16 coisas que você talvez não saiba sobre Killer Instinct
04
Compartilhamentos

16 coisas que você talvez não saiba sobre Killer Instinct

Último Vídeo

De certa forma, Killer Instinct pegou rabeira em outro grande sucesso da Rare — Donkey Kong Country —, que à época andava experimentando novas tecnologias de renderização. Além disso, a curvilínea Orchid originalmente teve trajes distintos e quase se chamou “Wanda”. Ah, certo “bug” que tornava o personagem Cinder praticamente invencível nos fliperamas fez a Nintendo mobilizar um batalhão para arrumar a coisa máquina por máquina. E por aí vai.

Trata-se, no total, de 16 curiosidades que você talvez não saiba sobre uma das franquias mais consagradas da história do entretenimento eletrônico — e que atualmente prepara-se para engatar sua segunda temporada, com novas histórias e personagens. Bem, nunca é demais relembrar, certo?

Vamos aos fatos:

  • Inicialmente, Killer Instinct foi concebido como um jogo de luta com temática punk, cujo nome deveria ser “Brute Force”. Em vez de personagens fantasiosos, o game incluiria sujeitos saídos do típico cotidiano suburbano;
  • Enquanto planejava um novo game de pancadaria da Rare, o desenvolvedor Kevin Bayliss começou a experimentar um novo software de renderização 3D. Foi daí que saiu o estilo tridimensional do jogo — embora, estritamente falando, ainda não fosse o 3D poligonal conhecido entre os games de hoje, que chegaria ao mercado apenas alguns anos depois;
  • Donkey Kong Country foi fundamental para a existência da franquia. Após ver o resultado que a Rare vinha alcançando com os efeitos 3D do game, a Nintendo perguntou se havia “algo mais” que utilizasse a mesma tecnologia. Havia, é claro. Era Killer Instinct;
  • TJ Combo foi desenvolvido para um protótipo de jogo de boxe concebido antes de Killer Instinct;
  • Vários personagens foram desenvolvidos quando a Rare já havia aprendido a extrair um pouco mais dos mecanismos de renderização tridimensional — especialmente a dupla Cinder e Glacius;
  • Originalmente, Cinder havia sido planejado como um personagem baseado em lava, não em fogo. Kevin Bayliss chegou a sugerir que o personagem poderia contar com a faculdade de trocar entre os dois estados (teria sido uma boa, não?);
  • A primeira versão da musa digital Orchid era um tanto diferente daquela que se tornou conhecida — e que eventualmente mostrava os peitos, para desespero dos mais puristas. Loira e com roupa vermelha, a personagem por pouco não se chamou “Roxxy Rave” ou “Wanda”;
  • Riptor por pouco não se chamou “Toxin”;
  • O nome original de Spinal era “Argo”. Tratava-se de uma referência à película clássica “Jasão e os Argonautas”, que se tornou famosa por utilizar esqueletos guerreiros representados utilizando a técnica do “stop-motion” (em que cada parcela do movimento é individualmente registrada, em um esquema de “quadro a quadro”);
  • TJ combo também chegou a se chamar “Mr. Fist”. Ok, não é tão ruim, se você parar para pensar;
  • Cinder foi particularmente “premiado” com vários nomes alternativos. O personagem poderia ter se chamado “Melddown”, “Magma”, “Heatshade” ou “Pyrotech” — cujos áudios, de fato, chegaram a ganhar gravações na voz do narrador de Killer Instinct;
  • Sabrewulf herdou seu nome do game “Sabrewulf”, título desenvolvido pela Rare enquanto a desenvolvedora ainda era conhecida como Ultimate Play The Game — uma das mais celebradas entre as desenvolvedoras da primeira era de computadores pessoais, vale lembrar;
  • Embora os dados pessoais de Spinal deem ideia de que o personagem tem milhares de anos, o final de Chief Thunder sugere que o esqueleto é, na verdade, o seu irmão há muito perdido, Eagle. A coisa fica ainda mais confusa nos quadrinhos, entretanto, em que Fulgore é identificado como o mesmo Eagle em trajes metálicos;
  • A versão para arcade de Killer Instinct foi o primeiro título a tornar necessária a instalação de um HD (disco rígido) para o armazenamento de sequências de vídeo e de faixas de áudio com qualidade de CD;
  • A propaganda da Nintendo à época fazia crer que Killer Instinct rodava no hardware do Nintendo Ultra 64. Pura balela promocional, entretanto; e
  • Quem jogou a primeira geração de arcades de Killer Instinct deve se lembrar de certo “bug” relacionado ao personagem Cinder. Basicamente, quem controlasse o sujeito poderia prensar o adversário no canto e disparar um combo potencialmente infinito — arremessando o pobre diabo para o ar de novo, e de novo, e de novo. A fim de corrigir o erro, equipes da Nintendo foram enviadas para instalar manualmente patches em todas as 17 mil máquinas que rodavam o game.

Quanto ao novo Killer Instinct, o game ganhou na última segunda-feira, 24, o personagem Kan-Ra, como parte da segunda temporada — a qual deve se estender até o outono de 2015, adicionando novos lutadores à média de um por mês. Inicialmente, o download é exclusivo para quem comprou a Ultra Edition. A edição Combo Breaker deve ganhar Kan-Ra no dia 30 de novembro.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.