5 coisas que os jogos de corrida te ensinam errado

5 coisas que os jogos de corrida te ensinam errado

Último Vídeo

Sim, nós sabemos que games têm uma função primordial de divertir e sabemos também que muitas vezes a realidade é simplesmente ignorada para não estragar a experiência. Nos jogos de corrida isso acaba sendo, de um jeito ou de outro, um ponto persistente.

É claro que não vamos levar em consideração dinossauros andando em karts e arremessando cascos teleguiados, mas existem diversas situações em que outros jogos de corrida – sejam simuladores, semisimuladores, arcades ou que apenas têm carros inseridos em seu contexto – acabam "ensinando" coisas erradas a respeito de como os carros funcionam.

Listamos aqui, portanto, algumas situações em que – por mais óbvias que possam parecer – os jogos mostram as coisas de uma forma "um pouquinho" diferente da realidade.

5 – Não, o drift na vida real não é igual nos games

Ah, o drift! Deslizar por aí nas curvas virando seu volante para o lado contrário enquanto os pneus traseiros são completamente obliterados pelo asfalto, levantando uma nuvem de fumaça... Sensacional, certo? Exceto por um detalhe: não é tão simples assim.

AEHOO SÔ DRIFTERO MASTER DOS GAMES IZI PIZI HU3BR É NÓI... Opa!

Primeiro porque, por mais que boa parte dos jogos e o desenho Carros te digam o contrário, não é a forma mais rápida de se fazer uma curva. Especialmente em corridas de circuito (estamos falando de você, Daytona USA), qualquer um sabe que é a aderência que manda.

É claro que é superbacana e lindo quando alguém faz direito, mas é algo extremamente difícil e também não é qualquer carro que consegue. No último Need for Speed, por exemplo, você pode pegar um Honda Civic, que tem tração dianteira, e sair por aí deslizando sua traseira.

Daytona USA: inspirando o Relâmpago McQueen desde 1994

"Ah, mas eu já vi o vídeo daquele cara..." – sim, você já deve ter visto, masse soubesse a quantidade de itens que precisam ser alterados para fazer o que esse cara fez, entenderia por que a tração nas rodas de trás é a escolha de 99,9% dos pilotos e entusiastas de drift.

Drift com carro de tração dianteira: como eles fazem você acreditar que é e como realmente é

É claro que é possível que a traseira escape e você deslize de forma controlada – isso é chamado de "power slide". Mas, não, drift com carros de tração dianteira não rola – e exige muito treino e prática em um lugar adequado para que você faça direito.

Tudo bem, tudo bem: iria realmente ser muito legal ver um caminhão de lixo fazendo as coletas enquanto desliza de lado por aí, mas é impossível de acontecer

4 – As físicas... Ah, as físicas!

Como foi dito no começo da matéria, é claro que os jogos de corrida abrem mão da realidade para que você se divirta. Mas os caras perdem a mão de vez em quando. Usar a parede de apoio nas curvas, controlar seu carro no ar depois de um pulo insano que não vai estragar absolutamente nada... Não, não dá certo.

No jogo é assim:

Um superpulo com direito a mortal pra trás e acrobacias

Na realidade, por outro lado, é assim:

Sugestão: evite pular qualquer coisa com seu veículo

Fica a dica: não pulem com seus carros, jovens. Passar por cima de meios-fios (ou guias, dependendo da região que você mora) também é uma péssima ideia. Sobre usar o muro como apoio nas curvas, bem...

Os carros vêm com um pedal de freio por um bom motivo

 3 – Nitro eterno, descomplicado e que sempre tem foguinho

Sem entrar no aspecto técnico do funcionamento de motores a combustão, a questão é que o óxido nitroso, ou NOS, ou nitro, não funciona exatamente como nos jogos.

É... Não é bem assim que acontece!

Uma parte é verdade: sim, ele dá mais potência para o carro de forma temporária, mas não tem nada de foguinho saindo do escapamento e, se usado de forma exagerada, coisas (muito ruins) podem acontecer, como estourar o motor do carro.

2 – Não, na vida real você não pode trocar marchas descontroladamente

Então você gosta de jogos de corrida e casualmente também deve ter assistido aos filmes da franquia Velozes e Furiosos, certo? Você também já ouviu alguma coisa sobre a quantidade de vezes que os caras trocam de marchas nos filmes – e, provavelmente, nunca prestou atenção na forma como os jogos de corrida arcade (e até alguns simuladores) deixam que você troque de marchas descontroladamente.

A imensa maioria dos títulos de corrida, no entanto, permitem que você faça isso, o que pode ser um problema sério principalmente quando se trata de reduções de marcha. Todo motor tem um limite de rotações, e, quando você dá um salto muito grande nas marchas (de quinta para segunda) em alta velocidade, a chance de ter um problema é imensa – por exemplo, você pode quebrar algum componente do carro ou – de novo – estourar o motor.

Sobe marcha, desce marcha... em jogos e filmes nada quebra, mas, na vida real, pode (e vai) quebrar!

Um exemplo nos games é Crazy Taxi, do saudoso Dreamcast: você poderia ganhar um impulso extra se mudasse para a marcha ré e, ao voltar para a marcha normal, pressionasse o acelerador ao mesmo tempo. Desnecessário dizer para que você nunca faça isso, né?

É bom ter em mente que os detalhezinhos chatos da mecânica dos carros de verdade e o desgaste de componentes em função do uso agressivo quase nunca são levados em consideração nos games, justamente para não fazer a coisa toda ficar extremamente chata. No entanto, ter cuidado nunca é demais, certo?

1 – AÇÃO! POLÍCIA! CORRIDAS DE RUA... Nos games, tudo bem!

Need for Speed, Burnout, Forza HorizonGTA e tantos outros jogos que colocam o jogador no papel de um piloto (ou pessoa normal) fazendo peripécias em estradas e ruas são muito divertidos, isso é fato. Dirigir em altíssimas velocidades, dar saltos, andar fora das estradas, pilotar enquanto fala ao celular, tudo é muito bacana e legal no mundo virtual.

Mas é importante ter em mente que leis de trânsito existem e estão aí para serem obedecidas – não é à toa que os caras colocam aquelas mensagens que ninguém lê a respeito de segurança e tudo mais antes de os jogos começarem.

"Todas as experiências mostradas neste jogo são têm somente o propósito de entreter. No mundo real, dirija com segurança, obedeça as leis de trânsito e use sempre o cinto de segurança"

A verdade é que muita gente fica muito ansiosa depois que tira a habilitação, mas os jogos, por mais sérios que possam ser, nunca vão dar a dimensão real das consequências de um acidente de trânsito ou de ser preso por infringir as leis. Fica a dica:

"Lembrem-se, crianças: só porque funciona num jogo, não significa que você consegue fazer na vida real"

Até mesmo na vida real existe uma diferença enorme entre dirigir nas ruas e pilotar em uma pista, por isso lembrem-se sempre de ter muita responsabilidade atrás do volante, deixando a loucura toda e a diversão acontecer apenas nos games.

Qual foi a coisa mais maluca que você já viu em jogos de corrida? Comente no Fórum do TecMundo Games

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.