Voxel

Com o saldo no vermelho, Sony busca "pelo menos um" novo diretor

Último Vídeo

Apesar de o PlayStation 4 estar vendendo que nem pãozinho quente de manhã e o PlayStation 3 também desempenhar boa performance nos números, não é de hoje que a Sony passa por maus bocados financeiros. É de mais de um ano. Agora, dando continuidade em sua saga pelo corte de gastos e aumento de lucro, a companhia está buscando “pelo menos um” novo diretor para integrar sua comissão de executivos – alguém que se adeque a essa filosofia econômica.

Quem revelou a informação foi o veículo norte-americano The New York Post, que afirma que a empresa aparentemente está abordando diversos de seus executivos para assumir o cargo.

A jornada para colocar o saldo da Sony no azul já dura mais de um ano. No mês passado, a empresa contratou uma firma para consultoria e gerenciamento de gastos em empresas de diversos portes, a Bain & Company, para ajudar a cortar cerca de US$ 100 milhões e trazer soluções em custos de forma que o lucro volte a existir na dona da marca PlayStation.

Apuros financeiros

Em seu último relatório financeiro para a divisão de entretenimento em games, a Sony apresentou uma queda nas vendas do PlayStation 2 e do PSP, e um aumento nas vendas do PS3. Alguém se lembra daquele papo de que “a cada console vendido, a Sony tem prejuízo”? Parece fazer sentido, até porque a empresa reduziu os preços de seus principais sistemas, ainda que no longo prazo isso pudesse afetar sua planilha financeira – algo que está sendo sentido agora.

A companhia relatou um prejuízo operacional de cerca de US$ 8 milhões no último trimestre, atribuindo a perda à redução do preço do PS Vita e à baixa taxa de câmbio.

A busca por pelo menos um novo diretor para integrar esse corpo administrativo, portanto, serve justamente para conduzir essa filosofia econômica que busca enxugar cortes. O CEO da empresa, Kazuo Hirai, o famoso “Kaz” Hirai, recebeu uma proposta em agosto para o referido cargo, mas rejeitou.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.