TCG jogou: Ori and the Blind Forest traz experiência única ao Xbox One

TCG jogou: Ori and the Blind Forest traz experiência única ao Xbox One

Último Vídeo

Entre tantos jogos que abusam de gráficos para mostrar explosões, cenários mirabolantes e elementos diversos a ponto de fazer a placa de vídeo do console sofrer um pouco, é agradável ver no televisor algo mais artístico e com uma pegada um pouco mais simples, proposta que Ori and the Blind Forest promete cumprir.

A Brasil Game Show 2014 se mostrou a oportunidade perfeita para termos contato com o game que, curiosamente, está atraindo a atenção de poucos visitantes. Dificilmente você terá problemas para se aventurar ao lado de Ori, mas certamente sairá de lá dizendo que essa é, com certeza, uma adição mais que bem-vinda à lista de jogos do Xbox One.

Beleza Metroidvania

A primeira coisa que vai chamar a sua atenção em Ori and the Blind Forest é o cuidado que a equipe da Moon Studios teve com o jogo. Acompanhar essa aventura é o mesmo que ver um desenho animado, e dificilmente você deixará passar batido alguns detalhes, como momentos em que alguns elementos aparecem mais próximos da tela e o personagem fica quase que em segundo plano, por exemplo.

Por falar em aventura, ela é do tipo que tem potencial para agradar tanto os jogadores casuais quanto aqueles que querem ter suas habilidades colocadas à prova. Você usa apenas quatro botões para guiar o protagonista pelos cenários (um para pular, outro para atacar, um para mover objetos no cenário e um para abrir a árvore de habilidades), deixando tudo bem dinâmico e intuitivo.

Sim, Ori possui uma árvore de habilidades, conferindo ao game elementos de RPG. É verdade que ele não possui tantas técnicas para habilitar, mas todas elas se mostram úteis para a jornada, como a possibilidade de atacar de forma mais rápida. Para desbloqueá-las, basta juntar esferas amarelas obtidas ao derrotar inimigos, quebrando cristais ou destruindo algumas plantas que aparecem no caminho.

Para aqueles que querem uma experiência mais duradoura, Ori and the Blind Forest se enquadra no estilo que ficou conhecido como Metroidvania. Há vários momentos de ação em um mapa gigantesco para explorar (sem trocas de fase), alem de busca por itens para melhorar o personagem (como esferas que aumentam a energia e a força do ataque) e fragmentos úteis para abrir portas e prosseguir com a aventura.

E é assim que você fica quando começa a jogar Ori and the Blind Forest: nem percebe quando alguém tira uma foto sua...

Balanço geral: marque-o na lista de “preciso comprar”

A demonstração de Ori and the Blind Forest é relativamente longa. Tendo em vista que ele não é um jogo muito disputado, você não terá problemas para seguir até o final do trecho disponibilizado no evento. Após largá-lo, o problema vai ser esperar até o seu lançamento para Xbox One, PC (que deve ocorrer ainda em 2014) ou para Xbox 360 em 2015.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.