Voxel

Criar um game com ambientes totalmente destrutíveis é impossível na geração atual, afirma Volition

Último Vídeo

Img_normal
Embora a Volition tenha experiência em criar games com ambientes destrutíveis (como a série Red Faction), a empresa reconhece que não é possível aplicar essa característica a todos os elementos de um jogo — ao menos não na geração atual. Segundo o produtor sênior Jim Boone, os consoles atuais não possuem poder suficiente para gerar detalhes que tornariam satisfatório esse tipo de experiência.

“Já conversamos sobre isso diversas vezes, e o problema é que simplesmente não dá para fazer isso com a engine atual”, afirmou ele ao VG247. Segundo ele, embora com a Geo-Mod 2.0 o time de desenvolvimento tenha conseguido criar prédios destrutíveis em Red Faction: Armageddon, as restrições impostas pela tecnologia fazem com que o mesmo não possa ser aplicado nas cidades da série Saints Row.

“Se você é familiarizado com Guerrilla ou Armageddon, vai notar que não criamos estruturas muito densas, e isso se deve ao fato de que tivemos que empurrar essas plataformas até certo nível para que pudéssemos fazer o que desejávamos”, explica o produtor. “Isso significa que, tecnicamente, é literalmente impossível aplicar essa tecnologia da forma que esperamos em um game da série Saints Row”.

Nova geração

Apesar de acreditar que a nova geração de consoles vai lidar melhor com essa situação, Boone acredita que ainda haverá dificuldades nesse sentido. “Aqui está o problema: ainda teríamos que comprometer a fidelidade gráfica para conseguir dividir tudo em pedaços e fazer com que os jogadores possam quebrá-los”, explica ele.

“Minha suspeita é a de que, se você olhasse para outro jogo que não contasse com essa tecnologia, seus prédios seriam muito superiores aos nossos. Com isso, os jogadores olharam para eles e diriam ‘nossa, o que há de errado para Saints Row parecer tão terrível? Eu sei que os prédios podem ser destruídos, mas sabe como é’”.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.