Por que 2017 tem tudo para ser um ano F$#@ para fãs de games de corrida

Por que 2017 tem tudo para ser um ano F$#@ para fãs de games de corrida

Último Vídeo

Se você, assim como eu, é fã de jogos de corrida, já deve ter sacado que 2017 está sendo mágico independente da plataforma que você tem. No entanto, o ano ainda promete muitas outras novidades e tem tudo para entrar como um dos melhores em termos de lançamentos para o gênero, com títulos fortíssimos para todo o tipo de gosto, desde os arcades, passando pelos simcades e também pra turma da simulação.

Então resolvi preparar uma lista com os principais destaques que fazem com que 2017 seja um ano tezera máxima pra você que gosta de dar suas aceleradas virtuais por aí, seja num kart tacando cascos vermelhos nos amiguinhos ou em um superbólido de corrida arrancando centésimos de segundo de suas voltas.

Forza Motorsport 7 (X1 e PC) – Setembro/Outubro

Ah... Forza! Teve alguma confirmação de que Motorsport 7 vai sair? Não, mas a Turn 10 vem revezando ano a ano o lançamento das séries do Forza, entre Horizon e Motorsport, então a gente já sabe o que esperar. Ano passado fomos agraciados com o espetacular Forza Horizon 3, que nos levou para a Austrália – nas mais variadas versões – e que mostrou de vez que a criatura superou o criador. Este ano nós devemos voltar às origens e correr nos circuitos mais famosos do mundo.

A abordagem mais democrática e divertida do Horizon deixou claro qual das linhas a Turn 10 deve priorizar se quiser fazer dinheiro daqui pra frente, então vai ser no mínimo interessante ver o que a produtora reservou para a contraparte mais sisuda e “profissa” da franquia, que viu categorias como NASCAR chegarem de forma oficial no ano passado.

Imagem de uma demo do Forza Motorport rodando no chipset do Scorpio já dá uma ideia do potencial de um novo título

Aqui, resta especular: será que Forza Motorsport 7 vai se distanciar ainda mais do seu irmão descolado e abraçar de vez a cultura do automobilismo como esporte, oferecendo uma experiência mais completa e fiel do que é pilotar um carro de corrida? Ou será que ele vai continuar sendo um híbrido que, como um título carro-chefe (desculpem o trocadilho), não vai se restringir a um nicho?

Uma certeza é que, se vier no Scorpio – e uma demo já foi espiada –, podemos ver um game ainda mais bonito, completo e, rezando para todos os deuses dos jogos de corrida, com clima e tempo dinâmico.

Aposta do Igor: Gostaria muito de ver a série Motorsport se tornar mais “profissional”. Na análise do Forza Motorsport 6, já apontei que a ausência de um sistema de “fim de semana” de competição, com treinos práticos, classificatórios e corrida, é um grande impacto na proposta do Forza enquanto semi-simulador. A dificuldade de fugir de uma fórmula repetitiva (como em todo jogo de corrida) também ficou bem evidente e, acima de tudo isso, Forza Motorsport está cada vez mais relegado ao posto de gerador de conteúdo e modelos para o Forza Horizon, que se tornou muito mais popular.

O que vai acontecer, então? Repeteco da fórmula do FM6 – o que não é necessariamente ruim, mas também está longe de ser o ideal. Vamos torcer pra que eu esteja redondamente enganado.

Ah, FM7 como bundle day-one com Scorpio? Eu acredito.

Gran Turismo Sport (PS4) – Não anunciado

Vou ser sincero: minha relação com Gran Turismo é (bem) antiga, mas ela foi fortemente abalada desde o lançamento do sexto título da série. Depois de platinar Gran Turismo 5, a insistência no lance de carros premium/standard me irritou e a descoberta de uma jogabilidade mais solta e desafiadora, com a do Forza Motorsport 4, me distanciou cada vez mais do GT. O anúncio da Polyphony Digital de que o primeiro título na nova geração de consoles vem com um “conceito diferente, voltado para eSports”, foi mais uma coisa que me deixou com a pulga atrás da orelha.

Ficou claro que o escopo do Gran Turismo Sport é diferente: não teremos mais milhares de carros, mas uma seleção mais cuidadosa e voltada para o lado competitivo da coisa. A questão é: será que é esse escopo menor que as pessoas esperam, depois de quatro anos de desenvolvimento? Já estamos acostumados com os períodos obscenos de produção de Gran Turismo, mas será que o perfeccionismo obsessivo de Kazunori Yamauchi não está atrapalhando mais do que ajudando?

Uma coisa é certa: Gran Turismo Sport está bonito. Lindo, na verdade. Continua sendo o game com os gráficos mais realistas que eu já vi entre jogos de corrida e simuladores de forma geral e, modéstia a parte, já joguei um bocado deles.

O Beta recente mostrou também que a jogabilidade parece convincente, mas que parte sonora, o calcanhar de Aquiles eterno da série, teve melhorias... Só que, de novo, para quatro anos de desenvolvimento, parece muito pouco. Junte isso com a incógnita do que Gran Turismo Sport REALMENTE vai ser e ficamos com a pergunta não de se o jogo será bom o não, mas se ele vai ser bom o suficiente.

