Cyberpunk 2077: Estúdio responde sobre propaganda polêmica dentro do jogo

Cyberpunk 2077: Estúdio responde sobre propaganda polêmica dentro do jogo

Último Vídeo

Cyberpunk 2077 roubou a atenção de muitos jogadores durante a conferência da Microsoft na E3 2019. E isso não poderia ser mais justo, afinal muitos estão na espera ansiosa para explorar o universo criado pela CD Projekt Red ainda mais com a presença ilustre de Keanu Reeves. Mas um detalhe causou polêmica na comunidade recentemente por conta de uma propaganda com uma modelo transexual dentro do jogo, e o estúdio precisou entrar na discussão e responder os fãs.

Tudo começou com uma série de screenshots disponíveis no site da NVIDIA mostrando alguns de exemplos da tecnologia de iluminação e ray tracing dentro de Cyberpunk 2077. No entanto, em uma das imagens, os jogadores notaram que há uma painel que causa impacto: em uma propaganda de refrigerante na parede, encontramos uma modelo feminina com partes masculinas "sobressalentes" em sua roupa ao lado de frases como "misture" e "16 sabores que você vai adorar misturar".

A comunidade lembrou imediatamente que a empresa já foi alvo de discussões no passado depois de um tweet polêmico envolvendo uma questão similar de transexualidade, mas a Polygon aproveitou a ocasião da E3 2019 para conversar diretamente com os diretores e ouvir mais sobre a opinião deles sobre o caso.

"Pessoalmente, para mim, essa pessoa é sexy", explicou a diretora de arte de Cyberpunk 2077, Kasia Redesiuk. "Eu gosto de como essa pessoa se mostra. No entanto, essa modelo é usada — o seu corpo é usado — por razões corporativas. Essas modelos estão disponíveis aí somente como uma 'coisa', e essa é a parte terrível sobre isso", detalha a artista, que também trabalhou nas artes de Gwent e Thronebreaker.

A diretora reforçou que, no universo de Cyberpunk, os jogadores vão encontrar muitas pessoas que não se conformam com o seu gênero e, como elas são parte expressiva da população, as empresas criam propagandas visando atingir esse público.

"Cyberpunk 2077 é um futuro distópico onde as megacorporações influenciam na vida das pessoas. Elas empurram produtos goela abaixo. Elas criam essas propagandas agressivas que usam, e abusam, das necessidades e dos instintos das pessoas. Assim, a hipersexualização é aparente em todo canto, e nossas propragandas aí são alguns dos vários exemplos de mulheres hipersexualizadas, de homens hipersexualizados, e de pessoas hipersexualidades entre esses dois", reforça.

"Isso tudo mostra que [como no nosso mundo moderno], a hipersexualização nas campanhas são terríveis. Foi uma escolha consciente da nossa parte para mostrar esse mundo — um mundo onde você é um cyberpunk, uma pessoa que luta contra as corporações. Isso é o que você está lutando contra", finaliza.

Não foi a primeira controvérsia que a CD Projekt Red precisou esclarecer perante o público. Em abril, a empresa fez uma declaração explicando que as pessoas podem usar tranquilamente o termo "cyberpunk" sem medo de serem processadas. A companhia também explicou em maio que não está abusando de seus funcionários para acelerar o desenvolvimento do jogo.

Cyberpunk 2077 será lançado oficialmente no dia 16 de abril de 2020 para PC, PlayStation 4 e Xbox One.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.
Voltar para notícia
Carregando...
Comentários
Carregando...
Este comentário foi apagado. Desfazer
+1
-1
Este comentário foi apagado. Desfazer
Responder Excluir Editar
+1
-1
Ver mais comentários Ver mais comentários