Voxel

Capcom: números, previsões e zumbis cambaleantes

Último Vídeo

Img_normal
A Capcom revelou recentemente os seus números referentes ao ano fiscal encerrado no dia 31 de março. Embora tenha fechado com um lucro de mais de R$ 50 milhões, o resultado ficaram 56% abaixo, em comparação com o mesmo período do ano passado. Será dos zumbis a culpa? Pelo menos em parte, sim.

No relatório, a companhia afirmou que, embora Resident Evil 6 tenha “apresentado um bom ritmo de vendas após o lançamento”, isso acabou arrefecendo bem rápido. O game acabou vendendo 4,9 milhões de unidades, o que foi considerado abaixo da expectativa pela publicadora. “Como resultado, ele não encontrou nossas projeções, não sendo capaz de desempenhar um papel central na ascensão do segmento.”

Dragon’s Dogma, entretanto, vai “muito bem, obrigado”. Diferentemente dos zumbis-celebridades, o game surpreendeu a Capcom em número de vendas, algo bastante atípico para um game não pertencente a uma franquia consagrada. Adicionalmente, DmC: Devil May Cry se manteve estável, mostrando “resultados sólidos” — a despeito de todos os melindres em relação ao visual do novo Dante.

Img_normal
Ademais, Monster Hunter 3 (Tri) G HD Version, do Wii U, “se tornou um verdadeiro hit”. Também Monster Hunter Frontier Online se mantém como um favorito, especialmente inclinado a fornecer lucros constantes.

Previsões para 2014

Além de revelar os números para o ano fiscal encerrado, a Capcom também projetou alguns números que devem rechear o atual ano fiscal da companhia. A companhia espera encontrar em 2014 números mais animadores, sobretudo por um investimento de peso em jogos para plataformas mobile e em títulos online.

Img_normal
Há inclusive algumas projeções de vendas para títulos ainda não lançados. Lost Planet 3, previsto para o dia 27 de agosto, deve vender 1,2 milhão de unidades. O mesmo valor — 1,2 milhão de unidades — também foi projetado para Resident Evil: Revelations Unveiled Edition, que deve chegar às prateleiras anda neste mês. Para Monster Hunter 4, que deve sair durante o inverno no Japão, a previsão foi de 2,8 milhões de unidades vendidas.

Vendas ao longo da história

A Capcom também aproveitou a ocasião para revelar o quanto algumas franquias venderam até hoje, desde que apareceram pela primeira vez. Não muito surpreendente, a popularidade de Resident Evil se reflete nos números: foram 56 milhões de jogos vendidos até hoje.

Img_normal
Street Fighter aparece em segundo lugar com 34 milhões de unidades despachadas, seguido pela série Devil May Cry, com 12 milhões. Já Dead Rising e Lost Planet aparecem com, respectivamente, 5,4 e 4,9 milhões de unidades vendidas. A Capcom espera despachar mais 13 milhões de jogos durante o ano fiscal recém iniciado — um milhão abaixo das expectativas para o ano passado, portanto.

As pedras no caminho da próxima geração

Os prazos de lançamento andam apertados e, de forma geral, os lançamentos andam rareando? Bem, de acordo com a Capcom, isso pode se tornar ainda mais acentuado, assim que as novas gerações de consoles derem as caras.

Conforme a publicadora revelou em seu relatório, desenvolver jogos para o PlayStation 4 e para o novo Xbox deve envolver somas consideravelmente maiores do que as necessárias para criar um blockbuster atual — o que, naturalmente, deve ter sua cota de impacto nas cronogramas de publicadoras e desenvolvedoras.

Img_normal
“(...) Os custos de desenvolvimento deve aumentar consideravelmente, em razão das múltiplas funções que são adicionadas ao hardware”, prognostica a companhia. Dessa forma, “novas alianças comerciais e consolidações devem ocorrer em números crescentes”.

Mas essa não será a única pedra no caminho da próxima geração. “A popularização de smartphones conferiu impulso a plataformas que não são desenvolvidas exclusivamente para jogos.” Ademais, a natureza “virulenta” de jogos sociais deve ajudar a formar um cenário de extrema competição entre companhias ligadas ao entretenimento eletrônico, conclui o relatório.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.