Aposta do Igor: A Polyphony Digital e a Sony sabem que contam com uma legião de fãs que tiveram seu contato pra valer com jogos de corrida através do Gran Turismo e são fiéis até hoje à série. Se as duas empresas tem um pouco de juízo na cabeça, o lançamento de Gran Turismo Sport fica pro mesmo período do Forza Motorsport 7. Eu quero é ver o circo pegar fogo.

Vale apontar que a decisão de colocar o jogo em teste Beta com o público foi uma decisão muito acertada da PD – vai garantir que a parte técnica do game vai chegar bem acertada. Conceitualmente, no entanto, tenho minhas dúvidas.

Project CARS 2 (PS4, X1 e PC) – Setembro/Outubro

A briga pelo posto dos simcades antes era reservada entre Forza Motorsport e Gran Turismo, pelo menos até a Slightly Mad Studios, a mesma galera por trás de Need for Speed: SHIFT e SHIFT 2 Unleashed,  conseguir a colaboração de um monte de gente e lançar Project CARS – que, para aqueles que não sabem, serve de acrônimo para Community Assisted Racing Simulator. Foi aí que a dupla virou trio.

PCars chegou na festa e se apresentou como o mais competente em termos de representar o que o automobilismo de fato é: apesar da jogabilidade interessante, mas meio desengonçada, ele se comprometeu a oferecer uma experiência completa do que é ser um piloto de carros de corrida. É verdade que a lista de carros não era a mais impressionante, mas o clima e tempo dinâmicos, os ótimos gráficos e efeitos sonoros foram suficientes pra consolidar o game como um concorrente e tanto para os outros títulos mais tradicionais.

A segunda edição de Project CARS já mostrou a que veio com diversos trailers: o jogo vai contar com mais categorias, como RallyCross, mais carros licenciados, mais pistas, mais climas e uma abordagem ainda mais densa em termos de jogabilidade. É bom os fãs de games de corrida ficarem de olho porque, mesmo sem o barulho de seus concorrentes, PCars 2 tem tudo para ser um dos destaques de 2017.

Aposta do Igor: Como um cara mais ligado em automobilismo do que só em carros, Project CARS 2 tem um apelo forte pra mim, mas o primeiro título não conseguiu me prender tanto. É um jogo bom, mas a minha maior crítica é em relação a jogabilidade: ele tenta desesperadamente ser um simulador, praticamente grita na sua cara a todo momento que ele deve ser levado a sério, mas ele consegue, no máximo, ser desengonçadão quando comparado com um Sim de verdade – mas não deixa de ser um ótimo jogo.

Foi uma série que começou de uma forma MUITO sólida e que é vista com muito carinho pela comunidade dos jogos de corrida, então tem tudo para dar certo e se mostra como uma ótima alternativa para os “lugares comuns” do segmento. E tem clima e tempo dinâmicos, o que é bacana pra dedéu.

DiRT 4 (PS4, X1 e PC) – Junho

Nada me tira da cabeça que, quando se trata de jogos de corrida, a Codemasters é hoje a desenvolvedora mais apaixonada pelo que faz. DiRT Rally foi um dos mais sensacionais tributos velados ao legado de Colin McRae e ao rally como um todo, mas, como um jogo bem mais próximo da simulação, ele é difícil... Bem difícil – vocês devem estar lembrados que eu disse que ele é uma espécie de Dark Souls dos jogos de corrida.

Só que vale lembrar que a série DiRT nasceu para proporcionar uma abordagem mais desencanada e divertida sobre o rally: DiRT 2 e 3 foram extremamente competentes nesse aspecto, com uma jogabilidade despretensiosa e acessível. Depois da breve recaída de volta à simulação, a Codemasters resolveu retomar essa pegada mais democrática em DiRT 4, mas envolvendo também os apaixonados por DiRT Rally.

Isso significa que você tem um jogo bem mais abrangente em termos de jogabilidade, menos punitivo e mais relaxado. Junte isso a um criador de pistas e campeonatos, modos diferentes de corrida, como RallyCross e Gymkhana, e você tem horas e horas de diversão na lama virtual. É bom para dar uma oxigenada na série, que já mostrou ser bastante versátil em termos de abordagens.

Aposta do Igor: Já estou testando o jogo. Minha aposta é que ele continua sendo o melhor jogo de rally da atualidade, mas vamos todos descobrir isso quando a análise sair, na semana que vem.

F1 2017 (X1, PS4 e PC)

Ainda falando da Codemasters, todas as manhãs, durante minhas preces para os deuses e deusas dos jogos de corrida, eu agradeço por serem esses caras que cuidam da franquia da Fórmula 1 desde 2010 para todas as plataformas. Fui categórico ao dizer que F1 2016 é o melhor jogo da Fórmula 1 de todos os tempos, melhor até do que GP4 – e não por conta da jogabilidade ser melhor, mas porque é um jogo que oferece uma experiência completa do início ao fim.

A base é muito sólida: os gráficos, em sua maior parte, são excelentes, a jogabilidade agrada tanto os iniciantes quanto os que buscam um desafio maior, a inteligência artificial é boa e o modo carreira oferece muito mais do que apenas corridas.

