo, em tiroteios contra os inimigos.

As partidas acontecem entre dois times, sendo um dos atacantes e o outro dos defensores, e cada jogador escolhe um operador  equivalente a uma classe do game  com habilidades e equipamentos específicos. Dependendo do modo selecionado, os atacantes devem resgatar um refém, plantar bombas ou atravessar uma instalação inimiga, enquanto os defensores precisam proteger o local e evitar a invasão. Se um jogador morrer, ele não poderá renascer naquela partida, o que estimula discutir as melhores táticas entre a equipe para completar os objetivos.

14. Hearthstone (PC, Android, iOS)

O jogo de cartas da Blizzard é um exemplo de que bons jogos competitivos não precisam envolver sempre tiroteios ou mecânicas muito complexas. Mas não se engane: Hearthstone exige mais estratégia e decisões certeiras para evitar que seu herói seja destruído.

No game, você controla um deck de cartas contendo um personagem dentre nove classes do universo de World of Warcraft. Cada deck possui cartas comuns e cartas de classe, além de cartas especiais ou lendárias usadas para atacar ou se defender dos oponentes  é possível carregar um baralho de até 30 cartas, divididas em subcategorias (magia, armas e lacaios). O gameplay é baseado em turnos, e vence quem reduzir de 30 para zero a barra de mana (HP) da carta do herói adversário.

15. Tom Clancy's The Division (PC, PS4, Xbox One)

O PvP de The Division, chamado de "Zona Cega" (Dark Zone, no inglês), é uma espécie de "cada um por si" e funciona de forma separada da campanha solo, o que significa que seu nível e sua progressão são distintos em cada modalidade. Não existem "modos": todos os itens coletados na Zona Cega precisam ser descontaminados para serem usados no single player; para isso, há pontos de extração ao longo do mapa. O problema é que se aventurar sozinho pode custar todo o seu loot, uma vez que, se você morrer, os equipamentos conquistados serão perdidos até que você ou outro jogador os colete.

Criado pela Ubisoft para bater de frente com Destiny, da Bungie, The Division não alcançou o mesmo status do concorrente. No entanto, seu modo multiplayer apresentou boas mecânicas para aqueles que preferem se aventurar em combates player vs. player. Por isso, incluímos o título em nossa lista.

E tem muito mais...

Como você viu, listamos 15 de alguns dos jogos multiplayer que trazem um modo competitivo característico, seja por ser viciante, lançar recursos inovadores ou pela grande variedade em modalidades e personagens jogáveis. Obviamente, existem muitos outros games que poderiam estar neste levantamento  e se o seu favorito não está em nossa lista, não se esqueça de deixá-lo nos comentários abaixo. Aqui vão nossas menções honrosas:

Gears of War  (Xbox 360, Xbox One, PC)

Halo (Xbox, Xbox 360, Xbox One)

The Last of Us (PS4, PS3)

Mortal Kombat X (PC, PS4, Xbox One, Android, iOS)

Heroes of the Storm (PC)

Street Fighter V (PC, PS4)

For Honor (PC, PS4, Xbox One)

Playerunkown's Battlegrounds (PC)

Quake III Arena (PC)

Call of Duty: Modern Warfare Remastered (PC, PS4, Xbox One)

Warframe (PC, PS4, Xbox One)

Minecraft (PC, PS4, PS3, PS Vita, Xbox 360, Xbox One, Switch, Wii U, Android, iOS)

The Culling (PC, Xbox One)

Paragon (PC, PS4)

H1Z1: King of the Kill (PC)

Conte-nos seus favoritos!

Compartilhe conosco, na seção de comentários adiante, quais são seus títulos favoritos quando o assunto é multiplayer  ou, se você for um lobo solitário, manifeste aqui os seus prediletos também!

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.