BGS 2014: jogamos Toren, o game brasileiro com cara de animação japonesa

BGS 2014: jogamos Toren, o game brasileiro com cara de animação japonesa

Último Vídeo

Se você encontrar por aí alguma lista com os mais belos e promissores jogos brasileiros, Toren certamente estará nela (e bem provável que ele esteja figurando no topo). Desenvolvido pelo estúdio Swordtales, a obra está em desenvolvimento desde 2011 e é famosos sobretudo por ter sido o primeiro jogo eletrônico contemplado pela Lei de Incentivo à Cultura (nº 8.313, mais conhecida como Lei Rouanet).

Tendo sido beneficiado pelo programa de incubação da Sony, a obra será lançada no começo de 2015 para PS4, PC e Mac OS. O TecMundo Games teve a oportunidade de experimentar uma rápida demonstração do jogo durante a Brasil Game Show 2014, evento que estará aberto ao público até o domingo (12).

De acordo com Vitor Severo Leães, um dos produtores do título, a DEMO testada por nossa equipe foi modificada especialmente para a BGS, já que os visitantes desse tipo de feira dispõem de menos tempo para conhecer as obras expostas. "Então resolvemos elaborar uma demonstração com menos diálogos e textos, mais focada para a ação", explica Leães. Com fones de ouvido e gamepad nas mãos, embarcamos naquela que promete ser a aventura mais épica já criada por um estúdio brasileiro.

Uma receita que deu certo

Como alguém que cresceu assistindo a centenas de animações japonesas, a primeira coisa que me veio à cabeça enquanto jogava Toren foram as obras de Hayao Miyazaki. A ambientação e a narrativa do game lembra muito animações premiadas como "A Viagem de Chihiro" e "Mononoke Hime". E eu não me senti surpreso ao pesquisar um pouco sobre o histórico do jogo e descobrir que a Swordtales de fato se inspirou no trabalho do artista japonês, ainda que tenha preferido adotar um estilo visual mais parecido com alguns capítulos da franquia The Legend of Zelda.

No geral, ignorando os bugs normais que existem em toda demonstração (como personagens atravessando paredes e quebras de polígonos), Toren está simplesmente lindo demais. A obra adota uma narrativa bastante minimalista e misteriosa, lembrando, nesse ponto, de sucessos como Shadow of the Colossus (que também coloca o protagonista em uma aventura solitária e sombria).

O game começa com um prólogo misterioso e, em seguida, coloca o jogador em uma situação ainda mais anormal: você está no controle de uma inofensiva criança que mal consegue andar e deve engatinhar até alcançar uma espada. Ao fazê-lo, a personagem cresce alguns anos e já consegue lutar. Presa em uma torre e ameaçada por um enorme dragão, você precisa resolver alguns puzzles, eliminar alguns inimigos bobos e explorar um belíssimo cenário com detalhes de cair o queixo.

Apreciando os detalhes

É impressionante como a Swordtales se atentou aos mínimos detalhes para assegurar que o jogador tenha uma experiência inesquecível com Toren. A protagonista, que no início do jogo ainda é uma criança, tem dificuldades para transpor alguns obstáculos no caminho e age de uma forma bastante natural para alguém de sua idade: é particularmente divertido vê-la tropeçando em pequenos buracos e pulando de forma desengonçada para alcançar uma plataforma mais distante. Toren chama a atenção por não apelar ao esteriótipo de super-herói e nos apresentar uma personagem que age como qualquer um de nós.

Em questão de jogabilidade, a obra apresenta uma mecânica bem simples e que você aprenderá em poucos minutos. Há um botão para pular e outro para atacar; a movimentação da protagonista fica a cargo do analógico esquerdo, enquanto o direito movimenta a câmera. Ainda que seja uma característica intencional da jogabilidade, há quem vá se decepcionar com a falta de suporte que Toren oferece ao jogador: na maioria das vezes, você estará preso em um puzzle sem quaisquer indicações sobre o que fazer em seguida.

A equipe por trás do título não revela muitos detalhes sobre a história do game: um flyer distribuido durante a BGS 2014 se limita a dizer que trata-se de uma aventura sobre "descoberta e crescimento". É bem provável que o jogador acompanhará todas as fases da vida da protagonista, que tenta a todo custo escapar da torre que lhe prende e alcançar algum objetivo inicialmente desconhecido pelo espectador. Esse tom de constante mistério é uma das armas que Toren utiliza para prender você em uma narrativa silenciosa e gostosa de acompanhar.

Uma longa espera que vale a pena

Como dissemos anteriormente, Toren está em desenvolvimento desde o ano de 2011 e quase foi cancelado em 2012, quando a Swordtales não tinha mais certeza de que conseguiria tocar o projeto até o final. Agora, a equipe promete que o game será lançado no ano de 2015, sendo disponibilizado para PC, Mac OS e Playstation 4. A obra será um dos principais títulos do catálogo da ThinPlay, marketplace exclusivo para jogos brasileiros e que foi lançada no primeiro dia da BGS 2014. 

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.