Voxel

Crystal Dynamics: “Para as pessoas, matar é aceitável, mas uma insinuação de estupro não”

Último Vídeo

Img_normal

A Crystal Dynamics tem enfrentado uma pequena polêmica envolvendo uma insinuação de estupro que ocorreu em um famoso trailer do novo Tomb Raider. A empresa alegou que o grande desafio em tornar o jogo com um apelo mais realista é lidar com as diferentes emoções que começam a surgir em todo o público. Uma das questões mais relevantes levantadas recentemente é a famosa “cena do estupro” presente em um dos primeiros vídeos do game.

Brian Horton, o diretor de arte da repaginada versão de Tomb Raider, falou ao site CVG sobre o polêmico assunto. De acordo com Horton, é preciso conhecer o contexto do enredo do game para entender o porquê de determinadas atitudes estarem sendo tomadas. Para mais ou menos indignação das pessoas, fato é que o ato de matar em si é muito mais bem aceito do que uma “insinuação” de estupro.

“Enquanto uma indústria inteira, os games conseguiram crescer muito, mas ainda não o suficiente para conseguir fazer tudo que as empresas de filmes fazem”, lamenta Horton. O peso emocional que poderíamos dar em determinadas cenas ainda é muito limitado e os desenvolvedores simplesmente não podem ser fiéis às ideias que tiveram no processo de criação.

Horton também lembrou que não são muitos jogos no mercado que apresentam protagonistas femininas como estrelas centrais dos enredos. Tampouco, mulheres com tantas habilidades e com tanto potencial como Lara Croft ou como a BioWare recentemente fez com Mass Effect — no qual você pode escolher o sexo do personagem.

Fonte: OXM, CVG

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.