Blasfêmia: fisicistas questionam a veracidade de Super Mario Galaxy

Blasfêmia: fisicistas questionam a veracidade de Super Mario Galaxy

Último Vídeo

Tem gente que leva video game muito a sério. Tanto é que os alunos do Departamento de Física e Astronomia da Universidade de Leicester, na Inglaterra, resolveram estudar a veracidade científica e numérica de Super Mario Galaxy, game lançado em 2007 para o Wii.

O foco principal da análise foram a densidade e a gravidade dos minúsculos planetas explorados por Mario. Na melhor das hipóteses,eles descobriram que a natureza da galáxia do jogo é implausível.

Sou eu, a Densidade!

De acordo com artigo intitulado “It’s me, Density!”, os mundos mostrados no game original e em sua sequência de 2010 poderiam explodir a qualquer momento devido ao grave desequilíbrio gravitacional, à degeneração e ao coulomb (interação eletrostática entre partículas eletricamente carregadas). Além disso, o estudo tenta racionalizar o tamanho de uma típica galáxia com o nível de gravidade que afeta o jogador.

Simplificando um pouco: o jogo permite que Mario corra e pule quase com a mesma gravidade aplicada na Terra (ou no Reino dos Cogumelos), mas os planetas esféricos do jogo são muito menores do que um mundo comum. Tais objetos são possíveis, mas precisariam ser muito mais densos.

Resultados catastróficos

Segundo o estudo, Mario Galaxy é muito irreal e poderia acabar de forma trágica: “Claramente, a pressão de degeneração ultrapassa a pressão gravitacional por 11 ordens de magnitude”, informa a análise. “O resultado dessa discrepância é que, se fosse construído, o planeta sobreviveria durante poucos instantes antes de se autodestruir violentamente, levando consigo qualquer encanador baixinho que esteja correndo sobre sua superfície”, sentencia.

Pelo visto, a Nintendo não fez muitos estudos e cálculos científicos na hora de criar Mario Galaxy – mas ainda assim ele continua sendo muito divertido, não é mesmo?

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.