Voxel

Desenvolvedora de BF vê muito potencial na IA de Titanfall

Último Vídeo

Img_normal

Battlefield 4 possivelmente chegará no final deste ano abalando todos os outros jogos de tiro em primeira pessoa que estiverem pela frente, principalmente devido à ânsia que as pessoas estão em colocar as mãos em algo que realmente faça parte da oitava geração de games. No entanto, será que a DICE não poderia ter feito algo a mais, a exemplo do uso da tecnologia do suporte da nuvem na IA, que o exclusivo Titanfall irá demonstrar?

Sobre esse assunto, Lars Gustavsson, o director de criação da DICE, falou um pouco ao site OXM. De acordo com Gustavsson, o conceito por trás do uso do poder da nuvem na manutenção da inteligência artificial durante a jogatina é extremamente interessante. Ele também lembrou que a companhia havia testado algo similar em Battlefield 2142, quando desenvolveu um drone controlado pela AI que acompanhava os gamers, atirando em inimigos.

No entanto, o diretor de criação da DICE acredita que Battlefield 4 pode conseguir se dar muito bem, mesmo sem essa tecnologia. “Com 64 jogadores simultaneamente, nós sentimos que há um número maior do que o sufiente de gente no mesmo mundo”, aponta ele, que continua: “Em uma experiência cooperativa, o suporte da IA é muito legal, mas no modo multiplayer, como apontam os feedbacks que nós tivemos, as pessoas ainda preferem ser mortas por balas disparadas por humanos de verdade”.

“Mesmo assim, eu não estou dizendo que eu não usarei esse tipo de tecnologia no futuro. Na realidade, eu vejo muito potencial nisso”, afirma Gustavsson. Enfim, você vai poder tirar suas próprias conclusões com Battlefield 4 a partir do próximo dia 1º de outubro e depois, sabe-se lá quando, poderá comparar com a jogabilidade de Titanfall, no PC, Xbox 360 e Xbox One.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.