Voxel
22
Compartilhamentos

Activision vai voltar a ser uma empresa independente

Último Vídeo

Fonte da imagem: Reprodução/Activision

Já no ano passado, rumores sobre uma possível separação entre as empresas Vivendi Universal e Activision circularam mundo afora. Agora, contudo, a contundente especulação finalmente chegou ao fim: a Activision Blizzard e um grupo de investidores chamado ASAC II vão comprar, junto à Vivendi, cerca de US$ 8,17 bilhões em ações em setembro.

E o que isso, em termos práticos, significa? A Vivendi, depois da celebração de todo o negócio, vai controlar apenas 12% das ações da Activision; o ASAC II vai se tornar um acionista, adquirindo com 24,9% das ações. A Activision, então, vai voltar a ser independente? Pode-se dizer que sim (uma vez que seus 63,1% de ações vão a caracterizar como principal acionista). De acordo com Robert Kotick, CEO da Activision, “essa transação será uma boa oportunidade para a Activision Blizzard e todos os seus acionistas, incluindo a Vivendi”.

Em resumo, o seguinte acordo está prestes a ser fechado: a Activision Blizzard vai comprar cerca de 430 milhões de ações da Vivendi por US$ 5,83 bilhões. O ASAC II, também parte do acordo, pretende assumir o controle de 172 milhões de ações pelo preço de US$ 2,34 bilhões – os 12% pertencentes à Vivendi representam, então, o restante “não negociado”.

O grupo de investidores

O ASAC II possui interesse sobre os rumos da Activision enquanto desenvolvedora de games. É possível dizer, então, que a Activision vai ser uma empresa “independente” – mas dependente, em certos aspectos jurídicos, de suas outras acionistas (Vivendi e ASAC II).

Fonte da imagem: Reprodução/Activision

E quais companhias fazem parte desse conglomerado bilionário de investidores? Até o momento, poucos dados foram divulgados à imprensa internacional, mas sabe-se que empresas como Tencent, Davis Advisors e Leonard Green & Partners são alguns dos membros do tal grupo.

Avaliação positiva por parte de analista

Em entrevista ao portal CVG24/7, Colin Sebastian, analista da empresa Robert W. Baird & Co., afirma que este é um dos resultados mais positivos aos acionistas da Activision. “Acreditamos que este é o resultado mais favorável à Activision – ‘melhor’ do que a venda das ações à Vivendi ou a um comprador estratégico alternativo”, disse Sebastian.

Fontes: The New York Times, Activision e CVG24/7.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.