Conheça 10 dos mapas mais controversos dos FPS games

Conheça 10 dos mapas mais controversos dos FPS games

Último Vídeo

Quem joga FPS sabe a relevância que do mapa: seja ele confuso, claro, simples, complexo, aberto ou fechado, esse elemento tem tudo para tornar a sua jogatina uma experiência incrível ou desastrosa. E por mais que muitas vezes tudo seja uma questão de gosto, é inegável que há mapas odiados por grande parte dos fãs de cada um dos games já lançados – mas então, você sabe quais são eles?

Justamente para ajudar você a evitá-los ou escolhê-los, se você curte um desafio, organizamos uma lista dos mais odiados – ou temidos – mapas de FPS. Dê uma olhada!

1. Hydro Team Fortress 2

Hydro é um mapa confuso em TF2, e por mais que ele pareça uma tentativa de tornar o game mais difícil, é inegável que seu layout torna a jogatina menos agradável também. Aqui, não há dinâmicas que possam ser exploradas para um dos times conquistar a vitória com mais facilidade. Hydro é um mapa mal construído aos olhos da comunidade, o que o faz ser constantemente evitado por quem joga o título.

2. BF4 – Pearl Market

Confessamos que este não é um mapa exatamente ruim ou difícil, principalmente depois que se aprende os truques para dominá-lo. Com uma temática frenética, algo buscado por todos aqueles que jogam Battlefield 4, Pearl Market exige apenas que você tome cuidado com o que vem dos lados e de cima.

A dinamicidade do mapa pode ser utilizada para a vitória do seu time ou do inimigo, portanto aprender a explorar esses aspectos certamente vai torná-lo mais agradável.

3. 007 GoldenEye – Egyptian

Egyptian é outro mapa bom – ou quase isso –, mas que acabou sendo mal compreendido pelos fãs de seu jogo. Seus grandes corredores e frequentes pontos cegos fazem do layout algo complicado para jogadores os menos experientes. Quem aprende a mágica de Egyptian logo nota que o segredo é se esconder e atirar. Nada muito difícil.

4. Gears of War  – Overpass

Overpass tem algumas características parecidas com a já citada Pearl Market: nessa fase, você precisa tomar cuidado com o domínio das áreas mais altas do mapa(sem), e ficar atento aos respawns inimigos caso você as controle.

Se o inimigo já estiver no comando, fica bem difícil retomar a vantagem na partida, principalmente porque controlar os andares de cima significa poder suprimir o poder de fogo de quem está abaixo.

5. Halo 3 – Sandtrap

Assim como vários dos mapas listados por aqui, Sandtrap pode ser tão divertido quanto irritante. Tudo depende de como você encara a agilidade de mapas desse tipo.

Tudo bem, morrer segundos depois de ‘nascer’ é algo difícil de engolir, mas matar um inimigo antes que ele possa piscar os olhos é um prazer que só mapas assim podem proporcionar.

Dentre outras críticas comuns feitas ao Sandtrap, a forma como ele beneficia quem está nos corredores, perante os jogadores de campo aberto, é uma das mais frequentes. De qualquer forma, isso muitos mapas também fazem e, como sempre vamos dizer, é uma vantagem a ser conquistada por quem quer vencer.

6. Left 4 Dead 2 – Hard Rain

Hard Rain é um nome que faz sentido se você está na equipe de humanos, contra os zumbis. Por permitir que os mortos-vivos ataquem e se escondam ao mesmo tempo em vários pontos, o mapa pode tornar a jogatina cansativa e um pouco sem graça para quem acaba perdendo.

Esteja você no alto ou na parte mais baixa do prédio, as emboscadas serão mais vantajosas aos zumbis. Sendo assim, lembre-se de, ao escolher esse mapa, manter o espírito esportivo e, se você estiver no time dos humanos, comemorar a vitória com muita vontade!

7. Call of Duty: World at War – Outskirts

Outskirts é o típico paraíso dos snipers: grandes campos de visão, com pequenos esconderijos, e que te obrigam a caçar seus inimigos enquanto está na mira deles. Para esse tipo de mapa, não há solução a não ser se espreitar nos pontos cegos e atirar com muita precisão.

8. Quake 3 Arena – The Longest Yard

The Longest Yard é, de longe, o mapa mais desgostoso de Quake 3 Arena. E não somos nós que dizemos isso – são vocês, jogadores.

Totalmente oposto ao conceito apresentado dos mapas que citamos anteriormente, este é um ambiente onde não é possível se esconder e abater o inimigo – é necessário encará-lo de frente e estar pronto para matar, talvez morrendo logo em seguida. No final, The Longest Yard é mais uma prova de que o “frenético” pode incomodar muitos, por mais incrível que pareça.

9. Unreal Tournament – Morpheus

Seu maior inimigo em Morpheus é a baixa gravidade: se espreitar, andar, acertar ou se esconder são tarefas que ficam muito, mas muito mais difíceis de se concluir enquanto seu personagem flutua pela tela.

A partir do momento em que você domina e passa a prever seus próprios movimentos – e talvez os de alguns inimigos também –, a jogatina se torna muito bacana, e você, é claro, usa suas novas habilidades para aniquilar qualquer rival.

10. Counter Strike – Aztec

Indo direto ao ponto, Aztec é um péssimo mapa se você é um terrorista. Mas caso você esteja no time dos CTs, a coisa muda de figura e o ambiente tem vários pontos onde você pode se esconder e esperar um inimigo desavisado.

Mesmo indubitavelmente menos vantajoso para uma classe de jogador, Aztec ainda pode ser, novamente, mais um mapa desafiador. Encare um jogo em Aztec como algo de dificuldade elevada, se você for um “terrô” – e no fim, quando vencer, não escancare isso na cara de seu oponente, mas sinta-se orgulhoso de sua vitória mesmo em um mapa desfavorável!

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.