Conferimos um belíssimo gameplay de CoD: Advanced Warfare a portas fechadas

Conferimos um belíssimo gameplay de CoD: Advanced Warfare a portas fechadas

Último Vídeo

Em minha postagem sobre o teste de Battlefield Hardline, eu enalteci o quão preocupadas a DICE e a EA estão para entregar uma experiência que destoa do sistema tático e cadenciado da franquia a fim de trazer uma proposta mais frenética, de ritmo rápido. Call of Duty segue essa cartilha faz tempo, e Advanced Warfare mostra que a série pode – e vai – ajudar a amadurecer o gênero.

Em uma demonstração realizada a portas fechadas (sem direito a fotos nem nada) nesta terça-feira, na E3, a Activision deu um gostinho extra do que está por vir em um vídeo que mostrou generosos trechos de gameplay do título, e o BJ se infiltrou lá para conferir. O resultado, até agora, parece bastante satisfatório.

O primeiro trecho repetiu as cenas exibidas na conferência da Microsoft, que rolou na segunda-feira, e mostrou o protagonista Mitchell em uma sequência de ação que usa e abusa dos poderes da roupa do personagem – o uniforme exerce um papel fundamental aqui, tal qual ocorre em Crysis, nítida fonte de inspiração para Advanced Warfare, bem como Titanfall. E essa é uma excelente novidade para a ambientação futurista do game, que se passa em 2052.

Mudanças sutis, mas bem-vindas

Às vezes, o maior segredo para uma mudança drástica mora justamente na sutileza, em que pequenos feitos geram grandes impactos. Ao bater o olho em Advanced Warfare pela primeira vez, você vai saber que se trata de um Call of Duty. Está tudo ali: cenários relativamente lineares, tiroteio incessante, mixagem e engenharia de som impecáveis (principalmente no som do disparo das armas), design geral dos personagens etc.

O semblante está praticamente intacto. Que tal acrescentar a tudo isso um uniforme bacanudo e cuja ideia fez tanto sucesso em Crysis? Eis a receita de Advanced Warfare – que tem uma pitada de sal com uma bela narrativa orquestrada pelo vilão Jonathan Irons, interpretado por ninguém menos que o ator Kevin Spacey (da série “House of Cards”, do Netflix).

O uniforme, preconizado pelo trailer do game como “algo que dá poder” ao jogador, cai como luva no sistema proposto pela Sledgehammer, que trouxe alguns desenvolvedores de Modern Warfare 3 para trabalharem em Advanced Warfare. É possível ser impulsionado para o alto em um “superpulo”, pular por desfiladeiros sem perder o ritmo de combate e, acima de tudo, utilizar o ambiente a seu favor.

Granadas “voadoras”: esquisitas e ao mesmo tempo estratégicas

No primeiro trecho, por exemplo, o protagonista Mitchell usa a porta de um carro para atravessar uma chuva de balas de inimigos que estão do outro lado da ponte. Ao chegar lá, o personagem usa sua metralhadora para arrebentar o vidro da porta que osegurava e abater os oponentes estrategicamente.

Nesse momento, cerca de seis ou sete inimigos estão espalhados entre muretas, carros, colunas e outras formas de proteção. O jogador, então, lança uma granada que detecta a presença de calor e mostra em vermelho todos os inimigos na tela, permitindo que uma estratégia seja elaborada para aniquilar um a um. Os três primeiros são surpreendidos pelo superpulo à la Titanfall e rapidamente são mortos. Os outros, que tremem de medo (e esse é um detalhe sensacional), não sabem que Mitchell adota uma abordagem stealth e são mortos a facadas por trás. Tudo isso graças a uma granada que permitiu uma tática mais pensada.

Não vou revelar o final deste trecho para não dar spoilers, mas posso garantir: é surpreendente. Naquela tonalidade emocionante, coisa que Hollywood sabe fazer. O tom cinematográfico de Advanced Warfare está acentuadíssimo, e o valor de produção do game deve passar da casa dos US$ 300 milhões.

O segundo trecho mostra Mitchell em ação numa ponte invadida, em que civis também estão presentes. Foi bem divertido ver o personagem gritando “saiam do caminho, se agachem!” enquanto balas ricocheteavam nos carros com sons incríveis brotando por todos os lados.

Eis que a “granada voadora” substitui a boa e velha granada tradicional: aqui, o explosivo é lançado no ar e, a partir dali, é ativado e finalmente arremessado contra os inimigos. Imagine um “pulo duplo”, mas em granadas. É estranho no começo, mas se encaixa perfeitamente no frenesi do game. E compre um Home Theater, por favor.

Mais do mesmo? Não: é Call of Duty refinado

A combinação hollywoodiana de Advanced Warfare confere uma linda demonstração do que está por vir. Ainda é cedo para afirmar que o game marcará uma nova era para a franquia, mas a minha opinião é a seguinte: Advanced Warfare empolgou bem mais que Battlefield Hardline, seu “arquirrival” direto. O valor de produção é muito maior, e o jogo parece mais divertido, simples assim. É como citei: é CoD, mas com algumas mudanças no tempero – e parece que colocaram bastante sal aqui.

Call of Duty: Advanced Warfare será lançado no final do ano para PlayStation 4, Xbox One, PlayStation 3, Xbox 360 e PC.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.