TCG viu: NPCs agirão de forma independente em Watch Dogs

TCG viu: NPCs agirão de forma independente em Watch Dogs

Último Vídeo

Cinco anos. Esse foi o tempo que a Ubisoft levou para desenvolver Watch Dogs. Um trabalho que envolveu diversas pessoas e com um propósito em mente: fazer algo diferente de muitas coisas que já estão disponíveis no mercado. 

E onde o time de produção poderia fazer a diferença nesse sentido? Nos NPCs, algo que a equipe do BJ pôde conferir de perto em uma exibição feita por Thomas Geffroyd, diretor de conteúdo de Watch Dogs, em um evento realizado nesta quinta-feira (8) em São Paulo. 

Vida própria 

Uma coisa ressaltada por Geffroyd durante a apresentação é que os personagens do mundo do jogo terão vida própria e uma história, além de habilitar várias missões paralelas. Na demonstração, Aiden, o protagonista do título, estava passando pela rua e decidiu hackear o celular de uma mulher. Ao ativar seu smartphone, ele obteve informações como idade, peso, altura e outros dados sobre ela. 

Além desses dados, ele também visualizou uma conversa de texto e descobriu que sua casa havia sido assaltada minutos antes. Uma questão de escolha: ajudar ou não? Neste caso, o jogador optou por seguir para o meio da bagunça e resolver tudo com as próprias mãos. 

Como já é sabido por muitos, o game dará ao jogador a opção de escolher como chegar ao local das missões — na demonstração, o protagonista utilizou um carro. Após conseguir, com sucesso, impedir a fuga dos ladrões, Aiden entrou em confronto com a polícia (e aqui vimos um elemento legal: o fato de poder correr, pular sobre o carro e chutar quem está escondido atrás) e, vendo que estava em desvantagem, decidiu fugir. 

Na fuga, o personagem mostrou o seu poder no que diz respeito às habilidades de hackear. Com o carro em movimento, ele conseguiu abrir uma porta de segurança e fugir de parte dos policiais. Uma viatura ainda ficou na sua cola, e, ao escapar de forma cinematográfica, a ação ficou em câmera lenta e foi possível ver tudo o que estava ao redor — uma forma de recompensá-lo pelo feito com um belo espetáculo visual e, de quebra, dar chances de traçar seus próximos movimentos. 

Vagando pela cidade 

A missão é concluída quando Aiden provoca um blackout e consegue parar o carro em um estacionamento, evitando os olhares de policiais que o perseguiam em veículos e em um helicóptero. Porém, isso não foi tudo o que pudemos conferir na demonstração. 

Há um medidor de bateria para o celular, uma das principais armas de Aiden durante a sua jornada. Porém, ela não é eterna, e você deve recarregá-la de tempos em tempos para prosseguir com essas ações. Mas há uma forma de ampliar o tempo de duração dela – mas, infelizmente, o diretor de conteúdo não explicou como isso vai acontecer. 

Somado a isso, também há o fato de que boa parte das missões dará ao jogador a possibilidade de escolher a forma como deseja lidar com a situação. Quer seguir de forma silenciosa? Prefere descer chumbo grosso em todos os que estão no caminho? Acha mais legal ir hackeando os sistemas até cumprir seu objetivo? A decisão é sua. 

Porém, tenha uma coisa em mente: caso opte por sair atirando em todo mundo, você será procurado de forma incessante. Seu rosto aparecerá em noticiários televisivos, e a população vai informar a polícia sempre que você for reconhecido – o que deve tornar as coisas mais empolgantes, mas igualmente complicadas. 

E a qualidade gráfica? 

Tivemos a oportunidade de conferir uma demonstração da versão do jogo para PlayStation 4. Ao contrário do que alguns podem imaginar, o game apresenta uma qualidade visual impressionante e sem queda de frames durante as ações. 

A demonstração também deixou alguns detalhes evidentes: vimos três passagens de tempo (manhã, fim de tarde e noite, sendo que neste momento havia uma garoa incessante caindo), e os efeitos estão bem convincentes. A recriação de Chicago (onde acontecem os eventos do jogo) é bem fiel, com vários pontos iluminados, pontes e prédios pelo caminho, o que certamente deve agradar aos mais exigentes que possuem os consoles da nova geração. 

Para concluir, apenas um detalhe: em um bate-papo que tivemos com o diretor de conteúdo (que você vai conferir em breve aqui no BJ), ele mencionou que o game vai “apresentar várias surpresas para o jogador”, mas que não iria entregar nenhuma delas. Alguns membros da redação ainda acreditam que isso pode ter relação com a conexão entre Assassin’s Creed e Watch Dogs, e você?

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.