Voxel
44
Compartilhamentos

“Antes tarde do que nunca”, diz Tretton sobre recuo da Microsoft

Último Vídeo

O presidente da Sony Computer Entertainment of America (SCEA), Jack Tretton, foi o convidado da última edição do programa Up at Noon, apresentado por Greg Miller, do site IGN. Na ocasião, os dois conversaram sobre o PlayStation 4 e a concorrência com o novo console da Microsoft.

De acordo com Tretton, todas as novidades apresentadas pela companhia durante a edição deste ano da Electronic Entertainment Expo (E3) são reflexo de uma nova filosofia adotada pela Sony após o lançamento do PlayStation 3, em 2008.

“Em um negócio multibilionário como esse, todas as decisões são tomadas com meses de antecedência. Nós acreditávamos que nós tínhamos um produto de grande valor para o público, mas não sabíamos como estávamos em relação a concorrência. De qualquer maneira, nós estávamos bem com o que nós tínhamos porque [um preço] menor é melhor que um maior – algo que nós aprendemos com o PlayStation 3”, explicou o executivo.

Já quando questionado sobre o recuo da rival em relação ao uso de DRM sempre online, Tretton foi categórico: “Antes tarde do que nunca. Eu acredito que eles entenderam a mensagem”, afirmou, antes de aproveitar a pergunta para falar que a Sony gastou doses consideráveis de tempo e esforço para ouvir os consumidores e desenvolvedores para criar uma plataforma amigável a todos.

No entanto, o executivo preferiu não assumir a ideia de que a batalha já estaria ganha. “A indústria passa por altos e baixos e, para sobreviver, é necessário estar atento. Eu tento não ser arrastado para baixo, mas também não deixo me levar muito para o alto. Devo admitir que me permiti aproveitar alguns minutos após a conferência da E3. No entanto, logo em seguida foi preciso balançar a cabeça e lembrar que voltamos ao primeiro dia de uma batalha de dez anos e é preciso conquistar o apoio dos consumidores, um de cada vez. Então é o momento de voltar às trincheiras”, concluiu.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.