Dentro da Valve, time de Firewatch mantém liberdade criativa

Dentro da Valve, time de Firewatch mantém liberdade criativa

Último Vídeo

Adquirida pela Valve no mês passado, a desenvolvedora Campo Santo (de Firewatch) pode estar com nome novo e ter sido forçada a mudar sua localização. No entanto, parece que a equipe comandada por Sean Vanaman não viu o resto de sua rotina mudar e continua tendo a liberdade criativa necessária para trabalhar em seus projetos.

Segundo Vanaman explicou, isso implica na permanência da engine Unity como a plataforma de desenvolvimento preferencial de seu time. Mesmo que a Valve seja a dona da Source, ela não está forçando que seus novos funcionários usem ela como parte integral de seus jogos futuros.

Firewatch

“Não é dito porque as coisas são feitas de certa maneira, cabe a você decidir como descobrir como as coisas são feitas e porque elas são feitas dessa forma e também mudar isso se você quiser. Não estamos tentando ser rebeldes ficando com a Unity. Só estamos tentando fazer o que sabemos”, explicou Vanaman ao site RPS.

O líder da Campo Santo afirma que acredita que sua empresa foi criada porque a Valve queria adicionar à sua equipe “pessoas supertalentosas”que poderiam fazer projetos muito bons no futuro. Assim, a intenção da empresa não era somente aumentar sua capacidade de produzir jogos, mas sim garantir que tudo o que fosse feito por seus funcionários tivesse uma qualidade excelente.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.

Voltar para notícia
Carregando...
Comentários
Participe agora deixando seu comentário Acesse sua conta
Carregando...
Este comentário foi apagado. Desfazer
+1
-1
Este comentário foi apagado. Desfazer
Responder Excluir Editar
+1
-1
Ver mais comentários Ver mais comentários