Com Boltz, SK Gaming vence a EPICENTER 2017 ao bater o Virtus.Pro
02
Compartilhamentos

Com Boltz, SK Gaming vence a EPICENTER 2017 ao bater o Virtus.Pro

Último Vídeo

A equipe brasileira de CS:GO da SK Gaming venceu neste domingo (29) a EPICENTER 2017 ao derrotar os poloneses do Virtus.Pro em uma MD5. O evento que ocorreu em São Petersburgo, na Rússia, reuniu oito das melhores equipes do mundo em busca do título de campeão e da premiação de quase US$ 500 mil. Os brasileiros surpreenderam a comunidade internacional após ótima performance no evento jogando com um substituto. Ricardo ‘Boltz’ Prass foi peça fundamental para a vitória da SK Gaming que, além do título, levou US$ 250 mil para casa, o que, na conversão atual, representa cerca de R$ 810 mil reais.

A grande final foi uma surpresa para toda a comunidade e fãs de CS:GO. Por um lado, tínhamos a SK Gaming que estava jogando com um substituto e ninguém esperava um ótimo desempenho da equipe. Por outro lado, a equipe do Virtus.Pro, que mesmo sendo uma equipe muito perigosa, não estava em uma boa fase. Pontos esses que não atrapalharam ambas as equipes para se classificarem para a grande final. A equipe brasileira deixou no caminho os favoritos para o título e atuais top1 e top2 de CS:GO. FaZe Clan e Astralis não foram capazes de parar os brasileiros. Enquanto isso, o Virtus.Pro venceu os atuais campeões do major, a Gambit Gaming, que também passou pela favorita FaZe Clan, e, por último, venceu o dream team francês da G2 se classificando para a grande final.

Como foi a final

As equipes da SK Gaming e Virtus.Pro se enfrentaram em uma MD5. Os mapas escolhidos para esse confronto ficaram a cargo de Mirage (SK), Inferno (VP), Train (SK), Cache (VP) e Cobblestone.

SK vs Virtus.Pro - Mirage

Mirage foi o primeiro mapa da grande final como escolha da SK Gaming. A equipe brasileira não teve um bom começo atuando do lado dos terroristas. Após perder o pistol round para os adversários, a equipe de FalleN não conseguia concluir o avanço e plantar a bomba, o que resultou no placar de 5 a 0 para os poloneses. Na sequência até houve uma reação dos brasileiros que conseguiram fazer uma boa sequência e se aproximar da Virtus.Pro. Porém, não foi o suficiente para frear o bom momento dos poloneses que fecharam a primeira metade com o placar de 10 a 5.

Na segunda metade e agora atuando pelo lado dos contra-terroristas, a equipe da SK venceu o pistol round mas não conseguiu converter os ecos seguintes, o que resultou em nova sequência de rounds para o VP que aumentou a vantagem. Os brasileiros ainda demonstraram uma reação no meio da segunda metade. Mas não foi o suficiente para se aproximar dos poloneses que fecharam o mapa pelo placar de 16 a 13.

SK vs Virtus.Pro - Inferno

O mapa Inferno foi uma grande surpresa. Os brasileiros não estavam conseguindo se encontrar no mapa quando jogaram contra outras equipes - o que pode ter influenciado para a VP ter feito a escolha. O que ninguém imaginava era que os brasileiros fossem empatar a série sem se dar conta dos adversários. Na primeira metade atuando pelos contra-terroristas, a equipe brasileira até encontrou certa resistência dos adversários. Porém, foi algo que limitou-se apenas na primeira metade que terminou em 9 a 6 a favor da SK.

No segundo half, agora jogando no time dos terroristas, os brasileiros da SK Gaming venceram o pistol round e fizeram uma ótima sequência. Sem erros e aproveitando o bom momento, a equipe brasileira não deixou os poloneses se encontrarem no mapa, o que resultou em uma vitória rápida. Final do mapa Inferno: 16 a 6 para a SK Gaming.

SK vs Virtus.Pro - Train

Agora com a série empatada, o terceiro confronto da MD5 foi disputado no mapa Train - escolha da SK Gaming. Mesmo com ótimo desempenho nesse mapa, a SK Gaming encontrou uma Virtus.Pro que queria recuperar a vantagem na série. Com uma primeira metade impecável, os poloneses não erraram e conseguiram abrir uma diferença elástica em cima dos brasileiros. Atuando pelo lado dos contra terroristas, a equipe da VP terminou o primeiro half com o placar apontando em 12 a 3 a seu favor.

