Acabou-se o que era doce: Bungie elimina “caverna mágica” de Destiny

Acabou-se o que era doce: Bungie elimina “caverna mágica” de Destiny

Último Vídeo

Quem viu, viu, e quem não viu, não vê mais: a “caverna mágica” de Destiny, onde jogadores ficam por horas matando inimigos que não param de nascer e dropam itens valiosos, foi oficialmente eliminada pela Bungie em patch lançado hoje pela desenvolvedora. É hora de tirar o cavalinho da chuva.

A atualização diminui o tempo de "spawn" (nascimento/surgimento)  dos inimigos da notória caverna, localizada na Patrulha do Cosmódromo, na Terra. Diversos outros bugs nesse sentido foram ajustados pela Bungie.

O local ganhou status célebre e rapidamente se espalhou pela internet, se tornando praticamente um “viral” do MMO. Basicamente, os jogadores ficam na parte de fora da caverna, respeitando uma certa distância, e aguardam o nascimento quase que infinito de inimigos que dropam armas, itens e engramas valiosos – objetos incomuns, raros e lendários poderiam ser adquiridos com facilidade.

A Bungie até se pronunciou oficialmente sobre o caso em seu site oficial:

“A experiência social de uma jogatina farmando na caverna é incrível: pegar uma equipe de Guardiões e colocar todos atrás de uma linha atirando na direção certa, a coleta dos itens na caverna, a bagunça quando ondas de inimigos [de eventos] aparecem, o brilho da caverna [dos itens dropados]. A rapidez com que a comunidade se organizou em torno dessa atividade foi inspiradora para nós. Mas atirar num buraco escuro por horas não é nosso sonho para a maneira como Destiny é jogado. Nossa vontade é que o engajamento social em espaços públicos seja apenas uma parte da experiência do jogo. Em breve, esperem por mudanças que diminuam a eficiência do farming na caverna e que deem engramas quando os jogadores completarem atividades”, divulgou a desenvolvedora.

Destiny está atualmente disponível para PlayStation 4, Xbox One, PlayStation 3 e Xbox 360.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.