6 razões para Mortal Kombat X ser o melhor jogo da série

6 razões para Mortal Kombat X ser o melhor jogo da série

Último Vídeo

Um dos melhores “noventistas” dos consoles, Mortal Kombat é uma série que pode estufar o peito e dizer com orgulho: “eu revigorei o gênero de luta”. E é mentira? Street Fighter também é mágico e mora em nossos corações, cada qual à sua maneira, mas é inegável que Mortal Kombat abriu a porteira da sanguinolência nos video games – e por isso mesmo se consagrou entre os melhores de sua época.

Ao longo de todos esses anos, a série passou por várias gerações e se remodelou da forma que pôde. Afinal de contas, as transições e metamorfoses pelas quais a indústria atravessa requerem cuidado, e o gênero de luta, bem, às vezes é uma “montanha-russa” (o hype sobe e desce).

O fato é que Mortal Kombat teve seus altos e baixos como qualquer outra grande franquia que se sustenta do anseio dos jogadores. E nem estamos falando da violência em si, e sim do gênero ao qual o game pertence: luta. A história se perdeu, retomou os eixos em Mortal Kombat, um decente reboot da série, e agora quer “continuar arrancando suspiros dos fãs”, como definiu Ed Boon, a mente por trás da franquia. A demo jogável na E3 2014 já mostrou isso.

E é exatamente por isso que Mortal Kombat X, sequência direta desse reboot, tem tudo para manter a série nos bons eixos e fazer jus ao peso que um game de número 10 tem: ser histórico. Como? Vejamos:

1. Manter a brutalidade e elevá-la a outro patamar

A mente humana é um enigma um tanto inexplicável, pois todos nós simplesmente adoramos ver sangue jorrando na tela, tripas esvoaçantes e cabeças rolando. Se o último Mortal Kombat trouxe tudo isso de forma incrível graças ao Unreal Engine 3, motor utilizado como base para a criação do game, Mortal Kombat X tem tudo para aprimorar a técnica e servir como colírio a nossos olhos – e vejam só, a taxa de 60 fps já está confirmada na nova geração (PS4, Xbox One e PC).

2. Visual e física aprimorados graças à nova geração

As novas arquiteturas são fatores que alavancam esse quesito: o visual. Conforme mencionado, os desenvolvedores têm à disposição sistemas fresquinhos para trabalharem com o cobiçado Unreal Engine 3 e, dessa forma, enriquecerem a experiência visual (e visceral).

A física apresentada no trailer de anúncio, como muitos já sabem, não é um CG: é uma renderização em tempo real. Mesmo que Mortal Kombat X seja multiplataforma, o pessoal da NetherRealm tem à mão um belíssimo material para entregar uma física absurdamente fluida.

3. Estilos de luta melhorados

Alguns games da série já mexeram com isso, mas Mortal Kombat X trará os consagrados estilos de luta para cada lutador, permitindo, assim que exista uma melhor estratégia em cada batalha. Basicamente, os personagens terão três versões que resultam em golpes e combos diferentes.

Em outras palavras, haverá um sistema mais inteligente para cada disputa, e cabe ao jogador dominar as diferentes técnicas (e comandos) do seu lutador favorito para ter sucesso. Não é “decoreba”, é robustez de mecânicas.

4. Novos personagens e foco na história

A história sempre foi um elemento à parte da franquia. Os filmes podem não ter sido aquilo que os jogadores queriam (mas o primeiro até que é bom, vai), mas certamente fomentaram o mercado e definitivamente cravaram o nome da série na indústria de entretenimento.

Os novos personagens incluem Cassie Cage, filha de Johnny Cage com Sonya; a menina Ferra e o monstro Torr, que são um só (ela fica em cima dele, mais ou menos como os irmãos Toguro, de Yu Yu Hakusho). Temos também Kotal Kahn, que tem alguma ligação (ainda desconhecida) com Shao Kahn, e mais. Os personagens enriquecem um mundo que já está com fartura de carisma.

5. Interação com os cenários

Para quem não sabe, muitos desenvolvedores de Injustice: Gods Among Us (que também é da NetherRealm) trabalharam no último Mortal Kombat e novamente vão dar o toque de seu talento em Mortal Kombat X. E isso significa interação com os cenários, utilização deles como “ferramentas” a favor do jogador. Imagine os fatalities.

As mudanças, no humilde ponto de vista deste humilde redator (e fã da série) que vos escreve, não podem ser radicais justamente para não desagradar os mais puritanos. Ao mesmo tempo, é interessante existir sim esse detalhe, ainda que de forma sutil ou opcional – imaginem só arrebentar um cano da parede na cara de alguém, por exemplo. Seria fantástico, contanto que não agrida as raízes da série.

6. Alta responsividade

A rápida responsividade de comandos também é outra marca registrada de Mortal Kombat. Aperte e execute, simples assim. Ou soque antes e pergunte depois. Dificilmente os combos não saem da maneira que você esperava – é claro que isso exige destreza por parte do jogador, mas os comandos apertados sempre são respeitados.

Os combos de Mortal Kombat X, graças aos requintes da nova geração (mesmo que o game seja multiplataforma), têm potencial para se transformar num deslumbre aos nossos olhos, e não esperamos nada menos “soberbo” do que isso. Que venham os combos, e que venham requintados.

Mortal Kombat X será lançado para PlayStation 4, Xbox One, PlayStation 3, Xbox 360 e PC. Ainda não há data de lançamento. Infelizmente.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.