BGS 2017: HyperX aposta no eSports e conta mais sobre o mercado brasileiro

BGS 2017: HyperX aposta no eSports e conta mais sobre o mercado brasileiro

Último Vídeo

Durante a Brasil Game Show 2017, fomos até o estande da HyperX para conversar um pouco com os executivos da marca no Brasil. Uma das pessoas com a qual conversamos foi Carolina Maldonado, vice-presidente de marketing da empresa na América Latina.

Entre os destaques, conversamos bastante sobre a linha de produtos da marca, que está contemplando um público maior, e sobre o atual foco da companhia, que tem como um dos alicerces o eSports e o apoio ao cenário competitivo no Brasil.

Carolina Maldonado, HyperX

Novos produtos que abrangem o público

Uma das dúvidas que tínhamos era: com novos fones, teclados e outros acessórios, qual é o objetivo da HyperX? Afinal, o Cloud Alpha, por exemplo, chega por uma faixa de preço parecida com a do Cloud II, modelo mais antigo. Teoricamente, parece o caso típico de substituição de modelo, mas não é o caso.

De acordo com a executiva, a ideia é abranger o alcance e criar produtos que atendem públicos diferentes. O Cloud Alpha, por exemplo, era um fone de ouvido mais voltado para jogadores de FPS que buscam um periférico com graves melhores; já o Cloud II continua existindo, com uma emulação 7.1 e uma função mais “coringa” para qualquer gênero.

Diversos produtos foram mostrados durante a BGS, como o teclado Alloy Pro, um periférico mecânico mais em conta. Aliás, linha de entrada é algo que a HyperX vem apostando, segundo a executiva. Dessa forma, Carolina Maldonado nos explicou que a marca pretende atingir diversas faixas de jogadores, desde o entusiasta por games até a pessoa que deseja se tornar um pro player.

Segundo a HyperX, o feedback por mídias sociais e os testes de jogadores profissionais ajudam a aprimorar os produtos da marca

Para completar, questionamos se existe o interesse em dar um foco maior no público de consoles, que é separado dos “pc gamers”. De acordo com a empresa, eles já olham para esse setor, mas não podem falar nada no momento. Porém, alguns produtos já estão desenvolvimento e parte do processo de criação vem do feedback de jogadores de console. Será que vem novidade por aí?

E os eSports? Brasil é um dos focos

Durante a conversa com Carolina, um dos assuntos foi o eSports, que é inevitável quando estamos falamos de HyperX, já que a empresa está patrocinando alguns campeonatos e equipes no cenário competitivo de jogos.

HyperX, eSports

Mas qual é a vantagem para a empresa? Basicamente, é a marca exposta no local onde ela é mais bem vista: onde o público o nicho atingido está. De acordo com a executiva, focar o eSports foi uma das melhores decisões até hoje e é um dos alicerces da empresa.

Por mais incrível que pareça, Brasil está no Top 5 em mercado de eSports para a HyperX

Segundo a HyperX, o Brasil está no top 5 mercados mundiais para a marca quando o assunto é eSports. Sem dúvidas, trata-se de uma informação impressionante que reflete o quanto o mercado de games brasileiro cresceu nos últimos tempos. Atualmente, a marca patrocina mais de 100 times no mundo todo (cerca de 30 times, 5 desses brasileiros).

A HyperX está com estande na Brasil Game Show 2017 todos os dias e terá diversas partidas por lá. Estão confirmados os times brasileiros de League of Legendas do CNB, KaBuM! e Progaming, os argentinos da Isurus, a equipe feminina de CS:GO da  Bootkamp, os jogadores de FIFA Lucasresp (BRA) e Patan (ARG). A BGS 2017 vai do dia 11 a 15 de outubro. Caso você vá, não deixe de passar no estande do Voxel para tentar ganhar prêmios!

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.