F1 2017, por sua vez, vem com uma tarefa extremamente simples: manter o nível de qualidade de seu antecessor. Alguns aspectos podem ser melhorados, claro, como é o caso de algumas texturas bem feias nas cenas fora das pistas, mas o conjunto da obra está muito, mas muito bom mesmo.

O primeiro passo já foi dado: a Codemasters já anunciou a volta do modo clássico, que traz de volta alguns dos carros mais icônicos que já passaram pela categoria, como é o caso do MP4/4 da McLaren, pilotado por Ayrton Senna e Alain Prost, o FW14B da Williams, pilotado por Nigel Mansell, a Ferrari F2002, pilotada por Schumacher e Barrichello e, por fim, a Red Bull RB6, com a qual Sebastian Vettel foi campeão.

Até agora, adições interessantes e não apenas atualização de carros. Isso é bom. Continue assim, Codemasters.

Aposta do Igor: Imaginem que a Codemasters tem alguns tokens para usar até que a fórmula criada por eles no ano passado passe a se tornar repetitiva. Tudo aponta para que F1 2017 consiga dar andamento ao ótimo trabalho feito no F1 2016.

Forte candidato a melhor jogo de corrida do ano, mas por se tratar de um game que compreende apenas uma categoria, e considerando a forte concorrência, vai ser difícil levar. Mas continua sendo obrigatório para quem gosta de jogos de corrida.

Need for Speed Payback (X1, PS4 e PC) – Novembro

O reboot da franquia Need For Speed em 2015 foi uma novidade muito bem-vinda depois da loucura do período Criterion de remakes de Hot Pursuit e Most Wanted. Um sistema maneiro de customização (um dos melhores e mais completos nos jogos atuais), uma historinha “meh” em uma campanha com duração convincente, jogabilidade interessante e algumas melhorias que vieram depois.

O novo game, chamado de Payback, traz uma história cheia de tramas envolvendo carros, curiosamente como acontece em uma franquia de filmes famosa, que também inspirou a era Underground do NFS.

Fazer um jogo de corrida depender mais da história é uma abordagem bem corajosa e que foi vista pela última vez pelas mãos da EA em Need for Speed: The Run – um dos jogos de corrida mais subestimados da história, na humilde opinião deste que vos fala.

Mudanças sempre são legais, mas é curioso imaginar como a Ghost Games vai utilizar tudo que o último game fez de certo e reaplicá-lo no que parece ser um panorama consideravelmente diferente.

Aposta do Igor: Need for Speed: Velozes e Furiosos. Família, cartel, roubo de cargas, carros, explosões, tunági e loucuras. Estou curioso para ver onde isso vai dar e vamos descobrir juntos na E3.

Prefiro opinar pra valer depois de ver o gameplay, mas eu espero que não seja um Burnout disfarçado – nada contra Burnout, mas... Sabe? Cada um no seu quadrado.

--------------------------------

Menções Honrosas

Mario Kart 8 Deluxe (Nintendo Switch – Já lançado) – Hey, Mario Kart, junto com Enduro e Top Gear, foi o responsável pela formação intelectual de dezenas de milhares de fãs de jogos de corrida. O fato de que é uma franquia que chegou em sua OITAVA edição mantendo o nível de diversão que Mario Kart tem também é algo a se respeitar.

WRC 7 (PS4, X1 e PC – Primavera 2017) – Os jogos oficiais do mundial de rally estão ficando melhores a cada nova versão desde que passaram para as mãos da francesa Kylotonn, mas aidna não conseguiram sair do lugar comum. Para quem é muito fã de rally, no entanto, pode ser interessante conferir uma alternativa ao DiRT.

TT Isle of Man: Ride on the Edge (PS4, XB1 e PC – Sem data) – Falando na dupla Kylotonn e Big Ben Interactive, os fãs de velocidade virtual em duas motos também podem comemorar em 2017, já que TT Isle of Man, inspirado na tradicionalíssima e absurda corrida de estrada que acontece anualmente na ilha entre a Inglaterra e a Irlanda, vai ser lançado ainda este ano.

Diferente da MotoGP, o TT da Ilha de Man não é uma corrida de circuitos, mas sim em um percurso que passa por estradas e ruas da pequena ilha, em meio a casas, postes e muros.

MotoGP 17 (PS4, XB1 e PC – Junho) – Ainda sobre duas rodas, a franquia da MotoGP também está para receber seu game anual pelas mãos da Milestone. No ano passado o jogo veio trazendo o nome do múltiplo campeão Valentino Rossi, mas em 2017 tudo voltou ao normal.

O jogo conta com um modo carreira bem completo, que permite que você crie sua própria equipe para disputar as temporadas do mundial de motovelocidade, mas peca um pouquinho na parte gráfica que, apesar de não ser ruim, está longe de ser o melhor que poderíamos ver na atual geração de consoles.

--------------------------------

E aí? Conta pra mim nos comentários quais são os jogos que VOCÊ está esperando ansiosamente e por quê? Vamos trocar uma ideia!

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.