Voxel

Blizzard marca presença e chama atenção na Brasil Game Show

Último Vídeo

Para marcar presença na Brasil Game Show, a Blizzard realizou duas palestras, além de contar com um mega stand, onde foi realizado seu primeiro Torneio Invitational Latino-americano de StarCraft II: Wings of Liberty, que durou os dois dias do evento. O torneio reuniu oito dos maiores jogadores da América Latina (nenhum brasileiro) e teve direito a narração, o que prendeu ainda mais a atenção dos fãs de estratégia que estavam presentes na feira. Quem não estava participando do concurso também teve a chance de experimentar StarCraft II: Wings of Liberty e concorrer a brindes diversos.

As palestras da Blizzard começaram com o brasileiro Fausto de Martini que contou um pouco sobre o desenvolvimento de cinematics em games e respondeu a perguntas, em especial sobre sua carreira. Fausto é diretor de arte da Blizzard há oito anos e conta que sempre se interessou em trabalhar com personagens e animações 3D. Depois de cursos e muito treino, ele desenvolveu sozinho um personagem inspirado em seu jogo favorito: Starcraft.

Ao colocar sua criação nos fóruns e sites de jogos, as propostas de empregos de empresas americanas e europeias não paravam de surgir. Até que a Blizzard o chamou e assim ele foi para lá, atuar inicialmente como artista de cinematics. Logo se destacou e começou a atuar na transição dos desenhos em 2D para jogos 3D. Para ele, o trabalho é realmente a realização de um sonho, e sem dúvida alguma sabemos que esta história é um excelente incentivo para os brasileiros.

Já Steve Huot, diretor de operações da Blizzard para a América Latina, comentou sobre os planos da empresa no mercado latino-americano. Ele confessa que a Blizzard está há 15 anos pensando no Brasil e que agora resolveu realmente investir no país, já que cada vez mais estamos conectados à internet.

Como cultura da empresa, Steve ressalta que é muito importante para Blizzard conseguir lançar seus títulos no mesmo dia no mundo todo, algo que foi possível com Starcraft II. Lançar os jogos nos idiomas natais também é muito valorizado pela companhia, porém nem sempre isso é possível devido ao custo e tempo.

E por fim, o preço acessível também é uma preocupação constante. Quando questionado sobre a empresa se focar no PC, ele alega que um dos motivos é o preço com que o produto chega ao consumidor final, sempre mais baixo que para os consoles.

Eles ainda não podem garantir os lançamentos de Diablo III, de World of Warcraft e nem mesmo dos pacotes de expansão para Starcraft II em português, mas isso certamente está sendo considerado, assim como o lançamento da Battle.net oficialmente no país. Pensando nisso, um dos espectadores da palestra perguntou a Steve por que os brasileiros são tão odiados online, e sua resposta foi que desconhecia este ódio e nunca havia ouvido falar de algo assim.

Uma informação que deixou todos babando foi em relação a um teste que a Blizzard fez na América Latina. Uma pessoa ficou um mês viajando pelos mais diversos locais do continente, jogando nas mais diferentes conexões, e testando o desempenho dos jogos da empresa. “Alguém aqui quer este emprego no ano que vem?”, ele pergunta.

Para finalizar, Steve lembra que Starcraft é considerado um esporte oficial em muitos países e é isso que eles querem no Brasil. Para ele a pirataria ainda é uma realidade no país, mas foi através dela que foi possível quantificar o público que a Blizzard poderia conquistar ao vender seus jogos por preços mais acessíveis.

Ele ainda aconselhou os que sonham em trabalhar na indústria de desenvolvimento de jogos a não desistirem e continuarem mostrando seus trabalhos na internet, criando portfólios e assim por diante, já que eles querem muitos “Faustos de Martini” para se juntar a eles.

Confira a seguir, fotos do stand da Blizzard e do vencedor do Torneio Invitational Latino-americano de StarCraft II: Wings of Liberty, que levou para casa 5 mil dólares. As fotos são fotógrafo Renan Barreto e do TecMundo Games.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.