Voxel

Autoridades escocesas ligam disputa em Gears of War 3 a assassinato

Último Vídeo

Img_normal
Em uma repetição de uma situação que já aconteceu diversas vezes no passado, novamente as autoridades de um país ligaram um game eletrônico a um crime brutal — provavelmente fruto da clássica combinação entre ignorância e preguiça intelectual. Dessa vez, foi a polícia escocesa a responsável por relacionar uma disputa em Gears of War 3 ao assassinato perpetuado por um jovem de 14 anos.

Segundo as autoridades do país, o fim de uma amizade originada nas partidas online do título foi o que motivou o acusado a cortar a garganta de um garoto de 13 anos. “O oficial responsável tem a opinião que os games jogados online pelo acusado podem ter influenciado em sua conduta”, afirmou o promotor do caso.

“Esses jogos são classificados para 18 anos e não deveriam ser acessados por crianças dessa idade — porém as jogatinas online podem estar fora do conhecimento de seus pais”, declarou o presidente da Polícia Federal Escocesa ao Daily Mail. “Precisamos investigar o que podemos fazer para parar isso”, complementa. Segundo a polícia, o acusado cortou a garganta da vítima “em uma cena que lembra muito games violentos”, e depois simplesmente saiu andando calmamente do lugar.

A mesma velha história

O que a acusação parece preferir ignorar é o fato de que o acusado, hoje com 16 anos, na época do crime já era pai de uma criança — sinal de que ele não era exatamente bom em controlar seus impulsos ou em pensar a longo prazo. Além disso, a promotoria ignora o fato de que a cena descrita também poderia se encaixar muito bem em um filme de ação dos anos 1980 — algo que, não estranhamente, sequer foi mencionado pelos policiais.

Como quase sempre acontece nesses casos, parece que o desconhecimento sobre o mundo dos games foi determinante para que Gears of War 3 fosse considerado o culpado pela conduta do jovem. Afinal, muito mais fácil responsabilizar uma peça de entretenimento do que tentar investigar os motivos reais que levaram ao crime, já que isso poderia exigir algum esforço de observação e provocar reflexões sobre a sociedade em geral — algo que "seria um verdadeiro absurdo" aos olhos de muitos.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.