Antes de iniciar a segunda metade, parecia que o resultado do mapa Train já estava decretado - felizmente a realidade era bem longe disso. A SK Gaming, em lindo comeback, começou a se recuperar e de pouco em pouco foi se aproximando do adversário. Os rounds eram de alto nível e entre clutches e boas defesas, a equipe brasileira forçou o overtime em cima dos poloneses. Embalada pela sequência de rounds, venceu o mapa Train e passou à frente da série mais uma vez.

SK vs Virtus.Pro - Cache

Agora com a vantagem para a SK Gaming, a equipe do Virtus.Pro precisava vencer seu mapa de escolha caso quisesse forçar o último confronto da MD5.

Atuando pelo lado dos contra-terroristas, a equipe da VP teve um ótimo começo na primeira metade, abriu 5 a 0 em cima dos brasileiros. Infelizmente, o gás não durou muito e os brasileiros conseguiram se recuperar depois de ótima sequência de rounds - sequência tão boa que deu a vantagem para os brasileiros no fim da primeira metade. O primeiro half terminou em 9 a 6 para FalleN e companhia.

Nesse momento era tudo ou nada para os poloneses: eles precisavam recuperar a vantagem e vencer os brasileiros para forçar o último mapa. Dito e feito. Os poloneses, atuando no time dos terroristas, não deram quase mais nenhum espaço para os brasileiros, que nada puderam fazer para frear os poloneses. Eliminando toda a equipe adversária ou explodindo a C4, a equipe da VP foi se aproximando do 16º ponto, o que não demorou muito para acontecer. Final do mapa Cache: 16 a 12 a favor dos poloneses que empataram a série.

SK vs Virtus.Pro - Cobblestone

O último e derradeiro mapa ficou a cargo de Cobblestone. Ambas as equipes tinham um bom histórico nesse mapa, o que resultou na melhor e mais longa partida da grande final.

Os brasileiros até começaram bem após vencer o pistol round e converter os dois ecos seguintes. Porém, a festa brasileira terminou no primeiro armado, momento em que a VP venceu ao eliminar toda a equipe da SK e começou a conquistar pontos round após round, sem dar espaço para FalleN e seus companheiros. Na reta final da primeira metade os brasileiros até conseguiram uma ligeira reação, o que impediu que os poloneses abrissem um placar muito elástico. A primeira metade terminou em 8 a 7 para a equipe do Virtus.Pro.

No início do segundo half o jogo foi bem unilateral a favor dos poloneses que, muito empolgados, foram se aproximando cada vez mais da vitória, chegando a ter o placar marcando 14 a 9 a seu favor. A partir disso, os brasileiros começaram novamente a busca pelo comeback, e o fizeram. Round após round, com muita emoção, cold, boltz, fer, taco e fallen foram se aproximando da VP e, depois de muito esforço, conseguiram forçar mais um overtime, o que permitiu a equipe brasileira respirar na competição.

O primeiro overtime não foi nada bom para os brasileiros. Jogando de CT, seu melhor lado no mapa, os brasileiros conseguiram converter apenas um ponto a seu favor, deixando a difícil tarefa de vencer o mapa atuando pelo lado dos terroristas - o que não aconteceu. Os brasileiros não conseguiram vencer o primeiro overtime, na verdade, com muito esforço conseguiram forçar o segundo.

No segundo overtime, a história mudou. Os brasileiros conseguiram vencer todos os rounds do lado dos terroristas, o que além da vantagem, deixou-os com o melhor placar que poderiam ter no overtime. Depois disso, os brasileiros só tiveram o trabalho de vencer mais um round atuando pelo lado CT e, mais uma vez, com um comeback, vencer o mapa. Final de Cobblestone: 22 a 18 para os brasileiros.

Agradecimentos

Após vencer o torneio, o capitão e AWPer da equipe, Gabriel ‘FalleN’ Toledo, agradeceu seus companheiros de equipe pelo Twitter. “Eu me tornei um bom jogador. Mas, eu preciso agradecer todos os seus meus companheiros de equipe que são pessoas incríveis com um talento extraordinário. Amo vocês pessoal”

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.