Criador de Resident Evil não dá chance às mulheres submissas em seus jogos

Criador de Resident Evil não dá chance às mulheres submissas em seus jogos

Último Vídeo

Shinji Mikami é uma lenda da indústria de games, no mesmo patamar de seu ousado compatriota Hideo Kojima – de Metal Gear. O criador da série Resident Evil revolucionou o gênero com os games sobre o vírus zumbi que devastou Raccoon City, e está em alta novamente graças ao multiplataforma The Evil Within. Com games de terror como seu principal ganha-pão, Mikami poderia ser mais uma a criar personagens femininas frágeis e que precisam de ajuda todo o tempo, mas ele vai no caminho contrário e revela que gosta de mulheres fortes e independentes no mundo dos jogos.

Em uma entrevista para o The Guardian, o produtor falou um pouco sobre o assunto, e é fácil ver que ele não é só papo. Basta ver no seu histórico de personagens figuras como Jill Valentine e Claire Redfield, que tiram de letra as situações horrendas e as hordas de monstros de Resident Evil e ainda batem qualquer outro desafio que surgir pela frente – enquanto muitos de nós na mesma situação nos curvaríamos em posição fetal em algum canto.

Mulheres independentes

“Eu não sei se eu tenho colocado uma ênfase maior em personagens mulheres, mas quando eu as introduzo [nos jogos], nunca o faço como se fossem objetos”, explica Mikami. Ele prefere colocar as moças nas mesmas situações que suas contrapartes masculinas, permitindo que elas provem sua força em vez de serem caracterizadas como estereótipos agressivamente sexualizados – algo usado à exaustão em games, filmes e outras mídias.

“Eu evito esse tipo de erotismo óbvio. [...] Eu escrevo personagens femininas que descobrem sua independência durante o curso do jogo ou que já sabem que são desse jeito mas têm esse aspecto testado contra uma série de desafios”, deixa bem claro o produtor. E ainda completa, dizendo porque uma de suas criações de que menos gosta é Rebecca Chambers, protagonista de Resident Evil Zero.

“Se eu tivesse que nomear a personagem que eu mais desgosto nos meus jogos seria Rebecca Chambers. Ela é submissa, não é independente. Eu não quis incluí-la, mas a equipe queria esse tipo de personagem no game, por alguma razão. Tenho certeza de que isso fazia sentido para eles. No Japão, esse tipo de personagem é bastante popular”, disparou Mikami.

Você concorda com o produtor? Qual a sua personagem preferida do mundo dos jogos? Deixe sua opinião logo abaixo, na seção de comentários.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.