David Cage fala sobre os androides de Detroit: Become Human

David Cage fala sobre os androides de Detroit: Become Human

Último Vídeo

Sempre provocativo e um tanto filosófico, David Cage focou seu olhar no mundo dos androides em Detroit: Become Human. No adventure exclusivo para PlayStation 4, os jogadores vão controlar três máquinas diferentes, cada uma responsável por lidar de maneiras diferentes com questão como “o que torna um ser algo vivo?”.

Toda vez que podíamos substituir um humano com uma máquina, imaginamos que a humanidade fez isso

Em uma entrevista concedida ao PlayStation Blog, Cage explicou como os androides se encaixam no mundo de Detroit. Segundo ele, os robôs são tratados de maneira semelhante aos smartphones modernos: aparelhos poderosos e úteis, mas facilmente descartáveis diante do surgimento de um modelo mais avançado.

“Toda vez que podíamos substituir um humano com uma máquina, imaginamos que a humanidade fez isso. Eles fazem tudo o que você precisa. Eu estava interessado em dar a eles alguma espécie de realidade biológica. O que os tornou possíveis foi a combinação de duas novas tecnologias. Uma é o que chamamos de biocomponentes, módulos internos que trabalham como órgãos. A outra é a energia gerada por eles que viaja pelo corpo através de sangue azul”, explicou o criador.

Produtos descartáveis

Segundo Cage, os androides fabricados pela CyberLife são feitos de forma a parecer com humanos — o que inclui a presença de olhos com movimentos reais. Ele afirma que cada máquina é feita com características diferentes: um androide babá pode parecer com uma vovó, enquanto um trabalhador braçal ganha músculos mais avantajados — no entanto, nenhum deles tem força super-humana ou características exageradas.

“Debatemos bastante para saber quais roupas eles deveriam vestir e um dos paralelos que fazemos é com os smartphones atuais. Podemos comprar diferentes celulares de cores e tamanhos diferentes, ao mesmo tempo em que podemos customizá-los. Então imaginamos que você pode comprar uma versão simples na loja, mas pode adquirir roupas extras para fazê-los parecer o que você deseja”.

Parte dos motivos que inspiraram os androides a fazer uma revolução é o fato de que eles são tratados como algo descartável dentro do game. “É como seu smartphone. Você não pode fazer um upgrade neles. Você tem que comprar um novo. Há todo um negócio por trás disso”, explica Cage. Na aventura final, caberá a você decidir os rumos desse universo e redifinir (ou não) a maneira como máquinas e humanos interagem.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.