Amiibo: confira nossas primeiras impressões sobre as figuras da Nintendo

Amiibo: confira nossas primeiras impressões sobre as figuras da Nintendo

Último Vídeo

Foi só os amiibos serem anunciados para que uma multidão de fãs da Nintendo (inclusive este que vos escreve) entrasse em polvorosa. Afinal, a proposta de ter o equivalente ao que Skylanders oferece, mas com personagens como Mario, Link, Pikachu e Samus, simplesmente parecia boa demais para ser verdade...

É uma pena que, com algumas poucas informações reveladas pela empresa, vimos realmente que os bonecos não eram tão bons quanto pensamos. Enquanto os famosos bonecos do mundo de Spyro permitiam ao jogador concentrar a experiência de várias aventuras e games em um único personagem, a Nintendo já começou desanimando muitos ao revelar que os dados de um único título poderiam ser gravados por vez.

Se isso impediu os amiibos de serem um sucesso, em seu lançamento? Nem de longe. Como já foi relatado aqui no BJ, os bonecos se mostraram uma enorme fonte de renda para a Nintendo, sendo considerada uma das melhores jogadas feitas pela companhia nos últimos anos. E admito que, mesmo com minhas ressalvas, contribuí em tudo isso – já na semana de lançamento das figuras, tinha em mãos as miniaturas de Link e Samus.

Não demorou, é claro, para que eu colocasse os dois em teste e, assim, saber se valeu a pena ou não investir nos amiibos.

Uma boa apresentação sempre é válida

Talvez um dos pontos que, sozinho, vai levar muitos fãs a simplesmente quererem comprar cada amiibo lançado, é o visual das figuras. Por mais que sejam feitos para adicionar conteúdo aos jogos da Nintendo, precisamos admitir que elas são o enfeite para a estante que todos os fãs da Big N sempre quiseram: com exceção de um ou outro mínimo borrado na pintura, os bonecos são impressionantes em nível de detalhe.

Para fãs de Super Smash Bros., os amiibos já lançados são especialmente impressionantes. Visto que eles replicam com exatidão os troféus dos personagens dentro do game, a sensação é de ter um pedaço do jogo fora dele. E nesse quesito os amiibos são bastante promissores, pois, embora modelos baseados em outros games não tenham sido mostrados, não seria surpresa ver a Nintendo fazendo algo com ainda mais qualidade, com o passar dos anos, com base em outros títulos.

Muitas possibilidades, poucos usos

Ok, ok. Como eu disse antes, os amiibos não são tão úteis quanto poderiam, já que cada figura está presa a gravar os dados de um único game. Isso não quer dizer, contudo, que não hajam muitas maneiras promissoras para utilizar eles.

O melhor exemplo atual de como um amiibo pode ser utilizado em todo o seu potencial foi no caso de Super Smash Bros. No game, você consegue criar um lutador personalizado, com atributos e golpes especiais, e salvá-lo diretamente no boneco – então é só colocá-lo no leitor para que uma versão do personagem controlada pelo computador entre em jogo (e essa, aliás, ganha níveis e melhora sua habilidade a cada batalha).

Após algumas horas contra os amiibos no jogo de luta da Nintendo, devo dizer que a mudança é realmente impressionante. De oponentes que simplesmente não ofereciam qualquer perigo, eles passam a aprender as táticas do oponente e utilizar o melhor de cada adversário; como resultado, não foi raro vê-los superando a dificuldade da inteligência artificial do game.

Já para um método que não precise gravar dados em seu amiibo (o que, por sua vez, permite que ele seja utilizado em mais games), a empresa traz um sistema bem mais simples, oferecendo conteúdos especiais para quem utilizar as figuras nos jogos. O mecanismo acaba funcionando bem: no caso de Hyrule Warriors, por exemplo, você ganha novas armas e itens raros diariamente como recompensa por usar os bonecos.

Infelizmente, porém, parece que os amiibos estão apenas sendo usados da maneira menos interessante possível em todo o resto. No lugar de dar algumas regalias para o jogador, os títulos se dedicam a oferecer algo que não afeta ou muda em nada a experiência: games como Mario Kart 8, Ace Combat: Assault Horizon Legacy Plus e One Piece: Super Grand Battle! X apenas adicionam roupas aos personagens, por exemplo.

Embora ainda estejamos falando de um número pequeno de títulos já suportando os personagens, comparar a maneira como as figuras vêm sendo utilizadas nos games é um tanto preocupante. Afinal, investir em bonecos que custam bem mais caro do que qualquer pacote de DLC apenas para ganhar uma roupa tematizada com Link ou Mario não parece um bom negócio.

Mais brinquedo do que devia

Em poucas palavras, “ainda não”. Em uma explicação mais detalhada, o fato é que os amiibos ainda estão não apenas dando seus primeiros passos, como oferecem vantagens medianas mesmo nos games que possuem a melhor integração. Para piorar, tudo indica que as figuras devem ser usadas apenas para liberar conteúdo “inútil” nos games, e o preço médio de R$ 100 por boneco não ajuda a incentivar os jogadores.

Assim, se quiser comprar um amiibo, esteja preparado: mesmo os fãs da Nintendo devem tê-lo apenas como um enfeite de prateleira, na maior parte do tempo, no lugar de algo que vai expandir sua experiência de jogo.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.