Voxel

Bungie não quer lógica de MMO de múltiplos servidores para Destiny

Último Vídeo

A Bungie vem apostando alto em Destiny, criando um ambiente online bastante promissor e, ao mesmo tempo, igualmente complexo. Tanto que muitas preocupações sobre a forma como a empresa vai dar conta de manter esse universo funcionando já começaram a surgir por aí.

E o diretor técnico do game, Chris Butcher, decidiu comentar um pouco dos esforços do estúdio para fazer com que as coisas funcionem corretamente quando o game chegar aos consoles. Em entrevista à Game Informer, ele contou que a empresa não quer seguir a lógica usada em muitos MMOs, que utilizam grandes clusters de servidores para aguentar a demanda dos jogadores.

Segundo ele, esse mecanismo permite que um servidor central simule tudo o que é necessário e leve para um determinado número de jogadores. No entanto, aponta que até mesmo os servidores mais potentes de um MMO são capazes de suportar até 20 mil pessoas, o que é insignificante perto da população de um jogo de consoles.

Diante disso, Butcher conta que a Bungie optou em fazer um único mundo que pudesse ser habitado por todos os players. Para isso, eles estão usando um sistema de servidores que está em desenvolvimento há anos desde Halo e que está sendo adaptado para conectar jogadores e inteligência artificial em um único ambiente.

O diretor explica que, por conta disso, você nunca chegará a uma área vazia e sem jogadores por perto. Segundo ele, como a população deste “servidor único” é vasta, sempre haverá alguém explorando alguma região, por mais desolada ou distante que ela seja.

Só que, para que essa “unificação” seja possível, a Bungie terá de se apoiar nos próprios consoles. Segundo Butcher, esses hardwares vão ajudar a segurar o tranco para fazer com que o ritmo e a experiência como um todo fiquem dentro do esperado. Desse modo, os servidores de Destiny vão trabalhar em conjunto com os sistemas de cada jogador para otimizar o desempenho e tornar tudo mais fluido a ponto de fazer com que você se sinta em um ambiente single player.

O limite da geração?

Quando questionado sobre como isso tudo funcionará no PlayStation 3 e Xbox 360, o diretor técnico não pareceu se preocupar com as limitações técnicas dessas plataformas e disse ainda que elas ainda têm muito o que oferecer para a Bungie.

De acordo com ele, o motor gráfico utilizado em Destiny foi otimizado para tirar tudo aquilo que esses sistemas podem ofertar — uma promessa que ouvimos há, pelo menos, dois anos.

Para isso, a empresa garantiu que vai usar cada pedaço da CPU e SPU para carregar o conteúdo para o processador gráfico e, assim, permitir que todos os jogadores tenham praticamente a mesma experiência ao explorar este vasto universo.

Destiny chega ao PS3, PS4, Xbox 360 e Xbox One no dia 9 de setembro.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.